(49) 3442.0358

Liturgia diária › 30/12/2016

Sagrada Família de Jesus, Maria e José

egito-5030 de Dezembro de 2016

Cor litúrgica: Branca

1ª Leitura (Eclo 3,3-7.14-17a) (gr.2-6.12-14)

Quem teme o Senhor, honra seus pais.

Leitura do Livro do Eclesiástico
Deus honra o pai nos filhos
e confirma, sobre eles, a autoridade da mãe.
Quem honra o seu pai,
alcança o perdão dos pecados;
evita cometê-los
e será ouvido na oração quotidiana.
Quem respeita a sua mãe
é como alguém que ajunta tesouros.
Quem honra o seu pai,
terá alegria com seus próprios filhos;
e, no dia em que orar, será atendido.
Quem respeita o seu pai, terá vida longa,
e quem obedece ao pai é o consolo da sua mãe.
Meu filho, ampara o teu pai na velhice
e não lhe causes desgosto enquanto ele vive.
Mesmo que ele esteja perdendo a lucidez,
procura ser compreensivo para com ele;
não o humilhes, em nenhum dos dias de sua vida,
a caridade feita a teu pai não será esquecida,
mas servirá para reparar os teus pecados
ae, na justiça, será para tua edificação.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Salmo 127

R. Felizes os que temem o Senhor e trilham seus caminhos!

Feliz és tu se temes o Senhor*
e trilhas seus caminhos!
Do trabalho de tuas mãos hás de viver,*
serás feliz, tudo irá bem!

A tua esposa é uma videira bem fecunda*
no coração da tua casa;
os teus filhos são rebentos de oliveira*
ao redor de tua mesa.

Será assim abençoado todo homem*
que teme o Senhor.
O Senhor te abençoe de Sião,*
cada dia de tua vida.


2ª Leitura (Cl 3,12-21)

A vida da família no Senhor.

Leitura da Carta de São Paulo aos Colossenses
Irmãos:
Vós sois amados por Deus,
sois os seus santos eleitos.
Por isso, revesti-vos de sincera misericórdia,
bondade, humildade, mansidão e paciência,
suportando-vos uns aos outros
e perdoando-vos mutuamente,
se um tiver queixa contra o outro.
Como o Senhor vos perdoou,
assim perdoai vós também.
Mas, sobretudo, amai-vos uns aos outros,
pois o amor é o vínculo da perfeição.
Que a paz de Cristo reine em vossos corações,
à qual fostes chamados como membros de um só corpo.
E sede agradecidos.
Que a palavra de Cristo, com toda a sua riqueza,
habite em vós.
Ensinai e admoestai-vos uns aos outros com toda a
sabedoria.
Do fundo dos vossos corações, cantai a Deus
salmos, hinos e cânticos espirituais,
em ação de graças.
Tudo o que fizerdes, em palavras ou obras,
seja feito em nome do Senhor Jesus Cristo.
Por meio dele dai graças a Deus, o Pai.
Esposas, sede solícitas para com vossos maridos,
como convém, no Senhor.
Maridos, amai vossas esposas
e não sejais grosseiros com elas.
Filhos, obedecei em tudo aos vossos pais,
pois isso é bom e correto no Senhor.
Pais, não intimideis os vossos filhos,
para que eles não desanimem.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Evangelho (Mt 2,13-15.19-23)

Levanta-te, pega o menino e
sua mãe foge para o Egito.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus
Depois que os magos partiram,
o Anjo do Senhor apareceu em sonho a José e lhe disse:
‘Levanta-te, pega o menino e sua mãe e foge para o
Egito! Fica lá até que eu te avise!
Porque Herodes vai procurar o menino para matá-lo.’
José levantou-se de noite, pegou o menino e sua mãe,
e partiu para o Egito.
Ali ficou até à morte de Herodes,
para se cumprir o que o Senhor havia dito pelo profeta:
‘Do Egito chamei o meu Filho.’
Quando Herodes morreu,
o anjo do Senhor apareceu em sonho a José, no Egito,
e lhe disse: ‘Levanta-te, pega o menino e sua mãe,
e volta para a terra de Israel;
pois aqueles que procuravam matar o menino
já estão mortos.’
José levantou-se, pegou o menino e sua mãe,
entrou na terra de Israel.
Mas, quando soube que Arquelau reinava na Judéia,
no lugar de seu pai Herodes, teve medo de ir para lá.
Por isso, depois de receber um aviso em sonho,
José retirou-se para a região da Galiléia,
e foi morar numa cidade chamada Nazaré.
Isso aconteceu para se cumprir o que foi dito pelos
profetas:
Ele será chamado Nazareno.’
– Palavra da Salvação.
– Gloria a Vós, Senhor.


Santo Do Dia

rugeroSão Rugero

Rugero nasceu entre 1060 e 1070, na célebre e antiga cidade italiana de Cane. O seu nome, de origem normanda, sugere que seja essa a sua origem. Além dessas poucas referências imprecisas, nada mais se sabe sobre sua vida na infância e juventude. Mas ele era respeitado, pelos habitantes da cidade, como um homem trabalhador, bom, caridoso e muito penitente. Quando o bispo de Cane morreu, os fiéis quiseram que Rugero ficasse no seu lugar de pastor. E foi o que aconteceu: aos trinta anos de idade, ele foi consagrado bispo de Cane.

No século II, essa cidade havia sido destruída pelo imperador Aníbal, quando expulsou o exército romano. Depois, ela retomou sua importância no período medieval, sendo até mesmo uma sede episcopal. No século XI, mais precisamente em 1083, por causa da rivalidade entre o conde de Cane e o duque de Puglia, localidade vizinha, a cidade ficou novamente em ruínas.

O bispo Rugero assumiu a direção da diocese dentro de um clima de prostração geral.

Assim, depois desse desastre, seu primeiro dever era tratar da sobrevivência da população abatida pelo flagelo das epidemias do pós-guerra. Ele transformou a sua sede numa hospedaria aberta dia e noite, para abrigar viajantes, peregrinos e as viúvas com seus órfãos. Possuindo o dom da cura, socorria a todos, incansável, andando por todos os cantos, descalço. Doava tudo o que fosse possível e a sua carruagem era usada apenas para transportar os doentes e as crianças.

Todavia esse século também foi um período conturbado para a história da Igreja. Com excessivo poder civil estava dividida entre religiosos corruptos e os que viviam em santidade. Rugero estava entre os que entendiam o episcopado como uma missão e não como uma posição de prestígio para ser usada em benefício próprio. Vivia para o seu rebanho, seguindo o ensinamento de são Paulo: “Tudo para todos”.

Por tudo isso e por seus dons de conselho e sabedoria, no seu tempo foi estimado por dois papas: Pascoal II e Celásio II. Para ambos, executou missões delicadas e os aconselhou nas questões das rivalidades internas da Igreja, que tentava iniciar sua renovação.

Entrou rico de merecimentos no Reino de Deus, no dia 30 de dezembro de 1129, em Cane, onde foi sepultado na catedral. Considerado taumaturgo em vida, pelos prodígios que promovia com a força de suas orações, logo depois de sua morte os devotos divulgaram a sua santidade.

No século XVIII, a cidade de Cane praticamente já não existia. A população se transferira para outra mais próspera, Barleta. Mas eles já cultuavam o querido bispo Rugero como santo. Pediram a transferência das suas relíquias para a igreja de Santa Maria Maior, em Barleta. Depois, foi acolhido na sepultura definitiva na igreja do Mosteiro de Santo Estêvão, atual Santuário de São Rugero. Os devotos o veneram no dia de sua morte como o bispo de Cane e o padroeiro de Barleta. Em 1946, são Rugero foi canonizado pela Igreja.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Anísia, Libério e Sabino.

 

Fonte: Franciscanos.org.br