(49) 3442.0358

Liturgia diária › 07/09/2017

5ª-feira da 22ª Semana do Tempo Comum

abarca7 de Setembro de 2017

Cor: Verde

1ª Leitura (Cl 1,9-14)

Ele nos libertou do poder das trevas
e nos recebeu no reino de seu Filho amado.

Leitura da Carta de São Paulo aos Colossenses
Desde que recebemos essas notícias,
não deixamos de rezar insistentemente por vós,
para que chegueis a conhecer plenamente a vontade de Deus,
com toda a sabedoria
e com o discernimento da luz do Espírito.
Pois deveis levar uma vida digna do Senhor,
para lhe serdes agradáveis em tudo.
Deveis produzir frutos em toda boa obra
e crescer no conhecimento de Deus,
animados de muita força, pelo poder de sua glória,
de muita paciência e constância.
Com alegria dai graças ao Pai,
que vos tornou capazes de participar da luz,
que é a herança dos santos.
Ele nos libertou do poder das trevas
e nos recebeu no reino de seu Filho amado,
por quem temos a redenção, o perdão dos pecados.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Salmo (Sl 97,2-3ab. 3cd-4. 5-6 (R. 2a)

R. O Senhor fez conhecer seu poder salvador,
perante as nações.
O Senhor fez conhecer a salvação,*
e às nações, sua justiça;
recordou o seu amor sempre fiel*
pela casa de Israel.R.

Os confins do universo contemplaram*
a salvação do nosso Deus.
Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira,*
alegrai-vos e exultai!R.

Cantai salmos ao Senhor ao som da harpa*
e da cítara suave!
Aclamai, com os clarins e as trombetas,*
ao Senhor, o nosso Rei!R.


Evangelho (Lc 5,1-11)

Deixaram tudo e O seguiram.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas

Naquele tempo:
Jesus estava na margem do lago de Genesaré,
e a multidão apertava-se ao seu redor
para ouvir a palavra de Deus.
Jesus viu duas barcas paradas na margem do lago.
Os pescadores haviam desembarcado e lavavam as redes.
Subindo numa das barcas, que era de Simão,
pediu que se afastasse um pouco da margem.
Depois sentou-se e, da barca, ensinava as multidões.
Quando acabou de falar, disse a Simão:
‘Avança para águas mais profundas,
e lançai vossas redes para a pesca’.
Simão respondeu:
‘Mestre, nós trabalhamos a noite inteira
e nada pescamos.
Mas, em atenção à tua palavra, vou lançar as redes’.
Assim fizeram,
e apanharam tamanha quantidade de peixes
que as redes se rompiam.
Então fizeram sinal aos companheiros da outra barca,
para que viessem ajudá-los.
Eles vieram, e encheram as duas barcas,
a ponto de quase afundarem.
Ao ver aquilo, Simão Pedro atirou-se aos pés de Jesus,
dizendo: ‘Senhor, afasta-te de mim,
porque sou um pecador!’
É que o espanto se apoderara de Simão
e de todos os seus companheiros,
por causa da pesca que acabavam de fazer.
Tiago e João, filhos de Zebedeu,
que eram sócios de Simão, também ficaram espantados.
Jesus, porém, disse a Simão:
‘Não tenhas medo!
De hoje em diante tu serás pescador de homens.’
Então levaram as barcas para a margem,
deixaram tudo e seguiram a Jesus.
 – Palavra da Salvação.
 – Gloria a Vós Senhor.

 


aregina

Santo Do Dia.

Santa Regina

07Regina ou Reine, seu nome no idioma natal, viveu no século III, em Alise, antiga Gália, França. Seu nascimento foi marcado por uma tragédia familiar, especialmente para ela, porque sua mãe morreu durante o parto. Por essa razão a criança precisou de uma ama de leite, no caso uma cristã. Foi ela que a inspirou nos caminhos da verdadeira fé e da virtude.

Na adolescência, a própria Regina pediu para ser batizada no cristianismo, embora o ambiente em sua casa fosse pagão.

A cada dia, tornava-se mais piedosa e tinha a convicção de que queria ser esposa de Cristo. Nunca aceitava o cortejo dos rapazes que queriam desposá-la, tanto por sua beleza física como por suas virtudes e atitudes, que sempre eram exemplares. Ela simplesmente se afastava de todos, preferindo passar a maior parte do seu tempo reclusa em seu quarto, em oração e penitência.

Entretanto o real martírio de Regina começou muito cedo, e em sua própria casa. O seu pai, um servidor do Império Romano chamado Olíbrio, passou a insistir para que ela aprendesse a reverenciar os deuses. Até que um dia recebeu a denuncia de que Regina era uma cristã. No início não acreditou, mas decidiu que iria averiguar bem o assunto.

Quando Olíbrio percebeu que era verdade, denunciou a própria filha ao imperador Décio, que seduziu-a com promessas vantajosas caso renegasse Cristo. Ao perceber que nada conseguiria com a bela jovem, muito menos demovê-la de sua fé, ele friamente a mandou para o suplício. Regina sofreu todos os tipos de torturas e foi decapitada.

O culto a santa Regina difundiu-se por todo o mundo cristão, sendo que suas relíquias foram várias vezes transladadas para várias igrejas. Até que, no local onde foi encontrada a sua sepultura, foi construída uma capela, que atraiu grande número de fiéis que pediam por sua intercessão na cura e proteção. Logo em seguida surgiu a construção de um mosteiro e, ao longo do tempo, grande número de casas. Foi assim que nasceu a charmosa vila Sainte-Reine, isto é, Santa Rainha, na França.

Esta festa secular ocorre, tradicionalmente, em todo o mundo cristão, no dia 7 de setembro.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos:  Clodoaldo e João de Nicomédia.
Fonte:Franciscanos.org.com