(49) 3442.0358

Liturgia diária › 14/07/2017

6ª-feira da 14ª Semana do Tempo Comum

vivi 14 de Julho de 2017

Cor: Verde

1ª Leitura (Gn 46,1-7.28-30)

Agora, morrerei contente,
porque vi a tua face e te deixo com vida.

Leitura do Livro do Gênesis
Naqueles dias:
Israel partiu com tudo o que tinha.
Ao chegar a Bersabéia, ofereceu sacrifícios
ao Deus de seu pai Isaac.
Deus falou a Israel em visão noturna, dizendo-lhe:
‘Jacó! Jacó!’.
Ele respondeu: ‘Aqui estou!’
E Deus lhe falou: ‘Eu sou Deus, o Deus de teu pai:
não tenhas medo de descer ao Egito,
pois lá farei de ti uma grande nação.
Eu mesmo descerei contigo ao Egito
e te reconduzirei de lá quando voltares;
e é José que te fechará os olhos’.
Jacó levantou-se e deixou Bersabéia,
e seus filhos o puseram, com as crianças e as mulheres,
sobre os carros que o Faraó enviara para os transportar.
Levaram, também, tudo o que possuíam na terra de Canaã;
e foram para o Egito, Jacó com toda a sua família,
com seus filhos e netos, suas filhas e toda a sua
descendência.
Jacó enviou Judá na frente
para avisar José e fazê-lo vir ao seu encontro em Gessen.
E chegaram à terra de Gessen.
José mandou atrelar seu carro
e subiu a Gessen ao encontrou do pai.
Logo que o viu, lançou-se ao seu pescoço
e, abraçado a ele, chorou longamente.
Israel disse a José:
‘Agora, morrerei contente,
porque vi a tua face e te deixo com vida’.
Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Salmo – Sl 36,3-4. 18-19. 27-28. 39-40 (R. 39a)

R. A salvação vem de Deus!

Confia no Senhor e faze o bem, *
e sobre a terra habitarás em segurança.
Coloca no Senhor tua alegria, *
e ele dará o que pedir teu coração.R.

O Senhor cuida da vida dos honestos, *
e sua herança permanece eternamente.
Não serão envergonhados nos maus dias, *
mas nos tempos de penúria, saciados.R.

Afasta-te do mal e faze o bem, *
e terás tua morada para sempre.
Porque o Senhor Deus ama a justiça, *
e jamais ele abandona os seus amigos.
Os malfeitores hão de ser exterminados, *
e a descendência dos malvados destruída;R.


Evangelho (Mt 10,16-23)

Não sereis vós que havereis de falar,
mas sim o Espírito do vosso Pai.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
Eis que eu vos envio como ovelhas no meio de lobos.
Sede, portanto, prudentes como as serpentes
e simples como as pombas.
Cuidado com os homens,
porque eles vos entregarão aos tribunais
e vos açoitarão nas suas sinagogas.
Vós sereis levados
diante de governadores e reis, por minha causa,
para dar testemunho diante deles e das nações.
Quando vos entregarem,
não fiqueis preocupados como falar ou o que dizer.
Entóo naquele momento vos será indicado o que deveis dizer.
Com efeito, não sereis vós que havereis de falar,
mas sim o Espírito do vosso Pai
é que falará através de vós.
O irmão entregará à morte o próprio irmóo;
o pai entregará o filho;
os filhos se levantarão contra seus pais, e os matarão.
Vós sereis odiados por todos, por causa do meu nome.
Mas quem perseverar até o fim, esse será salvo.
Quando vos perseguirem numa cidade, fugi para outra.
Em verdade vos digo,
vós não acabareis de percorrer as cidades de Israel,
antes que venha o Filho do Homem.
Palavra da Salvação.
– Gloria a vós Senhor.


leeSanto do Dia.

São Camilo de Léllis

São Camilo de Léllis Camila Compelli e João de Lellis eram já idosos quando o filho foi anunciado. Ele, um militar de carreira, ficou feliz, embora passasse pouco tempo em casa. Ela também, mas um pouco constrangida, por causa dos quase sessenta anos de idade. Do parto difícil, nasceu Camilo, uma criança grande e saudável, apenas de tamanho acima da média. Ele nasceu no dia 25 de maio de 1550, na pequena Bucchianico, em Chieti, no Sul da Itália.

Cresceu e viveu ao lado da mãe, uma boa cristã, que o educou dentro da religião e dos bons costumes. Ela morreu quando ele tinha treze anos de idade. Camilo não gostava de estudar e era rebelde. Foi então residir com o pai, que vivia de quartel em quartel, porque, viciado em jogo, ganhava e perdia tudo o que possuía. Apesar do péssimo exemplo, era um bom cristão e amava o filho. Percebendo que Camilo, aos quatorze anos, não sabia nem ler direito, colocou-o para trabalhar como soldado. O jovem, devido à sua grande estatura e físico atlético, era requisitado para os trabalhos braçais e nunca passou de soldado, por falta de instrução.

Tinha dezenove anos de idade quando o pai morreu e deixou-lhe como herança apenas o punhal e a espada. Na ocasião, Camilo já ganhara sua própria fama, de jogador fanático, briguento e violento, era um rapaz bizarro. Em 1570, após uma conversa com um frade franciscano, sentiu-se atraído a ingressar na Ordem, mas foi recusado, porque apresentava uma úlcera no pé. Ele então foi enviado para o hospital de São Tiago, em Roma, que diagnosticou o tumor incurável.

Sem dinheiro para o tratamento, conseguiu ser internado em troca do trabalho como servente. Mesmo assim, afundou-se no jogo e foi posto na rua. Sabendo que o mosteiro dos capuchinhos estava sendo construído, ofereceu-se como ajudante de pedreiro e foi aceito.

O contato com os franciscanos foi fundamental para sua conversão.

Um dia, a caminho do trabalho, teve uma visão celestial, nunca revelada a ninguém. Estava com vinte e cinco anos de idade, largou o jogo e pediu para ingressar na Ordem dos Franciscanos. Não conseguiu, por causa de sua ferida no pé.

Mas os franciscanos o ajudaram a ser novamente internado no hospital de São Tiago, que, passados quatro anos, estava sob a sua direção. Camilo, já tocado pela graça, dessa vez, além de tratar a eterna ferida passou a cuidar dos outros enfermos, como voluntário. Mas preferia assistir aos doentes mais repugnantes e terminais, pois percebeu que os funcionários, apesar de bem remunerados, abandonavam-nos à própria sorte, deixando-os passar privações e vexames.

Neles, Camilo viu o próprio Cristo e por eles passou a viver. Em 1584, sob orientação do amigo e contemporâneo, também fundador e santo, padre Filipe Néri, constituiu uma irmandade de voluntários para cuidar dos doentes pobres e miseráveis, depois intitulada Congregação dos Ministros Camilianos. Ainda com a ajuda de Filipe Néri, estudou e vestiu o hábito negro com a cruz vermelha de sua própria Ordem, pois sua congregação, em 1591, recebeu a aprovação do Vaticano, sendo elevada à categoria de ordem religiosa.

Eleito para superior, dirigiu por vinte anos sua Ordem dos padres enfermeiros, dizem que com “mão de ferro” e a determinação militar recebida na infância e juventude. Depois, os últimos sete anos de vida preferiu ficar ensinado como os doentes deviam ser tratados e conviver entre eles. Mesmo sofrendo terríveis dores nos pés, Camilo ia visitar os doentes em casa e, quando necessário, chegava a carregá-los nas costas para o hospital. Nessa hora, agradecia a Deus a estatura física que lhe dera.

Recebeu o dom da cura pelas palavras e orações, logo a sua fama de padre milagreiro correu entre os fiéis, que, ricos e pobres, procuravam sua ajuda. Era um homem muito querido em toda a Itália, quando morreu em 14 de julho de 1614. Foi canonizado em 1746. São Camilo de Lellis, em1886, foi declarado Padroeiro dos Enfermos, dos Doentes e dos Hospitais.

Fonte:Franciscanos.org.com