5ª-feira da 6ª Semana do Tempo Comum « Paróquia Nossa Senhora do Rosário

(49) 3442.0358

Liturgia diária › 16/02/2017

5ª-feira da 6ª Semana do Tempo Comum

messias16 de Fevereiro de 2017

Cor: Verde

1ª Leitura (Gn 9,1-13)

Ponho meu arco nas nuvens
como sinal de aliança entre mim e a terra.

 Leitura do Livro do Gênesis
Deus abençoou Noé e seus filhos, dizendo-lhes:
‘Sede fecundos, multiplicai-vos e enchei a terra.
Vós sereis objeto de medo e terror
para todos os animais da terra, todas as aves do céu,
tudo o que se move sobre a terra
e todos os peixes do mar:
eis que os entrego todos em vossas mãos.
Tudo o que vive e se move vos servirá de alimento.
Entrego-vos tudo, como já vos dei os vegetais.
Contudo, não deveis comer carne com sangue, que é sua vida.
Da mesma forma, pedirei contas do vosso sangue, que é vida,
a qualquer animal.
E ao homem pedirei contas da vida do homem, seu irmão.
Quem derramar sangue humano,
por mãos de homem terá seu sangue derramado,
porque o homem foi feito à imagem de Deus.
Quanto a vós, sede fecundos e multiplicai-vos,
enchei a terra e dominai-a’.
Disse Deus a Noé e a seus filhos:
‘Eis que vou estabelecer minha aliança convosco
e com vossa descendência,
com todos os seres vivos que estão convosco:
aves, animais domésticos e selvagens,
enfim, com todos os animais da terra,
que saíram convosco da arca.
Estabeleço convosco a minha aliança:
nenhuma criatura será mais exterminada pelas águas do dilúvio,
e não haverá mais dilúvio para devastar a terra’.
E Deus disse:
‘Este é o sinal da aliança que coloco entre mim e vós,
e todos os seres vivos que estão convosco,
por todas as gerações futuras.
Ponho meu arco nas nuvens
como sinal de aliança entre mim e a terra.
 – Palavra do Senhor.
 – Graças a Deus.


Salmo (Sl 101, 16-18. 19-21. 29.22-23 (R. 20b)

R. O Senhor olhou a terra do alto céu.

 

 

As nações respeitarão o vosso nome, *
e os reis de toda a terra, a vossa glória;
quando o Senhor reconstruir Jerusalém *
e aparecer com gloriosa majestade,
ele ouvirá a oração dos oprimidos *
e não desprezará a sua prece.R.

Para as futuras gerações se escreva isto, *
e um povo novo a ser criado louve a Deus.
Ele inclinou-se de seu templo nas alturas, *
e o Senhor olhou a terra do alto céu,
para os gemidos dos cativos escutar *
e da morte libertar os condenados.R.

Assim também a geração dos vossos servos +
terá casa e viverá em segurança, *
e ante vós se firmará sua descendência.
Para que cantem o seu nome em Sião *
e louve ao Senhor Jerusalém,
quando os povos e as nações se reunirem *
e todos os impérios o servirem.R.


 

Evangelho (Mc 8,27-33)

Tu és o Messias…
E começou a ensiná-los, dizendo
que o Filho do Homem devia sofrer muito.

 + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos
Naquele tempo:
Jesus partiu com seus discípulos
para os povoados de Cesaréia de Filipe.
No caminho perguntou aos discípulos:
‘Quem dizem os homens que eu sou?’
Eles responderam:
‘Alguns dizem que tu és João Batista;
outros que és Elias; outros, ainda, que és um dos profetas.’
Então ele perguntou:
‘E vós, quem dizeis que eu sou?’
Pedro respondeu:
‘Tu és o Messias.’
Jesus proibiu-lhes severamente
de falar a alguém a seu respeito.
Em seguida, começou a ensiná-los, dizendo
que o Filho do Homem devia sofrer muito,
ser rejeitado pelos anciãos,
pelos sumos sacerdotes e doutores da Lei,
devia ser morto, e ressuscitar depois de três dias.
Ele dizia isso abertamente.
Então Pedro tomou Jesus à parte
e começou a repreendê-lo.
Jesus voltou-se, olhou para os discípulos
e repreendeu a Pedro, dizendo:
‘Vai para longe de mim, Satanás!’
Tu não pensas como Deus,
e sim como os homens.’
 – Palavra da Salvação.
 – Gloria a Vós Senhor.


Reflexão (Mc 8, 27-33) 

A resposta que damos à pergunta que Jesus faz aos discípulos e a cada um de nós no Evangelho de hoje mostra principalmente o significado que ele tem em nossas vidas e exige coerência no relacionamento que nós temos com ele. Para Pedro, Jesus é o Messias, o enviado de Deus, o Ungido, o Salvador, mas Pedro é incoerente no relacionamento, pois não quer submeter-se a ele e aceitar os caminhos da salvação. Assim também acontece conosco: dizemos que Jesus é amor, mas não amamos; que é Deus, mas não o servimos; que é o enviado do Pai, mas não o ouvimos; que é nosso irmão, mas não criamos fraternidade.


Santo Do Dia

onesimoSão Onésimo

Onésimo era escravo de Filemon, cristão convertido por São Paulo, natural da Frigia, atual Turquia, na Ásia Menor. Tendo prestado maus serviços ao amo, a quem subtraíra uma certa quantia de dinheiro e receando castigo, fugiu para Roma, onde se encontrou com São Paulo, que ali se achava preso no cárcere. Conhecendo a São Paulo por bom amigo de Filemon, contou-lhe sua infelicidade e o motivo da fuga. São Paulo, vendo em todos os homens irmãos em Jesus Cristo, para quem não havia distinção entre romano e grego, escravo e senhor, acolheu-o com caridade, instruiu-o na religião cristã e recebeu-o na Igreja, pelo santo Batismo. Desde aquele dia, Onésimo foi dedicado servidor do Apóstolo que o chamava de caríssimo filho.

O castigo para os escravos recapturados era ter a letra “F” marcada em brasa na testa e para os ladrões era a morte. Por isto foi para Roma onde deve ter cometido alguma infração, pois foi preso e algum tempo depois libertado. No cárcere conheceu o apóstolo Paulo que mais uma vez era prisioneiro dos romanos. Ouvindo sua palavra, o escravo foi tocado pela Paixão de Cristo e se arrependeu. Procurando o apostolo, confessou sua culpa e foi perdoado. Assim, Onésimo se converteu e recebeu o batismo do próprio Paulo, que o enviou de volta para o também amigo Filemon com uma carta.

Nela, o santo apóstolo explicou que estaria disposto a pagar em dinheiro pelo erro do escravo, caso Filemon não o perdoasse, pois estava convencido de que Onésimo estava mudado e se emendara completamente. Narrou a sua conversão e, inspirado pelo Espírito Santo escreveu: “Venho suplicar-te por Onésimo, meu filho, que eu gerei na prisão. Ele outrora não te foi de grande utilidade, mas agora será muito útil, tanto a mim como a ti. Eu envio-o a ti como se fosse o meu próprio coração… Portanto, se me consideras teu irmão na fé, recebe-o como a mim próprio”. (Fm 18 e 19)

Sabedor da sinceridade e do poder que Paulo tinha para fazer pessoas se converterem à vida cristã, para dali em diante viverem na honestidade e na caridade, Filemon perdoou Onésimo. Depois, deu total apoio ao seu ex-escravo que passou a trabalhar com a palavra e também com seu próprio exemplo.

Onésimo ficou muito ligado ao apóstolo Paulo, que o enviou à cidade de Colossos como evangelizador. Depois foi consagrado bispo de Éfeso, onde substituiu Timóteo. Durante sua missão episcopal, a fama de suas virtudes ultrapassou os limites de sua diocese. Segundo uma tradição antiga, na época do imperador Domiciano foi preso e levado a Roma, onde morreu apedrejado, como mártir cristão.

Embora este acontecimento não tenha total comprovação, a Igreja incluiu Santo Onésimo entre seus santos, porque são fortes os indícios de que seja realmente um mártir do cristianismo dos primeiros tempos.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Elias, Jeremias, Daniel, Gilberto de Sempringham e José Allamano.

Fonte:Franciscanos.org.com