(49) 3442.0358

Liturgia diária › 30/11/2016

Santo André, Apóstolo . Festa

pedro30 de Novembro de 2016

Cor: Vermelho

1ª Leitura (Rm 10,9-18)

A fé vem da pregação
e a pregação se faz pela palavra de Cristo.

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos

Irmãos:
Se, com tua boca, confessares Jesus como Senhor
e, no teu coração,
creres que Deus o ressuscitou dos mortos,
serás salvo.
É crendo no coração que se alcança a justiça
e é confessando a fé com a boca
que se consegue a salvação.
Pois a Escritura diz:
“Todo aquele que nele crer não ficará confundido”.
Portanto, não importa a diferença
entre judeu e grego;
todos têm o mesmo Senhor,
que é generoso para com todos os que o invocam.
De fato, todo aquele que invocar o Nome do Senhor
será salvo.
Mas, como invocá-lo, sem antes crer nele?
E como crer, sem antes ter ouvido falar dele?
E como ouvir, sem alguém que pregue?
E como pregar, sem ser enviado para isso?
Assim é que está escrito:
“Quão belos são os pés dos que anunciam o bem”.
Mas nem todos obedeceram à Boa-nova.
Pois Isaías diz:
“Senhor, quem acreditou em nossa pregação?”
Logo, a fé vem da pregação
e a pregação se faz pela palavra de Cristo.
Então, eu pergunto:
Será que eles não ouviram?
Certamente que ouviram,
pois “a voz deles se espalhou por toda a terra,
e as suas palavras chegaram aos confins do mundo”.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Salmo (Sl 18(19A),2-3.4-5 (R. 5a)

R. Seu som ressoa e se espalha em toda terra.

Os céus proclamam a glória do Senhor, *
e o firmamento, a obra de suas mãos;
o dia ao dia transmite esta mensagem, *
a noite à noite publica esta notícia. R.

Não são discursos nem frases ou palavras, *
nem são vozes que possam ser ouvidas;
seu som ressoa e se espalha em toda a terra, *
chega aos confins do universo a sua voz. R.


Evangelho (Mt 4,18-22)

Imediatamente deixaram as redes e o seguiram.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus
Quando Jesus andava à beira do mar da Galiléia,
viu dois irmãos:
Simão, chamado Pedro, e seu irmão André.
Estavam lançando a rede ao mar, pois eram pescadores.
Jesus disse a eles: ‘Segui-me,
e eu farei de vós pescadores de homens.’
Eles, imediatamente deixaram as redes e o seguiram.
Caminhando um pouco mais, Jesus viu outros dois irmãos:
Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João.
Estavam na barca com seu pai Zebedeu
consertando as redes.
Jesus os chamou.
Eles, imediatamente deixaram a barca e o pai,
e o seguiram.
– Palavra da Salvação.
– Gloria a Vós Senhor.


Reflexão (Mt 4, 18-22)

No nosso dia a dia devemos estar sempre atentos à presença de Jesus que se aproxima de nós e nos chama para o serviço do Reino. Esta aproximação acontece principalmente a partir dos apelos que chegam até nós nos sofrimentos, nas dores, nas necessidades não satisfeitas, na fome, na miséria, na culpa, na falta de fé, no desconhecimento de Deus, na falta de sentido de vida, na violência, enfim, em tudo o que exige de nós uma resposta de amor, que é o fundamento de todo apostolado, de todo seguimento de Jesus. Deixando tudo o que estamos fazendo, devemos ser a resposta viva de Deus para todos esses apelos.


Santo Do Dia

andre-5Santo André Apóstolo

Santo André era natural de Betsaida, cidade da Galileia às margens do lago de Genesaré. Era filho de Jonas, pescador local, e irmão de Simão Pedro, porém o Evangelho não diz se ele era mais novo ou mais velho do que ele. Tinham uma casa em Cafarnaum, onde Jesus costumava se hospedar quando pregava na cidade. Entre os Doze apóstolos de Cristo, André foi o primeiro a ser seu discípulo. Além de ser apontado por eles próprios como o “número dois”, depois, somente, de Pedro. Na lista dos apóstolos, pela ordem está entre os quatro primeiros.

Quando São João Batista iniciou a sua pregação de penitência, André se tornou um discípulo, e ele estava com o seu mestre quando S. João, vendo Jesus passar, depois de ser por ele batizado, disse a célebre frase: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira os pecados do mundo”. André, então, começou a segui-lo. Depois, levou o irmão Simão-Pedro a conhecer Jesus, afirmando: “Encontramos o Messias”. Assim, tornou-se, também, o primeiro dos apóstolos a recrutar novos discípulos para o Senhor. Aparece no episódio da multiplicação dos pães: depois da resposta de Filipe, André indica a Jesus um jovem que possuía os únicos alimentos ali presentes: cinco pães e dois peixes.

Pouco antes da morte do Redentor, aparece o discípulo André ao lado de Filipe, como um de grande autoridade. Pois é a ele que Filipe se dirige quando certos gregos pedem para ver o Senhor, e ambos contaram a Jesus.

André participou da vida publica de Jesus, estava presente na última ceia, viu o Cristo Ressuscitado, testemunhou a Ascenção e recebeu o primeiro Pentecostes. Ajudou a sedimentar a Igreja de Cristo a partir da Palestina, mas as localidades e regiões por onde pregou não sabemos com exatidão.

Alguns historiadores citam que depois de Jerusalém foi evangelizar na Galileia, Cítia, Etiópia, Trácia e, finalmente, na Grécia. Nessa última, formou um grande rebanho e pôde fundar a comunidade cristã de Patras, na Acaia, um dos modelos de Igreja nos primeiros tempos. Mas foi lá, também, que acabou martirizado nas mãos do inimigo, Egéas, governador e juiz romano local.

André ousou não obedecer à autoridade do governador, desafiando-o a reconhecer em Jesus um juiz acima dele. Mais ainda, clamou que os deuses pagãos não passavam de demônios. Egéas não hesitou e condenou-o à crucificação. Para espanto dos carrascos, aceitou com alegria a sentença, afirmando que, se temesse o martírio, não estaria “pregando a grandeza da cruz, onde morreu Jesus”.

Ficou dois dias pregado numa cruz em forma de “X”; antes, porém, despojou-se de suas vestes e bens, doando-os aos algozes. Conta a tradição que, um pouco antes de André morrer, foi possível ver uma grande luz envolvendo-o e apagando-se a seguir. Tudo ocorreu sob o império de Nero, em 30 de novembro do ano 60, data que toda a cristandade guarda para sua festa.

O imperador Constantino trasladou, em 357, de Patos para Constantinopla, as relíquias mortais de santo André, Apóstolo. Elas foram levadas para Roma, onde permanecem até hoje, na Catedral de Amalfi, só no século XIII.

Santo André é o padroeiro da Rússia por causa da tradição sem base verídica segundo a qual ele pregou nesse país, chegando até a altura de Kiev, e também na Escócia. Não se afirma ter ele pregado também na Escócia, porém a lenda conservada por João de Fordune no Breviário de Aberdeen não é menos destituída de credibilidade. Segundo a mesma, um certo S. Rule, que era natural de Patras e tinha sob seus cuidados as relíquias de Santo André, no século IV, foi avisado por um anjo, num sonho, para pegar parte das relíquias e levá-las para um lugar que lhes seria indicado. Ele fez conforme lhe fora pedido, e seguiu em direção ao noroeste “em direção aos confins da terra”, até que, a um sinal dado, o anjo o fez parar no lugar que nós chamamos Saint Andrews, onde ele construiu uma igreja para abrigá-las, foi feito o primeiro bispo da mesma igreja e evangelizou os habitantes do lugar durante trinta anos. Esta história pode ter tido sua origem no século VII. Uma festa do traslado das relíquias é celebrada na arquidiocese de Saint Andrews no dia 9 de maio.

A Igreja também celebra neste dia a memória dos santos: Troiano e Justina.

 

Fonte: Franciscanos.org.br