5ª-feira da 15ª Semana do Tempo Comum « Paróquia Nossa Senhora do Rosário

(49) 3442.0358

Liturgia diária › 20/07/2017

5ª-feira da 15ª Semana do Tempo Comum

cansado20 de Julho de 2017

Cor: Verde

1ª Leitura (Ex 3,13-20)

‘Eu Sou aquele que sou’.
‘Eu sou enviou-me a vós’.

Leitura do Livro do Êxodo
Naqueles dias,
ouvindo a voz do Senhor do meio da sarça,
Moisés disse a Deus:
‘Sim, eu irei aos filhos de Israel e lhes direi:
‘O Deus de vossos pais enviou-me a vós’.
Mas, se eles perguntarem:
‘Qual é o seu nome?’ o que lhes devo responder?’
Deus disse a Moisés:
‘Eu Sou aquele que sou’. E acrescentou:
‘Assim responderás aos filhos de Israel:
`Eu sou enviou-me a vós’ ‘.
E Deus disse ainda a Moisés:
‘Assim dirás aos filhos de Israel:
‘O Senhor, o Deus de vossos pais,
o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó,
enviou-me a vós’.
Este é o meu nome para sempre,
e assim serei lembrado de geração em geração.
Vai, reúne os anciãos de Israel e dize-lhes:
‘O Senhor, o Deus de vossos pais,
o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó,
apareceu-me, dizendo:
Eu vos visitei e vi tudo o que vos sucede no Egito.
E decidi tirar-vos da opressóo do Egito
e conduzir-vos à terra dos cananeus, dos hititas,
dos amorreus, dos fereseus, dos heveus e dos jebuseus,
a uma terra onde corre leite e mel.
Eles te escutarão e tu, com os anciãos de Israel,
irás ao rei do Egito e lhe direis:
‘O Senhor, o Deus dos hebreus, veio ao nosso encontro.
E, agora, temos que ir, a três dias de marcha no deserto,
para oferecermos sacrifícios ao Senhor nosso Deus’.
Eu sei, no entanto, que o rei do Egito não vos deixará partir,
se não for obrigado por mão forte.
Por isso, estenderei minha mão
e castigarei o Egito com toda a sorte de prodígios
que vou realizar no meio deles.
Depois disso, o rei do Egito vos deixará partir’.
Palavra do Senhor.
Graças a Deus.


Salmo (Sl 104,1.5. 8-9. 24-25. 26-27 (R.8a)

R. O Senhor se lembra sempre da Aliança.

Dai graças ao Senhor, gritai seu nome, *
anunciai entre as nações seus grandes feitos!
Lembrai as maravilhas que ele fez, *
seus prodígios e as palavras de seus lábios!R.

Ele sempre se recorda da Aliança, *
promulgada a incontáveis gerações;
da Aliança que ele fez com Abraão, *
e do seu santo juramento a Isaac.R.

Deus deu um grande crescimento a seu povo *
e o fez mais forte que os próprios opressores.
Ele mudou seus corações para odiá-lo, *
e trataram com má-fé seus servidores.R.

Então mandou Moisés, seu mensageiro, *
e igualmente Aarão, seu escolhido;
por meio deles realizou muitos prodígios *
e, na terra do Egito, maravilhas.R.


Evangelho (Mt 11,28-30)

Vinde a mim todos vós que estais cansados.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, tomou Jesus a palavra e disse:
Vinde a mim todos vós que estais cansados
e fatigados sob o peso dos vossos fardos,
e eu vos darei descanso.
Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim,
porque sou manso e humilde de coração,
e vós encontrareis descanso.
Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.
Palavra da Salvação.
Gloria a vós Senhor.


margaSanto do Dia.

Santa Margarida

Santa Margarida Segundo a “Legenda Áurea”, Margarida nasceu em Antioquia (Pisídia) e era filha de Teodósio, patriarca dos gentios. Ela foi criada por uma ama na Ásia Menor (atual Turquia), e quando adulta resolveu ser batizada, sendo por isso grandemente odiada por seu pai.

Certo dia, quando tinha quinze anos de idade e junto com outras virgens guardava ovelhas de sua ama, o prefeito Olíbrio passou por lá e, fascinado com a beleza da jovem, propôs-lhe casamento, em troca da sua renúncia ao cristianismo.

O martírio da jovem Margarida foi tão terrível e de resultados tão fantásticos que se tornou uma das paginas da tradição cristã mais transmitida através dos séculos. Justamente por ter sido tão cruel, o povo apegou-se de tal forma ao sofrimento da jovem que à sua narrativa acrescentaram-se fatos lendários. O certo foi que primeiro ela foi levada à presença do juiz e prefeito e, diante dele, negou-se a abandonar a fé cristã. Foram horas de pressão e tortura psicológica que, por fim, viraram tortura física. Margarida foi açoitada, depois teve o corpo colocado sobre uma trave e rasgado com ganchos de ferro. Dizem que a população e até mesmo os carrascos protestaram contra a pena decretada.

No dia seguinte, ela apareceu, sem o menor sinal de sofrimento, na frente do governante, que, irado com o estranho fato, determinou que ela fosse assada viva sobre chapas quentes. Novamente, a comoção tomou conta de todos, pois nem assim a jovem morria ou demonstrava sofrer. Diz a tradição que Margarida teria sido visitada no cárcere pelo satanás, em forma de um dragão que a engoliu. Mas Margarida conseguiu sair do seu ventre, firmando contra ele o crucifixo que trazia nas mãos. Ela foi, então, jogada nas águas de um rio gelado. Quando saiu de lá viva, com as correntes arrebentadas e sem sinal das torturas aplicadas, muita gente ajoelhou-se, converteu-se e até se ofereceu para morrer no lugar dela. Mas o prefeito enfurecido mandou que a decapitassem.

Ela morreu no dia 20 de julho de 290, com a idade de quinze anos. O seu corpo foi recolhido e levado para um lugar seguro, onde foi enterrado pelos cristãos convertidos, passando a ser venerada em todo o Oriente. No século X, foi trasladado para a Itália e desde então seu culto se difundiu também em todo o Ocidente. De tal modo, que santa Margarida foi incluída entre os “catorze santos auxiliadores”, aos quais o povo cristão recorre pela intercessão nos momentos mais difíceis. Santa Margarida é solicitada para proteger as grávidas nos partos complicados.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Apolinário, Aurélio de Cartago, Severa e Paulo da Espanha.

Fonte:franciscanos.org.com.