(49) 3442.0358

Liturgia diária › 06/04/2017

5ª-feira da 5ª Semana da Quaresma

abraaaaaao6 de Abril de 2017

Cor: Roxo

1ª Leitura (Gn 17,3-9)

Farei de ti o pai de uma multidão de nações.

Leitura do Livro do Gênesis
Naqueles dias:
Abrão prostrou-se com o rosto por terra.
E Deus lhe disse:
‘Eis a minha aliança contigo:
tu serás pai de uma multidão de nações.
Já não te chamarás Abrão,
mas o teu nome será Abraão,
porque farei de ti o pai de uma multidão de nações.
Farei crescer tua descendência infinitamente.
Farei nascer de ti nações,
e reis sairão de ti.
Estabelecerei minha aliança entre mim e ti
e teus descendentes para sempre;
uma aliança eterna,
para que eu seja teu Deus e o Deus de teus descendentes.
A ti e aos teus descendentes
darei a terra em que vives como estrangeiro,
todo o país de Canaã como propriedade para sempre.
E eu serei o Deus dos teus descendentes’.
Deus disse a Abraão:
‘Guarda a minha aliança,
tu e a tua descendência para sempre.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Salmo (Sl 104, 4-5. 6-7. 8-9 (R. 8a)

R. O Senhor se lembra sempre da Aliança!
Procurai o Senhor Deus e seu poder, *
buscai constantemente a sua face!
Lembrai as maravilhas que ele fez, *
seus prodígios e as palavras de seus lábios!R.

Descendentes de Abraão, seu servidor, *
e filhos de Jacó, seu escolhido,
ele mesmo, o Senhor, é nosso Deus, *
vigoram suas leis em toda a terra.R.

Ele sempre se recorda da Aliança, *
promulgada a incontáveis gerações;
da Aliança que ele fez com Abraão, *
e do seu santo juramento a Isaac.R.


Evangelho (Jo 8,51-59)

Vosso pai Abraão exultou, por ver o meu dia.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João
Naquele tempo, disse Jesus aos judeus:
Em verdade, em verdade, eu vos digo:
se alguém guardar a minha palavra,
jamais verá a morte.’
Disseram então os judeus:
‘Agora sabemos que tens um demônio.
Abraão morreu e os profetas também,
e tu dizes:
‘Se alguém guardar a minha palavra
jamais verá a morte’.
Acaso és maior do que nosso pai Abraão,
que morreu, como também os profetas?
Quem pretendes tu ser?’
Jesus respondeu:
‘Se me glorifico a mim mesmo,
minha glória não vale nada.
Quem me glorifica é o meu Pai,
aquele que vós dizeis ser o vosso Deus.
No entanto, não o conheceis.
Mas eu o conheço
e, se dissesse que não o conheço,
seria um mentiroso, como vós!
Mas eu o conheço e guardo a sua palavra.
Vosso pai Abraão exultou,
por ver o meu dia;
ele o viu, e alegrou-se.’
Os judeus disseram-lhe então:
‘Nem sequer cinqüenta anos tens ,
e viste Abraão!’
Jesus respondeu:
‘Em verdade, em verdade vos digo,
antes que Abraão existisse,
eu sou’.
Então eles pegaram em pedras para apedrejar Jesus,
mas ele escondeu-se e saiu do Templo.
– Palavra da Salvação.
– Gloria a Vós Senhor.


Reflexão (Jo 8, 51-59)

O nosso Deus é o Deus da vida e da vida em abundância. Ele é causa de alegria para todos os que verdadeiramente crêem nele e em Jesus ele manifesta todo o amor que tem por nós. Assim sendo, Jesus, que é o Filho do Deus vivo, veio nos ensinar o caminho da verdadeira vida, por isso nos diz que quem guarda a sua palavra jamais verá a morte. E como todos nós desejamos a vida e nos alegramos com ela, Jesus também é a causa de nossa alegria, assim como foi a causa para Abraão exultar de alegria ao ver o seu dia, ao reconhecer o seu Deus como o Deus da vida. Aos que não acreditam nas verdades do Reino de Deus e rejeitam os valores evangélicos, só resta a revolta, a tristeza e a morte.


marcelinoSanto Do Dia

São Marcelino

Marcelino foi um sábio e dedicado religioso, amigo e discípulo de Agostinho, bispo de Hipona, depois canonizado e declarado doutor da Igreja. Entretanto, Marcelino acabou sendo vítima de um dos lamentáveis cismas que dividiram o cristianismo. Foram influências políticas, como o donatismo, que levaram esse honrado cristão à condenação e ao martírio.

Tudo teve início muitos anos antes, em 310. O imperador Diocleciano ordenara ao povo a entrega e queima de todos os livros sagrados. Quem obedeceu, passou a ser considerado traidor da Igreja. Naquele ano, Ceciliano foi eleito bispo de Cartago, mas teve sua eleição contestada por ter sido referendada por um grupo de bispos traidores, os mesmos que entregaram os livros sagrados.

O bispo Donato era um desses e, além disso, tinha uma posição totalmente contrária ao catolicismo ortodoxo. Ele defendia que os sacramentos só podiam ser ministrados por santos, não por pecadores, isto é, gente comum. Os seguidores do bispo Donato, portanto, tornaram-se os donatistas, e a Igreja dividiu-se.

Em Cartago, Marcelino ocupava dois cargos de grande importância: era tabelião e tribuno, funcionando, assim, como um porta-voz da população diante das autoridades do Império Romano. Era muito religioso, ligado ao bispo Agostinho, de Hipona, reconhecido realmente como homem de muita fé e dedicação à Igreja. Algumas obras escritas pelo grande teólogo bispo Agostinho partiram de consultas feitas por Marcelino. Foram os tratados “sobre a remissão dos pecados”, “sobre o Espírito”, e o mais importante, “sobre a Trindade”, porém nenhum deles pôde ser lido por Marcelino.

Quando Marcelino se opôs ao movimento donatista, em 411, foi denunciado como cúmplice do usurpador Heracliano e condenado à morte. Apenas um ano depois da execução da pena é que o erro da justiça romana foi reconhecido pelo próprio imperador Honório. Assim, a acusação foi anulada e a Igreja passou a reverenciar são Marcelino como mártir. Sua festa litúrgica foi marcada para o dia 6 de abril, data de sua errônea execução.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Celestino, Catarina de Pallanza e Diógenes
Fonte:Franciscanos.org.com