6ª-feira da 19ª Semana do Tempo Comum « Paróquia Nossa Senhora do Rosário

(49) 3442.0358

Liturgia diária › 18/08/2017

6ª-feira da 19ª Semana do Tempo Comum

afariseus118 de Agosto de 2017

Cor: Verde

1ª Leitura (Js 24,1-13)

Tirei vossos pais dos confins da Mesopotâmia,
depois vos fiz sair do Egito e vos dei uma terra.

Leitura do Livro de Josué
Naqueles dias:
Josué reuniu em Siquém todas as tribos de Israel
e convocou os anciãos, os chefes,
os juízes e os magistrados,
que se apresentaram diante de Deus.
Então Josué falou a todo o povo:
‘Assim diz o Senhor, Deus de Israel:
Vossos pais, Taré, pai de Abraão e de Nacor
habitaram outrora do outro lado do rio Eufrates
e serviram a deuses estranhos.
Mas eu tirei Abraão, vosso pai,
dos confins da Mesopotâmia,
e o conduzi através de toda a terra de Canaã,
e multipliquei a sua descendência.
Dei-lhe Isaac,
e a este dei Jacó e Esaú.
E a Esaú, um deles, dei em propriedade o monte Seir;
Jacó, porém, e seus filhos desceram para o Egito.
Em seguida, enviei Moisés e Aarão
e castiguei o Egito com prodígios que realizei em seu meio,
e depois disso vos tirei de lá.
Fiz, portanto, que vossos pais saíssem do Egito,
e assim chegastes ao mar.
Os egípcios perseguiram vossos pais,
com carros e cavaleiros,
até ao mar Vermelho.
Vossos pais clamaram então ao Senhor,
e ele colocou trevas entre vós e os egípcios.
Depois trouxe sobre estes o mar, que os recobriu.
Vossos olhos viram todas as coisas que eu fiz no Egito
e habitastes no deserto muito tempo.
Eu vos introduzi na terra dos amorreus
que habitavam do outro lado do rio Jordão.
E, quando guerrearam contra vós,
eu os entreguei em vossas mãos,
e assim ocupastes a sua terra
e os exterminastes.
Levantou-se então Balac, filho de Sefor, rei de Moab,
e combateu contra Israel,
e mandou chamar Balaão, filho de Beor,
para que vos amaldiçoasse.
Eu, porém, não o quis ouvir.
Ao contrário, abençoei-vos por sua boca,
e vos livrei de suas mãos.
A seguir, atravessastes o Jordão e chegastes a Jericó.
Mas combateram contra vós os habitantes desta cidade
os amorreus, os fereseus, os cananeus, os hititas,
os gergeseus, os heveus e os jebuseus.
Eu, porém, entreguei-os em vossas mãos.
Enviei à vossa frente vespões
que os expulsaram da vossa presence
os dois reis dos amorreus –
e isso não com a tua espada
nem com o teu arco.
Eu vos dei uma terra que não lavrastes,
cidades que não edificastes, e nelas habitais,
vinhas e olivais que não plantastes, e comeis de seus frutos.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Salmo (Sl 135,1-3. 16-18. 21-22.24 

R. Eterna é a sua misericórdia!
Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia

 

Demos graças ao Senhor, porque ele é bom: *
Porque eterno é seu amor!
Demos graças ao Senhor, Deus dos deuses: *
Porque eterno é seu amor!
Demos graças ao Senhor dos senhores: *
Porque eterno é seu amor!R.

Ele guiou pelo deserto o seu povo: *
Porque eterno é seu amor!
E feriu por causa dele grandes reis: *
Porque eterno é seu amor!
Reis poderosos fez morrer por causa dele: *
Porque eterno é seu amor!R.

Repartiu a terra deles como herança: *
Porque eterno é seu amor!
Como herança a Israel, seu servidor: *
Porque eterno é seu amor!
De nossos inimigos libertou-nos: *
Porque eterno é seu amor!R.


Evangelho (Mt 19,3-12)

Moisés permitiu despedir a mulher,
por causa da dureza do vosso coração.
Mas não foi assim desde o início.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo:
Alguns fariseus aproximaram-se de Jesus,
e perguntaram, para o tentar:
‘É permitido ao homem despedir sua esposa
por qualquer motivo?’
Jesus respondeu:
‘Nunca lestes que o Criador,
desde o início os fez homem e mulher?
E disse: ‘Por isso, o homem deixará pai e mãe,
e se unirá à sua mulher, e os dois serão uma só carne’?
De modo que eles já não são dois, mas uma só carne.
Portanto, o que Deus uniu, o homem não separe.’
Os fariseus perguntaram:
‘Então, como é que Moisés mandou dar certidão de divórcio
e despedir a mulher?’
Jesus respondeu:
‘Moisés permitiu despedir a mulher,
por causa da dureza do vosso coração.
Mas não foi assim desde o início.
Por isso, eu vos digo:
quem despedir a sua mulher
– a não ser em caso de união ilegítima –
e se casar com outra, comete adultério.’
Os discípulos disseram a Jesus:
‘Se a situação do homem com a mulher é assim,
não vale a pena casar-se.’
Jesus respondeu:
‘Nem todos são capazes de entender isso,
a não ser aqueles a quem é concedido.
Com efeito, existem homens incapazes para o casamento,
porque nasceram assim;
outros, porque os homens assim os fizeram;
outros, ainda, se fizeram incapazes disso
por causa do Reino dos Céus.
Quem puder entender, entenda.’
– Palavra da Salvação.
– Gloria a Vós Senhor.


AlenaSanto Do Dia

Santa Helena

Santa Helena Santa Helena nasceu, tanto quanto se pode determinar, em Drepanum, na Bitínia, talvez fosse filha de um estalajadeiro. Mais ou menos lá por 270, o general romano Constâncio Cloro a encontrou lá, e, apesar da sua origem humilde, casou-se com ela. Mas quando foi feito Caesar, persuadiram-no a divorciar-se dela e casar-se com Teodora, enteada do Imperador Maximiano. Isso era possível porque a lei romana não reconhecia o casamento entre nobres e plebeus. Alguns anos antes, Helena tinha dado à luz, em Naisso (Nish, na Sérvia), a Constantino Magno, que tinha uma grande consideração e afeição pela mãe, e mais tarde lhe concedeu o título de “Nobilissima Femina”, mudando o nome do lugar onde ela nasceu para Helenópolis.

Com a morte do pai em 306, Constantino mandou buscar a mãe para junto de si na Corte. Ela já se havia convertido e tornado uma cristã fervorosa e piedosa.

O jovem Constantino, auxiliado pela sabedoria de Helena, conseguiu assumir o trono como o legítimo sucessor do pai. Primeiro, tornou-se governador; depois, o supremo e incontestável imperador de Roma, recebendo o nome de Constantino, o Grande. Para tanto, teve de vencer seu pior adversário, Maxêncio, na histórica batalha travada, em 312, às portas de Roma.

Conta a história que, durante a batalha contra Maxêncio, seu exército estava em desvantagem. Influenciado por Helena, que tentava convertê-lo, Constantino teve uma visão. Apareceu-lhe uma cruz luminosa no céu com os seguintes dizeres: “Com este sinal vencerás”. Imediatamente, mandou pintar a cruz em todas as bandeiras e, milagrosamente, venceu a batalha. Nesse mesmo dia, o imperador mandou cessar, imediatamente, toda e qualquer perseguição contra os cristãos e editou o famoso decreto de Milão, em 313, pelo qual concedeu liberdade de culto aos cristãos e deu a Helena o honroso título de “Augusta”.

Helena passou a dedicar-se à expansão da evangelização e crescimento do cristianismo em todos os domínios romanos. À custa do Império, patrocinou a construção de igrejas católicas nos lugares dos templos pagãos, de mosteiros de monges e monjas e ajudou a organizar as obras de assistência aos pobres e doentes. Depois, apesar de idosa e cansada, foi em peregrinação para a Palestina, visitar os lugares da Paixão de Cristo. Lá supervisionou a construção das importantes basílicas erguidas nos lugares santos, dentre elas a da Natividade e a do Santo Sepulcro, que existem até hoje. Conta a tradição que Helena ajudou, em Jerusalém, o bispo Macário a identificar a verdadeira cruz de Jesus, quando as três foram encontradas. Para isso, levaram ao local uma mulher agonizante, que se curou milagrosamente ao tocar aquela que era a verdadeira.

Pressentindo que o fim estava próximo, voltou para junto de seu filho, Constantino, morrendo em seus braços, aos oitenta anos de idade, num ano incerto entre 328 e 330. O culto a santa Helena, celebrado no dia 18 de agosto, é um dos mais antigos da Igreja Católica. Algumas de suas relíquias são veneradas na basílica dedicada a ela em Roma.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Santo Alberto Hurtado, Angelo d’Agostini e Firmino.

Conheça Santo Alberto Hurtado, santo chileno cuja memória é celebrada hoje.
Fonte:Franciscanos.org.com