Sábado da 5ª Semana do Tempo Comum « Paróquia Nossa Senhora do Rosário

(49) 3442.0358

Liturgia diária › 11/02/2017

Sábado da 5ª Semana do Tempo Comum

sati11 de Fevereiro de 2017

Cor: Verde

1ª Leitura (Gn 3,9-24)

E o Senhor Deus o expulsou do jardim de Éden,
para que ele cultivasse a terra.

Leitura do Livro do Gênesis

O Senhor Deus chamou Adão, dizendo:
‘Onde estás?’
E ele respondeu:
‘Ouvi tua voz no jardim,
e fiquei com medo
porque estava nu; e me escondi’.
Disse-lhe o Senhor Deus:
‘E quem te disse que estavas nu?
Então comeste da árvore,
de cujo fruto te proibi comer?’
Adão disse:
‘A mulher que tu me deste por companheira,
foi ela que me deu
do fruto da árvore,
e eu comi’.
Disse o Senhor Deus à mulher:
‘Por que fizeste isso?’
E a mulher respondeu:
‘A serpente enganou-me e eu comi’.
Então o Senhor Deus disse à serpente:
‘Porque fizeste isso, serás maldita
entre todos os animais domésticos
e todos os animais selvagens!
Rastejarás sobre o ventre
e comerás pó todos os dias da tua vida!
Porei inimizade entre ti e a mulher,
entre a tua descendência e a dela.
Esta te ferirá a cabeça
e tu lhe ferirás o calcanhar’.
È mulher ele disse:
‘Multiplicarei os sofrimentos da tua gravidez:
entre dores darás à luz os filhos;
teus desejos te arrastarão para o teu marido,
e ele te dominará’.
E disse em seguida a Adão:
‘Porque ouviste a voz da tua mulher
e comeste da árvore,
de cujo fruto te proibi comer,
amaldiçoado será o solo por tua causa!
Com sofrimento tirarás dele o alimento
todos os dias da tua vida.
Ele produzirá para ti espinhos e cardos
e comerás as ervas da terra;
comerás o pão com o suor do teu rosto
até voltares à terra de que foste tirado,
porque és pó e ao pó hás de voltar’.
E Adão chamou à sua mulher ‘Eva’,
porque ela é a mãe de todos os viventes.
Então o Senhor Deus fez para Adão e sua mulher
túnicas de pele e os vestiu.
Disse, depois, o Senhor Deus:
‘Eis que o homem se tornou como um de nós,
capaz de conhecer o bem e o mal.
Não aconteça, agora, que ele estenda a mão
também à árvore da vida
para comer dela e viver para sempre!’.
E o Senhor Deus o expulsou do jardim de Éden,
para que ele cultivasse a terra donde fora tirado.
Expulsou o homem,
e colocou a oriente do jardim de Éden os querubins,
e a espada lampejante de chamas,
para guardar o caminho da árvore da vida.
 – Palavra do Senhor.
 – Graças a Deus.

 


Salmo (Sl 89, 2. 3-4. 5-6. 12-13. (R.1)

R. Ó Senhor, vós fostes sempre um refúgio para nós.

 

 
Já bem antes que as montanhas fossem feitas+
ou a terra e o mundo se formassem,*
desde sempre e para sempre vós sois Deus.R.

Vós fazeis voltar ao pó todo mortal,*
quando dizeis: ‘Voltai ao pó, filhos de Adão!’
Pois mil anos para vós são como ontem,*
qual vigília de uma noite que passou.R.

Eles passam como o sono da manhã,*
são iguais à erva verde pelos campos:
De manhã ela floresce vicejante,*
mas à tarde é cortada e logo seca.R.

Ensinai-nos a contar os nossos dias,*
e dai ao nosso coração sabedoria!
Senhor, voltai-vos! Até quando tardareis?
Tende piedade e compaixão de vossos servos!R.

 


 

Evangelho (Mc 8,1-10)

Comeram e ficaram satisfeitos.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos

Naqueles dias, havia de novo uma grande multidão
e não tinha o que comer.
Jesus chamou os discípulos e disse:
‘Tenho compaixóo dessa multidão,
porque já faz três dias que está comigo
e não têm nada para comer.
Se eu os mandar para casa sem comer,
vão desmaiar pelo caminho,
porque muitos deles vieram de longe.’
Os discípulos disseram:
‘Como poderia alguém saciá-los de póo aqui no deserto?’
Jesus perguntou-lhes: ‘Quantos póes tendes?’
Eles responderam: ‘Sete.’
Jesus mandou que a multidão se sentasse no chão.
Depois, pegou os sete póes, e deu graças,
partiu-os e ia dando aos seus discípulos,
para que os distribuíssem.
E eles os distribuíam ao povo.
Tinham também alguns peixinhos.
Depois de pronunciar a bênção sobre eles,
mandou que os distribuíssem também.
Comeram e ficaram satisfeitos,
e recolheram sete cestos com os pedaços que sobraram.
Eram quatro mil, mais ou menos.
E Jesus os despediu.
Subindo logo na barca com seus discípulos,
Jesus foi para a região de Dalmanuta.
– Palavra da Salvação.
– Gloria a Vós Senhor.

 


Reflexão (Mc 8, 1-10)

Jesus age por compaixão em relação aos sofrimentos e dificuldades do povo de sua época. Ele ama com amor eterno e o seu amor se transforma em solidariedade, em gesto concreto. Jesus não para diante das dificuldades que são apresentadas, porque sabe que o amor supera todas as dificuldades. Jesus leva as outras pessoas a sentirem compaixão com ele e assim colaborarem na superação dos problemas. Os discípulos colaboram na medida em que organizam o povo e distribuem os pães. Outros contribuem também doando os sete pães, que poderiam garantir o próprio sustento. Assim, a compaixão cria uma rede de solidariedade que supera a fome no deserto.


Santo Do Dia

lurdesNossa Senhora de Lourdes

No dia 11 de fevereiro de 1858 uma menina de 14 anos, Bernadete Soubirous, simples e humilde, que não sabia ler e escrever direito, foi em companhia de uma irmã e de uma vizinha recolher lenha perto de Massabielle. Deviam passar um riacho descalça. Como Bernadete sofresse de asma hesitava em pôr o pé na água fria.

Ouviu um barulho entre as árvores e levantou os olhos. Viu uma senhora com as faces radiantes, vestida de branco, com uma faixa azul, toda sorridente. Recitou com Bernadete um terço, fazendo uso do rosário que trazia sempre consigo. Foi a irmãzinha de Bernadete que revelou aos pais o segredo. Proibiram a volta à gruta. Como a menina não parasse de chorar deixaram-na retornar. A aparição se repetiu no dia 18 de fevereiro.

A senhora sorriu ao gesto da menina que aspergia a rocha com água benta. Depois disse: “Queres ter a bondade de vir aqui durante quinze dias? Não te prometo a felicidade neste mundo, mas no outro.” Durante as aparições a senhora pediu que se rezasse pelos pecadores e convidou os fiéis à penitência.

No dia 25 de fevereiro convidou-a a beber numa fonte, indicando-lhe o lugar. Bernadete arranhou a superfície da terra e começou a verter água que se tomou a fonte milagrosa. A senhora manifestou o desejo de ter ali uma igreja. O pároco, incrédulo, disse a Bernadete: “Dize a essa senhora que diga o seu nome.” A resposta foi: “Eu sou a Imaculada Conceição.” Havia quatro anos apenas que Pio IX proclamara esse dogma. Primeiro houve proibição da parte das autoridades, mas depois o imperador Napoleão III consentiu o acesso à gruta.

Peregrinos de todas as partes do mundo vão buscar o maior dos milagres de Lourdes que é a paz do espírito. Mas houve também numerosos prodígios físicos nesses mais de cem anos de história de Lourdes.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Castrense, Pascoal I e Lúcio

Fonte:Franciscanos.org.com