6ª-feira da 6ª Semana da Páscoa « Paróquia Nossa Senhora do Rosário

(49) 3442.0358

Liturgia diária › 26/05/2017

6ª-feira da 6ª Semana da Páscoa

alegria26 de Maio de 2017

S. Filipe Néri, presbítero, memória

Cor: Branco

1ª Leitura (At 18,9-18)

Nesta cidade há um povo numeroso que me pertence.

Leitura dos Atos dos Apóstolos
Estando Paulo em Corinto,
uma noite, o Senhor disse-lhe em visão:
‘Não tenhas medo; continua a falar e não te cales,
porque eu estou contigo.
Ninguém te porá a mão para fazer mal.
Nesta cidade há um povo numeroso que me pertence.’
Assim Paulo ficou um ano e meio entre eles,
ensinando-lhes a Palavra de Deus.
Na época em que Galião era proncônsul na Acaia,
os judeus insurgiram-se em massa contra Paulo
e levaram-no diante do tribunal,
dizendo: ‘Este homem induz o povo a adorar a Deus
de modo contrário à Lei.’
Paulo ia tomar a palavra,
quando Galião falou aos judeus, dizendo:
‘Judeus, se fosse por causa de um delito
ou de uma ação criminosa,
seria justo que eu atendesse a vossa queixa.
Mas, como é questão de palavras,
de nomes e da vossa Lei,
tratai disso vós mesmos.
Eu não quero ser juiz nessas coisas.’
E Galião mandou-os sair do tribunal.
Então todos agarraram Sóstenes, o chefe da sinagoga,
e espancaram-no diante do tribunal.
E Galião nem se incomodou com isso.
Paulo permaneceu ainda vários dias em Corinto.
Despedindo-se dos irmãos, embarcou para a Síria,
em companhia de Priscila e Áquila.
Em Cencréia, Paulo rapou a cabeça
pois tinha feito uma promessa.
– Palavra do Senhor.
 – Graças a Deus.

 


Salmo (Sl 46, 2-3. 4-5. 6-7 (R. 8a)

R. O Senhor é o grande Rei de toda a terra.

Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia
Povos todos do universo, batei palmas,*
gritai a Deus aclamações de alegria!
Porque sublime é o Senhor, o Deus Altíssimo,*
o soberano que domina toda a terra.R.

Os povos sujeitou ao nosso jugo *
e colocou muitas nações aos nossos pés.
Foi ele que escolheu a nossa herança, *
a glória de Jacó, seu bem-amado.R.

Por entre aclamações Deus se elevou,*
o Senhor subiu ao toque da trombeta.
Salmodiai ao nosso Deus ao som da harpa,*
salmodiai ao som da harpa ao nosso Rei!R.


Evangelho (Jo 16,20-23a)

Ninguém vos poderá tirar a vossa alegria.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
Em verdade, em verdade vos digo:
Vós chorareis e vos lamentareis,
mas o mundo se alegrará;
vós ficareis tristes,
mas a vossa tristeza se transformará em alegria.
A mulher, quando deve dar à luz,
fica angustiada porque chegou a sua hora;
mas, depois que a criança nasceu,
ela já não se lembra dos sofrimentos,
por causa da alegria de um homem ter vindo ao mundo.
Também vós agora sentis tristeza,
mas eu hei de ver-vos novamente
e o vosso coração se alegrará,
e ninguém vos poderá tirar a vossa alegria.
aNaquele dia, não me perguntareis mais nada.
 – Palavra da Salvação.
 – Gloria a Vós senhor.


neriSanto Do Dia

São Filipe Néri

“Contanto que os meninos não pratiquem o mal, eu ficaria contente até se eles me quebrassem paus na cabeça.” Há maior boa vontade em colocar no caminho correto as crianças abandonadas do que nessa disposição? A frase bem-humorada é de Filipe Néri, que assim respondia quando reclamavam do barulho que seus pequenos abandonados faziam, enquanto aprendiam com ele ensinamentos religiosos e sociais.

Nascido em Florença, Itália, em 21 de julho de 1515, Filipe Rômolo Néri pertencia a uma família rica: o pai, Francisco, era tabelião e a mãe, Lucrécia, morreu cedo. Junto com a irmã Elisabete, foi educado pela madrasta. Filipe, na infância, surpreendia pela alegria, bondade, lealdade e inteligência, virtudes que ele soube cultivar até o fim da vida. Cresceu na sua terra natal, estudando e trabalhando com o pai, sem demonstrar uma vocação maior, mesmo frequentando regularmente a igreja.

Aos dezoito anos foi para São Germano, trabalhar com um tio comerciante, mas não se adaptou. Em 1535, aceitou o convite para ser o tutor dos filhos de uma nobre e rica família, estabelecida em Roma. Nessa cidade foi estudar com os agostinianos, filosofia e teologia, diplomando-se em ambas com louvor. No tempo livre praticava a caridade junto aos pobres e necessitados, atividade que exercia com muito entusiasmo e alegria, principalmente com os pequenos órfãos de filiação ou de moral.

Filipe começou a chamar a atenção do seu confessor, que lhe pediu ajuda para fundar a Confraternidade da Santíssima Trindade, para assistir os pobres e peregrinos doentes. Três anos depois, aos trinta e seis anos de idade, ele se consagrou sacerdote, sendo designado para a igreja de São Jerônimo da Caridade.

Tão grande era a sua consciência dos problemas da comunidade que formou um grupo de religiosos e leigos para discutir os problemas, rezar, cantar e estudar o Evangelho. A iniciativa deu tão certo que depois o grupo, de tão numeroso, passou à Congregação de Padres do Oratório, uma ordem secular sem vínculos de votos.

Filipe se preocupou somente com a integração das minorias e a educação dos meninos de rua. Tudo o que fez no seu apostolado foi nessa direção, até mesmo utilizar sua vasta e sólida cultura para promover o estudo eclesiástico. Com seu exemplo e orientação, encaminhou e orientou vários sacerdotes que se destacaram na história da Igreja e depois foram inscritos no livro dos santos.

Mas somente quando completou setenta e cinco anos passou a dedicar-se totalmente ao ministério do confessionário e à direção espiritual. Viveu assim até morrer, no dia 26 de maio de 1595. São Filipe Néri é chamado, até hoje, de “santo da alegria e da caridade”.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Eva de Liége e Maria Ana.

Fonte:Franciscanos.org.com