(49) 3442.0358

Liturgia diária › 18/12/2017

Últimos dias antes do Natal – 18 de dezembro do Advento

a0118 de Dezembro de 2017

Cor: Roxo

1ª Leitura (Jr 23,5-8)

Suscitarei a Davi um rebento justo.

Leitura do Livro do Profeta Jeremias
Eis que virão dias,
diz o Senhor,
em que farei nascer um descendente de Davi;
reinará como rei e será sábio,
fará valer a justiça e a retidão na terra.
Naqueles dias, Judá será salvo
e Israel viverá tranqüilo;
este é o nome com que o chamarão:
‘Senhor, nossa Justiça.’
Eis que virão dias, diz o Senhor,
em que já não se usará jurar ‘Pela vida do Senhor
que tirou os filhos de Israel do Egito’
– mas sim: ‘Pela vida do Senhor
que tirou e reconduziu os descendentes da casa de Israel
desde o país do norte e todos os outros países`,
para onde os expulsará;
eles então irão habitar em sua terra’.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Salmo (Sl 71, 1-2. 12-13. 18-19 (R. Cf. 7)

R. Nos seus dias a justiça florirá
e paz em abundância, para sempre.

 

Dai ao Rei vossos poderes, Senhor Deus, *
vossa justiça ao descendente da realeza!
Com justiça ele governe o vosso povo, *
com eqüidade ele julgue os vossos pobres.R.

Libertará o indigente que suplica, *
e o pobre ao qual ninguém quer ajudar.
Terá pena do indigente e do infeliz, *
e a vida dos humildes salvará.R.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel, *
porque só ele realiza maravilhas!
Bendito seja o seu nome glorioso! *
Bendito seja eternamente! Amém, amém!R.


Evangelho (Mt 1,18-24)

Jesus nascerá de Maria, prometida
em casamento a José, filho de Davi.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus

A origem de Jesus Cristo foi assim:
Maria, sua mãe, estava prometida em casamento
a José, e, antes de viverem juntos,
ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo.
José, seu marido, era justo
e, não querendo denunciá-la,
resolveu abandonar Maria, em segredo.
Enquanto José pensava nisso,
eis que o anjo do Senhor apareceu-lhe, em sonho,
e lhe disse: ‘José, Filho de Davi,
não tenhas medo de receber Maria como tua esposa,
porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo.
Ela dará à luz um filho,
e tu lhe darás o nome de Jesus,
pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados’.
Tudo isso aconteceu para se cumprir
o que o Senhor havia dito pelo profeta:
‘Eis que a virgem conceberá
e dará à luz um filho.
Ele será chamado pelo nome de Emanuel,
que significa: Deus está conosco.’
Quando acordou,
José fez conforme o anjo do Senhor havia mandado,
e aceitou sua esposa.
– Palavra da Salvação.
– Gloria a Vós Senhor.


Santo Do Dia

Santo Urbano V

Santo Urbano VUrbano vem de “urbanidade” ou então de ur, “luz”  ou “fogo”, e de banal, “resposta”. Foi “luz” pela honestidade de sua conduta, “fogo” por sua ardente caridade, “resposta” por sua doutrina.

Nasceu no castelo de Grisac, em Languedoc, em 1310, de família nobre. Ingressaria ainda muito jovem no mosteiro dos Beneditinos do priorado de Chirac, onde recebeu sólida cultura. Doutorou-se em Direito Canônico e civil e depois lecionou direito em Montpellier e em Avignon. Um dia, trocou a laureada toga pelo humilde hábito de monge, chegando a ocupar altos cargos dentro da Ordem beneditina.

O Papa Urbano V assumiu o cargo em 6 de novembro de 1362, numa época em que a Europa sofria agitações sociais muito intensas. Numa tentativa de manter o pontífice longe das intrigas e das lutas políticas e revolucionárias, que dominavam Roma, a sede da Igreja fora transferida para Avignon, na França.

Sua biografia é cheia de adjetivos elogiosos: “professor emérito, estudioso de renome, abade de iluminada doutrina e espiritualidade”. Por tudo isso foi escolhido pelo Papa Inocêncio IV para desempenhar missões diplomáticas delicadas. Pelo mesmo motivo, quando Inocêncio morreu, foi eleito seu sucessor, mesmo não sendo cardeal.

Seu pontificado durou somente oito anos, mas caracterizou-se, segundo os registros oficiais, pela sábia administração, pelo esforço de renovar os costumes e pela nobreza de intenções. Ele reformou a disciplina eclesiástica e reorganizou a corte pontifícia de maneira que fosse um exemplo de vida cristã, cortando pela raiz muitos abusos. Mas também se preocupava com a instrução do povo. Era o período do humanismo e o ex-professor de direito não mediu esforços para promover as ciências e criar novos centros de estudos. A pedido do rei da Polônia, ergueu e fundou a universidade da Cracóvia e, na universidade de Montpellier, fundou um colégio médico, ajudando pessoalmente estudantes pobres.

No terreno político e militar seu trabalho também foi reconhecido. Organizou uma cruzada contra os turcos muçulmanos que ameaçavam a Europa. No plano missionário, enviou numerosos grupos de religiosos às regiões europeias ainda necessitadas de evangelizadores, como a Bulgária e a Romênia. Além de organizar uma expedição missionária para levar a palavra aos mongóis da longínqua Ásia.

O grande sonho do Papa Urbano V, porém, era levar de volta a sede da Igreja para Roma. Conseguiu isso, em outubro de 1367, sendo recebido com entusiasmada aclamação popular. Poucos dias depois “Roma estava toda cheia de obras”, como escrevia Coluccio Salutati. Muito mais que à restauração das coisas materiais, o santo pontífice olhou para a reconstrução espiritual da Igreja, promovendo a unidade entre os cristãos, que pareceu realizar-se através da união da Igreja grega com a latina em 1369.

Foi o primeiro a se estabelecer no palácio ao lado da Basílica de São Pedro, no Vaticano. E, desde então, se tornou a residência oficial dos pontífices. Mas a paz durou pouco. Alguns anos depois Urbano V foi novamente obrigado a deixar Roma, e voltar para Avignon, onde faleceu em 19 de dezembro de 1370.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Teia, Dário e Paulino.

Fonte:Franciscanos.org.com