(49) 3442.0358

Liturgia diária › 08/02/2017

4ª-feira da 5ª Semana do Tempo Comum

multidão8 de Fevereiro de 2017

Cor: Verde

1ª Leitura (Gn 2,4b-9.15-17)

O Senhor Deus tomou o homem e colocou-o no jardim de Éden.

Leitura do Livro do Gênesis
No dia em que o Senhor fez a terra e o céu,
ainda não havia nenhum arbusto do campo sobre a terra,
e ainda nenhuma erva do campo tinha brotado,
porque o Senhor Deus não tinha feito chover sobre a terra,
e nem existia homem para cultivar o solo.
Mas uma fonte brotava da terra,
e lhe regava toda a superfície.
Então o Senhor Deus formou o homem do pó da terra,
soprou-lhe nas narinas o sopro da vida
e o homem tornou-se um ser vivente.
Depois, o Senhor Deus plantou um jardim em Éden,
a oriente, e ali pôs o homem que havia formado.
E o Senhor Deus fez brotar da terra
toda sorte de árvores de aspecto atraente
e de fruto saboroso ao paladar,
a árvore da vida no meio do jardim
e a árvore do conhecimento do bem e do mal.
O Senhor Deus tomou o homem e colocou-o no jardim de Éden,
para o cultivar e guardar.
E o Senhor Deus deu ao homem uma ordem, dizendo:
‘Podes comer de todas as árvores do jardim,
mas não comas da árvore do conhecimento do bem e do mal;
porque, no dia em que fizeres, sem dúvida morrerás’.
– Palavra do Senhor.
 – Graças a Deus.


Salmo (Sl 103,1-2a. 27-28. 29bc-30 (R. 1a)

R. Bendize, ó minha alma, ao Senhor!

 

Bendize, ó minha alma, ao Senhor!*
Ó meu Deus e meu Senhor, como sois grande!
aDe majestade e esplendor vos revestis
e de luz vos envolveis como num manto.R.

Todos eles, ó Senhor, de vós esperam*
que a seu tempo vós lhes deis o alimento;
vós lhes dais o que comer e eles recolhem,*
vós abris a vossa mão e eles se fartam.R.

Se tirais o seu respiro, eles perecem*
e voltam para o pó de onde vieram;
enviais o vosso espírito e renascem*
e da terra toda a face renovais.R.


 

Evangelho (Mc 7,14-23)

O que torna impuro o homem é o que sai do seu interior.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos

Naquele tempo:
Jesus chamou a multidão para perto de si
e disse: ‘Escutai todos e compreendei:
o que torna impuro o homem
não é o que entra nele vindo de fora,
mas o que sai do seu interior.
Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.’
Quando Jesus entrou em casa, longe da multidão,
os discípulos lhe perguntaram sobre essa parábola.
Jesus lhes disse:
‘Será que nem vós compreendeis?
Não entendeis que nada do que vem de fora
e entra numa pessoa, pode torná-la impura,
porque não entra em seu coração,
mas em seu estômago e vai para o fossa?’
Assim Jesus declarava
que todos os alimentos eram puros.
Ele disse: ‘O que sai do homem,
isso é que o torna impuro.
Pois é de dentro do coração humano
que saem as más intençðes, imoralidades, roubos, assassínios,
adultérios, ambiçðes desmedidas, maldades, fraudes,
devassidão, inveja, calúnia, orgulho, falta de juízo.
Todas estas coisas más saem de dentro,
e são elas que tornam impuro o homem.’
 – Palavra da Salvação.
 – Gloria a Vós Senhor.


Reflexão (Mc 7, 14-23)

 

Todos nós somos capazes de ver a influência que a sociedade exerce sobre o comportamento das pessoas e muitas vezes ouvimos pessoas que querem responsabilizar outras pessoas ou a sociedade pelos seus próprios atos. Jesus, no Evangelho de hoje, nos mostra que, na verdade, a responsabilidade do ato compete à própria pessoa, pois a pessoa age de acordo com os valores ou desvios que estão presentes no seu coração. É claro que existe a influência do meio, mas ela só determina a vida da pessoa se encontra eco no seu coração, caso contrário, a pessoa rejeita essa influência.


Santo Do Dia

renominoSão Jerônimo Emiliano

Jerônimo Emiliani, de nobre família, nasceu em Veneza, Itália, em 1486. Sua juventude foi bastante tumultuada, com comportamentos mundanos e desregrados. Desde os quinze anos serviu como soldado e durante muito tempo foi mantido como prisioneiro pelo exército imperial de Treviso. Neste período, ele foi envolvido numa forte experiência de conversão. Atormentado pela memória de seus pecados, reconheceu em Cristo Crucificado o amor misericordioso do Pai.

Quando saiu em liberdade, se desfez de toda a fortuna e se consagrou a uma missão muito especial, baseada na revelação da paternidade divina: compartilhar e viver em comunidade com os órfãos, os pobres e os doentes. Assim, em 1531 fundou um instituto de religiosos na cidade de Somasca, Itália. Logo foram chamados de “padres Somascos”. Jerônimo Emiliani permaneceu leigo e dedicou sua existência a Deus e à caridade. Seus trabalhos solidários se estendiam aos doentes e miseráveis como também as crianças órfãs e às prostitutas.

A motivação da sua vida espiritual foi o desejo de devolver a Igreja ao estado de santidade das primeiras comunidades cristãs. Este mesmo ideal determinou o modo de organizar a vida das casas que acolhiam os órfãos. O grupo religioso se destacou por proporcionar educação gratuita aos menores abandonados e órfãos. Dos muitos colaboradores que se aproximaram dele, alguns tomaram a decisão de seguir o seu estilo de vida. Sua Congregação foi aprovada como Ordem religiosa pelo Papa Paulo III, grande amigo de Jerónimo. Esse Pontífice, juntamente com São Caetano de Tienne, era um de seus mais ardorosos defensores e benfeitores.

O Santo escreveu os primeiros regulamentos para essa Congregação, a base dos quais era a santa pobreza, que deveria manifestar-se em todas as coisas, desde o hábito até o mobiliário da casa. Os alimentos mais requintados foram abolidos de sua mesa, devendo eles contentar-se com a comida comum dos camponeses. Durante as refeições haveria leitura espiritual. Observariam o silêncio e as mortificações da regra. Empregariam parte da noite em oração, e durante o dia, se não estivessem atendendo os órfãos ou os doentes, deveriam entreter-se com algum trabalho manual. A finalidade principal dos Clérigos Regulares era a instrução das crianças e de jovens eclesiásticos. Assim nascia a Companhia dos Servos dos Pobres.

Prestes a morrer, Jerônimo Emiliani transmitiu a seus discípulos um testamento que sintetizava sua experiência espiritual e representava, ao mesmo tempo, um itinerário de vida cristã: “Segui o caminho do Crucificado, desprezai a iniquidade, amai-vos uns aos outros e servi aos pobres”.

Jerônimo Emiliani faleceu na cidade de Somasca, Itália, no dia 8 de fevereiro de 1537, vitimado pela peste que contraiu servindo aos doentes durante uma epidemia que se alastrou na cidade. Apesar disso cuidou dos enfermos até os últimos momentos de sua vida.

O papa Santo Pio V, em 1568 oficializou a Ordem dos Religiosos de Somasca. Jerônimo Emiliani foi canonizado em 1767 e o dia 8 de Fevereiro escolhido para a sua homenagem. Em 1928, o Papa Pio XI o declarou Padroeiro dos órfãos e das crianças abandonadas.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Josefina Nakhita, Ciriaco e Juvêncio

Fonte:Franciscanos.org.com