(49) 3442.0358

Liturgia diária › 17/12/2016

4º Domingo do Advento


jesus-1018 de Dezembro de 2016

Cor: Roxo

1ª Leitura (Is 7,10-14)

Eis que uma virgem conceberá.

Leitura do Livro do Profeta Isaías
Naqueles dias:
O Senhor falou com Acaz, dizendo:
‘Pede ao Senhor teu Deus que te faça ver um sinal,
quer provenha da profundeza da terra,
quer venha das alturas do céu’.
Mas Acaz respondeu:
‘Não pedirei nem tentarei o Senhor’.
Disse o profeta:
‘Ouvi então, vós, casa de Davi;
será que achais pouco incomodar os homens
e passais a incomodar até o meu Deus?
Pois bem, o próprio Senhor vos dará um sinal.
Eis que uma virgem conceberá e dará à luz um filho,
e lhe porá o nome de Emanuel.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Salmo (Sl 23,1-2.3-4ab.5-6 (R. 7c e 10b)

R. O rei da glória é o Senhor onipotente;
abrí as portas para que ele possa entrar!

 

Ao Senhor pertence a terra e o que ela encerra,*
o mundo inteiro com os seres que o povoam;
porque ele a tornou firme sobre os mares,*
e sobre as águas a mantém inabalável.R.

‘Quem subirá até o monte do Senhor,*
quem ficará em sua santa habitação?’
‘Quem tem mãos puras e inocente coração,*
quem não dirige sua mente para o crime. R.

Sobre este desce a bênção do Senhor*
e a recompensa de seu Deus e Salvador’.
‘É assim a geração dos que o procuram,*
e do Deus de Israel buscam a face’.R


2ª Leitura (Rm 1,1-7)

Jesus Cristo, descendente
de Davi, filho de Deus.

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos

Eu, Paulo, servo de Jesus Cristo, apóstolo por vocação,
escolhido para o Evangelho de Deus,
Esse Evangelho, que Deus havia prometido,
por meio de seus profetas, nas Sagradas Escrituras,
e que diz respeito a seu Filho,
descendente de Davi segundo a carne,
autenticado como Filho de Deus com poder,
pelo Espírito de Santidade que o ressuscitou
os mortos, Jesus Cristo, Nosso senhor.
É por Ele que recebemos a graça da vocação
para o apostolado,
a fim de podermos trazer à obediência da fé
todos os povos pagãos,
para a glória de seu nome.
Entre esses povos estais também vós,
chamados a ser discípulos de Jesus Cristo.
A vós todos que morais em Roma,
amados de Deus e santos por vocação,
graça e paz da parte de Deus, nosso Pai,
e de nosso Senhor, Jesus Cristo.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Evangelho (Mt 1,18-24)

Jesus nascerá de Maria, prometida
em casamento a José, filho de Davi.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus
A origem de Jesus Cristo foi assim:
Maria, sua mãe, estava prometida em casamento
a José, e, antes de viverem juntos,
ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo.
José, seu marido, era justo
e, não querendo denunciá-la,
resolveu abandonar Maria, em segredo.
Enquanto José pensava nisso,
eis que o anjo do Senhor apareceu-lhe, em sonho,
e lhe disse: ‘José, Filho de Davi,
não tenhas medo de receber Maria como tua esposa,
porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo.
Ela dará à luz um filho,
e tu lhe darás o nome de Jesus,
pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados’.
Tudo isso aconteceu para se cumprir
o que o Senhor havia dito pelo profeta:
‘Eis que a virgem conceberá
e dará à luz um filho.
Ele será chamado pelo nome de Emanuel,
que significa: Deus está conosco.’
Quando acordou,
José fez conforme o anjo do Senhor havia mandado,
e aceitou sua esposa.
– Palavra da Salvação.
– Gloria a Vós Senhor.


Santo Do dia

rufoSantos Rufo e Zózimo

Rufo e Zózimo pertenciam ao número dos discípulos do Senhor. Segundo a tradição, foram os fundadores da Igreja de Cristo entre os judeus e os gregos.

A notícia que temos sobre estes dois santos nos veio através de São Policarpo, o qual refere-se a eles na sua carta aos Filipenses: “Estou muito satisfeito convosco em Nosso Senhor Jesus Cristo, por terdes recebido os modelos da verdadeira caridade. Eu vos exorto a obedecerdes e a exercerdes a vossa paciência, aquela que tendes visto com vossos próprios olhos, não só nos bem-aventurados Inácio, Rufo e Zózimo, mas também em outros vossos concidadãos, no próprio Paulo e nos outros apóstolos. Estejam certos de que todos estes não têm corrido em vão, mas na fé e na justiça, que eles estão juntos do Senhor, no lugar que lhes é devido pelos sofrimentos que suportaram. Porque eles não amaram o século presente, mas Aquele que por nós morreu e que para nós foi ressuscitado por Deus.”

Filipos era cidade célebre da Macedônia, nos limites com a Trácia, que tomou o nome de Filipe II, pai de Alexandre Magno. A composição étnica da comunidade cristã era prevalentemente ex-pagã, enquanto os provenientes do judaísmo eram minoria. O cristianismo fora levado aos filipenses pelo próprio são Paulo: era a primeira comunidade por ele fundada em solo europeu, e talvez também por isso a comunidade dos filipenses esteve sempre mais perto do seu coração, como mostram as várias expressões da carta que são Paulo lhes escreveu da prisão romana, ou com maior probabilidade de uma prisão de Éfeso.

Policarpo, citando são Paulo, estava certo de tocar o coração daqueles cristãos, como já havia feito nomeando outro campeão que foi santo Inácio de Antioquia. Este tinha se apresentado aos Filipenses acorrentado durante a sua marcha de transferência para Roma, onde, segundo o seu desejo, tornar-se-ia o trigo de Cristo, triturado pelos dentes das feras.

Pois é precisamente nesta excepcional companhia de santo Inácio e de são Paulo que são colocados os santos Rufo e Zózimo.

Destes, o Martirológio Romano refere, com juízo que depende do historiador Santo Ádon, que eles estiveram entre os discípulos que fundaram a primitiva Igreja entre os judeus e os gregos. Mas a notícia não parece bastante confirmada. Num elenco de discípulos do Senhor festejados na Igreja bizantina encontra-se um Rufo que talvez se identifique com a personagem homônima citada pelo Evangelho de São Marcos (15,21) e pela Carta aos Romanos (16,13), mas talvez não se trate do santo de hoje. De qualquer modo não se menciona Zózimo.

Sofreram o martírio provavelmente entre os anos 107 e 118, em Filipos, na Macedônia. A comunidade de Filipos foi fundada por São Paulo; surgiu como a primeira comunidade cristã em solo europeu.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Flamano, Rufo e Basiliano.

 

Fonte: Franciscanos.org.br