(49) 3442.0358

Liturgia diária › 25/08/2017

6ª-feira da 20ª Semana do Tempo Comum

Amaras25 de Agosto de 2017

Cor: Verde

1ª Leitura (Rt 1,1.3-6.14b-16.22)

Noemi acompanhada de sua nora Rute,
a moabita, regressou a Belém

Início do Livro de Rute
No tempo em que os juízes governavam,
houve uma fome no país e um homem de Belém de Judá
foi morar nos campos de Moab
com sua mulher e seus dois filhos.
Entretanto, morreu Elimelec, marido de Noemi,
e esta ficou sozinha com seus dois filhos.
Eles casaram-se com mulheres moabitas,
uma das quais se chamava Orfa, a outra, Rute.
E ali permaneceram uns dez anos.
Depois morreram também os dois, Maalon e Quelion
e a mulher ficou só, sem os dois filhos e sem o marido.
Então ela se dispôs a voltar do campo de Moab
para a sua pátria com as duas noras,
porque tinha ouvido dizer
que o Senhor havia olhado para o seu povo,
e lhe tinha dado alimentos.
bOrfa beijou sua sogra e partiu.
Rute, porém, ficou com Noemi.
Esta disse-lhe:
‘Olha, tua cunhada voltou para o seu povo
e para os seus deuses. Vai com ela’.
Mas Rute respondeu:
‘Não insistas comigo para que te deixe
e me afaste de ti.
Porque para onde fores irei contigo,
onde pousares, lá pousarei eu também.
Teu povo será o meu povo,
e o teu Deus será o meu Deus’.
Assim Noemi voltou dos campos de Moab,
acompanhada de sua nora Rute, a moabita.
Regressaram a Belém, quando começava a colheita da cevada.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Salmo (Sl 145,5-6. 7. 8-9a. 9bc-10 (R. 2a)

R. Bendize, ó minha alma, ao Senhor!

Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia

 
É feliz todo homem que busca +
seu auxílio no Deus de Jacó, *
e que põe no Senhor a esperança.
O Senhor fez o céu e a terra, *
fez o mar e o que neles existe.R.

O Senhor faz justiça aos que são oprimidos;
ele dá alimento aos famintos,*
é o Senhor quem liberta os cativos.R.

O Senhor abre os olhos aos cegos*
o Senhor faz erguer-se o caído;
o Senhor ama aquele que é justo*
É o Senhor quem protege o estrangeiro.R.

Ele ampara a viúva e o órfão*
mas confunde os caminhos dos maus.
O Senhor reinará para sempre!
Ó Sião, o teu Deus reinará*
para sempre e por todos os séculos!R.


Evangelho (Mt 22,34-40)

Amarás o Senhor teu Deus, e ao
teu próximo como a ti mesmo.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus

Naquele tempo:
Os fariseus ouviram dizer que Jesus
tinha feito calar os saduceus.
Então eles se reuniram em grupo,
e um deles perguntou a Jesus, para experimentá-lo:
‘Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?’
Jesus respondeu: ‘`Amarás o Senhor teu Deus
de todo o teu coração, de toda a tua alma,
e de todo o teu entendimento!’
Esse é o maior e o primeiro mandamento.
O segundo é semelhante a esse:
`Amarás ao teu próximo como a ti mesmo’.
Toda a Lei e os profetas
dependem desses dois mandamentos.
 – Palavra da Salvação
– Gloria a Vós Senhor.


ApioSanto Do Dia

São Luís IX

A Ordem Franciscana celebra hoje, 25 de agosto, São Luís, rei da França. Padroeiro da Ordem Franciscana Secular (1215-1270), foi canonizado por Bonifácio VIII no dia 11 de agosto de 1297.

Luís IX, rei da França, nasceu aos 25 de abril de 1215. Foi educado rigidamente por sua mãe Branca de Castela e por ela encaminhado à santidade. Começou a ser rei da França em 1226. Casado com Margarida de Provença, ele impôs-se por toda vida exercício diário de piedade e penitência em meio de uma corte elegante e pomposa. Viveu na corte como o mais rígido monastério e tomou a todo o país como campo de sua inesgotável caridade. Quando o qualificavam de demasiado liberal com os pobres, respondia: “prefiro que meus gastos excessivos estejam constituídos por luminoso amor de Deus, e não por luxos para a vã glória do mundo”.

Sensível e justo, concedia audiência a todos debaixo do célebre bosque de Vincennes. Admirava-lhes sua serena justiça, objetiva supremo de seu reinado. A seu primogênito e herdeiro lhe disse uma vez: “preferiria que um escocês viesse da Escócia e governasse o reino bem e com lealdade, e não que tu meu filho, o governasse mal”. Toda sua vida sonhou em poder liberar a Terra Santa das mãos dos turcos. Por uma primeira cruzada promovida por ele terminou em fracasso. O exército cristão foi derrotado e dizimado pela peste. O rei caiu prisioneiro e a sua precisão foi o único resultado da expedição. As virtudes do rei impressionaram profundamente os muçulmanos, que o apontaram “o sultão justo”.

Em uma segunda expedição ao Oriente, em 1270,  o Rei morreu aos 55 anos, vítima do tifo, mas não antes sem  dizer ao Sultão de Túnez: “Estou resoluto a passar toda minha vida de prisioneiro dos sarracenos sem voltar a ver a luz, contanto que tu e teu povo possais fazer-se cristãos”.

Os cruzados voltaram para a França trazendo o corpo do rei Luís IX, que já tinha fama e odor de santidade. O seu túmulo tornou-se um local de intensa peregrinação, onde vários milagres foram observados. Assim, em 1297, o papa Bonifácio VIII declarou santo Luís IX, rei da França, mantendo o culto já existente no dia de sua morte.

Fonte:Franciscanos.or.com