Sábado da 6ª Semana da Páscoa « Paróquia Nossa Senhora do Rosário

(49) 3442.0358

Liturgia diária › 27/05/2017

Sábado da 6ª Semana da Páscoa

paiii27 de Maio de 2017

Cor: Branco

1ª Leitura ( At 18,23-28 )

Apolo demonstrava com as Escrituras que Jesus é o Messias.

Leitura dos Atos dos Apóstolos
Paulo permaneceu algum tempo em Antioquia.
Em seguida, partiu de novo, percorrendo sucessivamente
as regiões da Galácia e da Frígia,
fortalecendo todos os discípulos.
Chegou a Éfeso um judeu chamado Apolo,
natural de Alexandria.
Era homem eloqüente, versado nas Escrituras.
Fora instruído no caminho do Senhor
e, com muito entusiasmo,
falava e ensinava com exatidão a respeito de Jesus,
embora só conhecesse o batismo de João.
Então, ele começou a falar
com muita convicção na sinagoga.
Ao escutá-lo, Priscila e Áquila tomaram-no consigo
e, com mais exatidão, expuseram-lhe o caminho de Deus.
Como ele estava querendo passar para a Acaia,
os irmãos apoiaram-no
e escreveram aos discípulos para que o acolhessem bem.
Pela graça de Deus, a presença de Apolo aí
foi muito útil aos fiéis.
Com efeito, ele refutava vigorosamente os judeus em público,
demonstrando pelas Escrituras que Jesus é o Messias.
 – Palavra do Senhor.
 – Graças a Deus.


Salmo (Sl 46, 2-3. 8-9. 10 (R. 8a)

R. O Senhor é o grande Rei de toda a terra

Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia

 

 

 

Povos todos do universo, batei palmas, *
gritai a Deus aclamações de alegria!
Porque sublime é o Senhor, o Deus Altíssimo, *
o soberano que domina toda a terra. R.

Porque Deus é o grande Rei de toda a terra, *
ao som da harpa acompanhai os seus louvores!
Deus reina sobre todas as nações, *
está sentado no seu trono glorioso.R.

Os chefes das nações se reuniram *
com o povo do Deus santo de Abraão,
pois só Deus é realmente o Altíssimo, *
e os poderosos desta terra lhe pertencem!R.


Evangelho (Jo 16,23b-28)

O Pai vos ama, porque vós me amastes e acreditastes

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
Em verdade, em verdade vos digo:
se pedirdes ao Pai alguma coisa em meu nome,
ele vo-la dará.
Até agora nada pedistes em meu nome;
pedi, e recebereis;
para que a vossa alegria seja completa.
Disse-vos estas coisas em linguagem figurativa.
Vem a hora em que não vos falarei mais em figuras,
mas claramente vos falarei do Pai.
Naquele dia pedireis em meu nome,
e não vos digo que vou pedir ao Pai por vós,
pois o próprio Pai vos ama,
porque vós me amastes
e acreditastes que eu vim da parte de Deus.
Eu saí do Pai e vim ao mundo;
e novamente parto do mundo e vou para o Pai.’
 – Palavra da Salvação.
– Gloria a Vós Senhor.


aouguetttttSanto |Do Dia

Santo Agostinho da Cantuária

Um século após são Patrício ter convertido os irlandeses ao catolicismo, a atuação de Agostinho foi tão importante para a Inglaterra que modificou as estruturas da região da mesma forma que seu antecessor o fizera. No final do século VI, o cristianismo já tinha chegado à poderosa ilha havia dois séculos, mas a invasão dos bárbaros saxões da Alemanha atrasou sua propagação e quase destruiu totalmente o que fora implantado.

Pouco se sabe a respeito da vida de Agostinho antes de ser enviado à Grã-Bretanha. Ele nasceu em Roma, Itália. Era um monge beneditino do mosteiro de Santo André, fundado pelo papa Gregório Magno naquela cidade. E foi justamente esse célebre papa que ordenou o envio de missionários às ilhas britânicas.

Em 597, para lá partiram quarenta monges, todos beneditinos, sob a direção do monge Agostinho. Mas antes ele quis viajar à França, onde se inteirou das dificuldades que a missão poderia encontrar, pedindo informações aos vários bispos que evangelizaram nas ilhas e agora se encontravam naquela região da Europa. Todos desaconselharam a continuidade da missão. Mas, tendo recebido do papa Gregório Magno a informação de que a época era propícia apesar dos perigos, pois o rei de Kent, Etelberto, havia desposado a princesa católica Berta, filha do rei de Paris, ele resolveu, corajosamente, enfrentar os riscos.

A chegada foi triunfante. Assim que desembarcaram, os monges seguiram em procissão ao castelo do rei, tendo a cruz à sua frente e entoando pausadamente cânticos sagrados. Agostinho, com a ajuda de um intérprete, colocou ao rei as verdades cristãs e pediu permissão para pregá-las em seus domínios. Impressionado com a coragem e a sinceridade do religioso, o rei, apesar de todas as expectativas em contrário, deu a permissão imediatamente.

No Natal de 597, mais de dez mil pessoas já tinham recebido o batismo. Entre elas, toda a nobreza da corte, precedida pelo próprio rei Etelberto. Com esse resultado surpreendente, Agostinho foi nomeado arcebispo da Cantuária, primeira diocese fundada por ele.

A notícia chegou ao papa Gregório Magno, que, com alegria, enviou mais missionários à Inglaterra. Assim, Agostinho prosseguiu e ampliou o trabalho de evangelização, fundando as dioceses de Londres e de Rochester. Não conseguiu a conversão de toda a ilha porque a Inglaterra era dividida entre vários reinos rivais, mas as sementes que plantou se desenvolveram no decorrer dos séculos.

Agostinho morreu no dia 25 de maio de 604, sendo sepultado na igreja da Cantuária, que hoje recebe o seu nome e ainda guarda suas relíquias. O Martirológio Romano indica a festa litúrgica de santo Agostinho da Cantuária no dia 27 de maio.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Melângela, Ranulfo e Bruno de Würzburg.
Fonte:Franciscanos.org.com