5º Domingo do Tempo Comum « Paróquia Nossa Senhora do Rosário

(49) 3442.0358

Liturgia diária › 04/02/2017

5º Domingo do Tempo Comum

luz22045 de Fevereiro de 2017

Cor: Verde

1ª Leitura – (ZIs 58,7-10)

A tua luz brilhará como a aurora.

Leitura do Livro do Profeta Isaías
Assim diz o Senhor:
Reparte o pão com o faminto,
acolhe em casa os pobres e peregrinos.
Quando encontrares um nu, cobre-o,
e não desprezes a tua carne.
Então, brilhará tua luz como a aurora
e tua saúde há de recuperar-se mais depressa;
à frente caminhará tua justiça
e a glória do Senhor te seguirá.
Então invocarás o Senhor e ele te atenderá,
pedirás socorro, e ele dirá: ‘Eis-me aqui’.
Se destruíres teus instrumentos de opressão,
e deixares os hábitos autoritários
e a linguagem maldosa;
se acolheres de coração aberto o indigente
e prestares todo o socorro ao necessitado,
nascerá nas trevas a tua luz
e tua vida obscura será como o meio-dia.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Salmo (Sl 111,4-5.6-7.8a.9 (R.4b.3b)

R. Uma luz brilha nas trevas para o justo,
permanece para sempre o bem que fez.

Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia.
Ele é correto, generoso e compassivo,*
como luz brilha nas trevas para os justos.
Feliz o homem caridoso e prestativo,*
que resolve seus negócios com justiça.R.

Porque jamais vacilará o homem reto,*
sua lembrança permanece eternamente!
Ele não teme receber notícias más:*
confiando em Deus, seu coração está seguro.R.

aSeu coração está tranqüilo e nada teme*
Ele reparte com os pobres os seus bens,
permanece para sempre o bem que fez*
e crescerão a sua glória e seu poder.R.


2ª Leitura (1Cor 2,1-5)

Anunciei entre vós o mistério
de Cristo crucificado.

Leitura da Primeira Carta de Sóo Paulo aos Coríntios
Irmóos, quando fui à vossa cidade
anunciar-vos o mistério de Deus,
nóo recorri a uma linguagem elevada
ou ao prestígio da sabedoria humana.
Pois, entre vós, nóo julguei saber coisa alguma,
a nóo ser Jesus Cristo,
e este, crucificado.
Aliás, eu estive junto de vós,
com fraqueza e receio, e muito tremor.
Também a minha palavra e a minha pregação
nóo tinham nada dos discursos persuasivos da sabedoria,
mas eram uma demonstraçóo do poder do Espírito,
para que a vossa fé se baseasse no poder de Deus
e nóo na sabedoria dos homens.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Evangelho (Mt 5,13-16)

Vós sois a luz do mundo.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus
Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos:
Vós sois o sal da terra.
Ora, se o sal se tornar insosso,
com que salgaremos?
Ele não servirá para mais nada,
senão para ser jogado fora e ser pisado pelos homens.
Vós sois a luz do mundo.
Não pode ficar escondida uma cidade
construída sobre um monte.
Ninguém acende uma lâmpada, e a coloca
debaixo de uma vasilha, mas sim, num candeeiro,
onde brilha para todos que estão na casa.
Assim também brilhe a vossa luz diante dos homens,
para que vejam as vossas boas obras
e louvem o vosso Pai que está nos céus.
– Palavra da Salvação.
– Gloria a Vós Senhor.


Santo Do Dia

agata 2Santa Ágata

Ágata é nome derivado de agios, “santo”, e de Theos, “Deus”, significando, portanto, “santa de Deus”. Ela teve as três qualidades que fazem os santos, como diz Crisóstomo: pureza de coração, presença do Espírito Santo e abundância de boas obras.

Santa Águeda, como também era chamada, era italiana, nasceu por volta do ano 230 na Catânia e pertencia à uma família nobre e rica.

Muito bela, ainda na infância prometeu se manter casta para servir a Deus, na pobreza e humildade. Não quebrar essa promessa lhe custou a vida, porque o governador da Sicília se interessou pela casta jovem e a pediu em casamento. Águeda, recusou o convite, expondo seus motivos religiosos. Enraivecido, o político a enviou ao tribunal que a entregou a uma mulher de má conduta para desviá-la de Deus. Como isso não aconteceu, ela foi entregue aos carrascos para que fosse morta, por ser cristã.

As torturas narradas pelas quais passou a virgem são de arrepiar e estarrecer. Depois de esbofeteada e chicoteada, Águeda foi colocada sobre chapas de cobre em brasa e, posteriormente, mandada de volta à prisão.

Neste retorno, ela teve a graça de “ver” o Apóstolo São Pedro, o que a revitalizou na fé. Seus carrascos que esperavam vê-la fraquejar em suas convicções se surpreenderam com sua firmeza na fé, por isso a submeteram à outras cruéis torturas, desta vez com o desconjuntamento dos ossos e o dilaceramento dos seios. Foi arrastada por sobre cacos de vidros e carvões em brasa.

Depois de passar por esses tormentos, foi conduzida ao cárcere e ali morreu, enquanto rezava pedindo à Deus para parar a erupção do vulcão Etna, que iniciara bem na hora do seu martírio. Assim que ela expirou, o vulcão se aquietou e as lavas cessaram. Até hoje o povo costuma pedir a sua intercessão para protegê-lo contra a lava do vulcão Etna, sempre que este começa a ameaçá-los. Santa Águeda é invocada contra os perigos do incêndio.

O martírio de Águeda aconteceu durante o império de Décio, no seu terceiro consulado, no ano de 251. Santa Águeda é uma das santas mais populares da Itália, e uma das mais conhecidas mártires do cristianismo dos primeiros séculos. Apenas Roma chegou a ter doze igrejas dedicadas a ela.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Genuíno e Adelaide de Vilich.

 
Fonte: Franciscanos.org.com