(49) 3442.0358

Liturgia diária › 30/03/2017

5ª-feira da 4ª Semana da Quaresma

tedstemunho30 de Março de 2017

Cor: Roxo

1ª Leitura (Ex 32,7-14)

Aplaque-se a tua ira
e perdoa a iniqüidade do teu povo.

Leitura do Livro do Êxodo
Naqueles dias:
O Senhor falou a Moisés:
‘Vai, desce, pois corrompeu-se o teu povo,
que tiraste da terra do Egito.
Bem depressa desviaram-se do caminho que lhes prescrevi.
Fizeram para si um bezerro de metal fundido,
inclinaram-se em adoração diante dele
e ofereceram-lhe sacrifícios, dizendo:
‘Estes são os teus deuses, Israel,
que te fizeram sair do Egito!’ ‘
E o Senhor disse ainda a Moisés:
‘Vejo que este é um povo de cabeça dura.
Deixa que minha cólera se inflame contra eles
e que eu os extermine.
Mas de ti farei uma grande nação’.
Moisés, porém, suplicava ao Senhor seu Deus, dizendo:
‘Por que, ó Senhor, se inflama a tua cólera contra o teu povo,
que fizeste sair do Egito
com grande poder e mão forte?
Não permitas, te peço, que os egípcios digam:
‘Foi com má intenção que ele os tirou,
para fazê-los perecer nas montanhas
e exterminá-los da face da terra’.
Aplaque-se a tua ira
e perdoa a iniqüidade do teu povo.
Lembra-te de teus servos Abraão, Isaac e Israel,
com os quais te comprometestepor juramento, dizendo:
‘Tornarei os vossos descendentes
tão numerosos como as estrelas do céu;
e toda esta terra de que vos falei,
eu a darei aos vossos descendentes
como herança para sempre’ ‘.
E o Senhor desistiu do mal
que havia ameaçado fazer ao seu povo.
Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Salmo ( Sl 105, 19-20. 21-22. 23 (R. 4a)

R. Lembrai-vos de nós, ó Senhor,
segundo o amor para com vosso povo!
Construíram um bezerro no Horeb *
e adoraram uma estátua de metal;
eles trocaram o seu Deus, que é sua glória, *
pela imagem de um boi que come feno.R.

Esqueceram-se do Deus que os salvara, *
que fizera maravilhas no Egito;
no país de Cam fez tantas obras admiráveis, *
no Mar Vermelho, tantas coisas assombrosas.R.

Até pensava em acabar com sua raça, *
não se tivesse Moisés, o seu eleito,
interposto, intercedendo junto a ele, *
para impedir que sua ira os destruísse.R.


Evangelho (Jo 5,31-47)

Há alguém que vos acusa:
Moisés, no qual colocais a vossa esperança.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João
Naquele tempo, disse Jesus aos judeus:
Se eu der testemunho de mim mesmo,
meu testemunho não vale.
Mas há um outro que dá testemunho de mim,
e eu sei que o testemunho
que ele dá de mim é verdadeiro.
Vós mandastes mensageiros a João,
e ele deu testemunho da verdade.
Eu, porém, não dependo do testemunho de um ser humano.
Mas falo assim para a vossa salvação.
João era uma lâmpada que estava acesa e a brilhar,
e vós com prazer vos alegrastes por um tempo com a sua luz.
Mas eu tenho um testemunho maior que o de João;
as obras que o Pai me concedeu realizar.
As obras que eu faço dão testemunho de mim,
mostrando que o Pai me enviou.
E também o Pai que me enviou
dá testemunho a meu favor.
Vós nunca ouvistes sua voz,
nem vistes sua face,
e sua palavra não encontrou morada em vós,
pois não acreditais naquele que ele enviou.
Vós examineis as Escrituras,
pensando que nelas possuís a vida eterna.
No entanto, as Escrituras dão testemunho de mim,
mas não quereis vir a mim para ter a vida eterna!
Eu não recebo a glória que vem dos homens.
Mas eu sei:
que não tendes em vós o amor de Deus.
Eu vim em nome do meu Pai,
e vós não me recebeis.
Mas, se um outro viesse em seu próprio nome,
a este vós o receberíeis.
Como podereis acreditar,
vós que recebeis glória uns dos outros
e não buscais a glória que vem do único Deus?
Não penseis que eu vos acusarei diante do Pai.
Há alguém que vos acusa:
Moisés, no qual colocais a vossa esperança.
Se acreditásseis em Moisés,
também acreditaríeis em mim,
pois foi a respeito de mim que ele escreveu.
Mas se não acreditais nos seus escritos,
como acreditareis então nas minhas palavras?’
Palavra da Salvação.
Gloria a Vós Senhor.


Reflexão (Jo 5, 31-47)

Ninguém aceita gratuitamente algo como sendo verdadeiro. Só acreditamos que algo é verdadeiro quando temos um fundamento para isso. Assim as pessoas agem em relação a Jesus, exigem uma garantia de verdade a respeito de tudo o que ele fala para que creiam nela. Isso acontece em primeiro lugar porque não acreditam no amor e na ação do próprio Deus na vida das pessoas. Também acontece porque não são capazes de encontrar nas Sagradas Escrituras o testemunho de Jesus e de suas obras. Somente quem se abre a Deus e à sua revelação reconhece a verdade em Jesus.


sirioSanto Do Dia

São João Clímaco

O Monte Sinai está historicamente ligado ao cristianismo. Foi o lugar indicado por Deus para entregar a Moisés as tábuas gravadas com os Dez Mandamentos. É uma serra rochosa e árida que, não só pela sua geografia, mas também pelo significado histórico, foi escolhida pelos cristãos que procuravam a solidão da vida eremítica.

Assim, já no século IV, depois das perseguições romanas, vários mosteiros rudimentares foram ali construídos por numerosos monges que se entregavam à vida de oração e contemplação. Esses mosteiros tornaram-se famosos pela hospitalidade para com os peregrinos e pelas bibliotecas que continham manuscritos preciosos. Foi neste ambiente que viveu e atuou o maior dos monges do Monte Sinai, João Clímaco.

João nasceu na Síria, por volta do ano 579. De grande inteligência, formação literária e religiosa, ainda muito jovem, aos dezesseis anos, optou pelo deserto e viajou para o Monte Sinai, tornando-se discípulo num dos mais renomados mosteiros, do venerável ancião Raiuthi. Isso aconteceu depois de renunciar a fortuna da família e a uma posição social promissora. Preferiu um cotidiano feito de oração, jejum continuado, trabalho duro e estudos profundos. Só descia ao vale para recolher frutas e raízes para sua parca refeição e só se reunia aos demais monges nos fins de semana, para um culto coletivo.

Sua fama se espalhou e muitos peregrinos iam procura-lo para aprender com seus ensinamentos e conselhos. Inicialmente eram apenas os que desejavam seguir a vida monástica, depois eram os fiéis que queriam uma benção do monge, já tido em vida como santo. Aos sessenta anos João foi eleito por unanimidade abade geral de todos os eremitas da serra do Monte Sinai.

Nesse período ele escreveu muito e o que dele se conserva até hoje é um livro importantíssimo que teve ampla divulgação na Idade Média, “Escada do Paraíso”. Livro que lhe trouxe também o sobrenome Clímaco que, em grego, significa “aquele da escada”. No seu livro ele estabeleceu trinta degraus necessários à subir para alcançar a perfeição da alma.

Trata-se de um verdadeiro manual, a síntese da doutrina monástica e ascética, para os noviços e monges, onde descreveu, degrau por degrau, todas as dificuldades a serem vividas, a superação da razão e dos sentidos, e que as alegrias do Paraíso perfeito serão colhidas no final dessa escalada, após o transito para a eternidade de Nosso Senhor Jesus Cristo.

João Clímaco morreu no dia 30 de março de 649, amado e venerado por todos os cristãos do mundo oriental e ocidental, sendo celebrado por todos eles no mesmo dia do seu falecimento.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Régulo e Donino.

Fonte:Franciscanos.org.com