(49) 3442.0358

Liturgia diária › 15/03/2017

4ª-feira da 2ª Semana da Quaresma

eu15 de Março de 2017

Cor: Roxo

1ª Leitura (Jr 18,18-20)

Vinde, ataquemo-lo.

Leitura do Livro do Profeta Jeremias
Naqueles dias:
Disseram eles:
‘Vinde para conspirarmos juntos contra Jeremias;
um sacerdote não deixará morrer a lei;
nem um sábio, o conselho; nem um profeta, a palavra.
Vinde para o atacarmos com a língua,
e não vamos prestar atenção a todas as suas palavras.’
Atende-me, Senhor,
ouve o que dizem meus adversários.
Acaso pode-se retribuir o bem com o mal?
Pois eles cavaram uma cova para mim.
Lembra-te de que fui à tua presença,
para interceder por eles
e tentar afastar deles a tua ira.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Salmo (Sl 30,5-6.14.15-16 (R. 17b)

R. Salvai-me pela vossa compaixão, ó Senhor Deus!
Retirai-me desta rede traiçoeira, *
porque sois o meu refúgio protetor!
Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito, *
porque vós me salvareis, ó Deus fiel!R.

Ao redor, todas as coisas me apavoram; *
ouço muitos cochichando contra mim;
todos juntos se reúnem, conspirando *
e pensando como vão tirar-me a vida.R.

A vós, porém, ó meu Senhor, eu me confio, *
e afirmo que só vós sois o meu Deus!
Eu entrego em vossas mãos o meu destino; *
libertai-me do inimigo e do opressor!R.


Evangelho (Mt 20,17-28)

Eles o condenarão à morte.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo:
Enquanto Jesus subia para Jerusalém,
ele tomou os doze discípulos à parte
e, durante a caminhada, disse-lhes:
‘Eis que estamos subindo para Jerusalém,
e o Filho do Homem será entregue
aos sumos sacerdotes e aos mestres da Lei.
Eles o condenarão à morte,
e o entregarão aos pagãos para zombarem dele,
para flagelá-lo e crucificá-lo.
Mas no terceiro dia ressuscitará.’
A mãe dos filhos de Zebedeu
aproximou-se de Jesus com seus filhos
e ajoelhou-se com a intenção de fazer um pedido.
Jesus perguntou: ‘O que tu queres?’
Ela respondeu: ‘Manda que estes meus dois filhos
se sentem, no teu Reino,
um à tua direita e outro à tua esquerda.’
Jesus, então, respondeu-lhes:
‘Não sabeis o que estais pedindo.
Por acaso podeis beber o cálice que eu vou beber?’
Eles responderam: ‘Podemos.’
Então Jesus lhes disse:
‘De fato, vós bebereis do meu cálice,
mas não depende de mim
conceder o lugar à minha direita ou à minha esquerda.
Meu Pai é quem dará esses lugares
àqueles para os quais ele os preparou.’
Quando os outros dez discípulos ouviram isso,
ficaram irritados contra os dois irmóos.
Jesus, porém, chamou-os, e disse:
‘Vós sabeis que os chefes das nações
têm poder sobre elas e os grandes as oprimem.
Entre vós não deverá ser assim.
Quem quiser tornar-se grande, torne-se vosso servidor;
quem quiser ser o primeiro, seja vosso servo.
Pois, o Filho do Homem não veio para ser servido,
mas para servir e dar a sua vida
como resgate em favor de muitos.’
– Palavra da Salvação.
– Gloria a Vós senhor.


Reflexão (Mt 20, 17-28)

Nós todos, que nos dizemos discípulos e discípulas de Jesus, não podemos deixar os critérios do Evangelho para viver segundo os critérios do mundo. No mundo, autoridade significa ocasião para a tirania, a opressão e a busca da satisfação dos próprios interesses, sejam de quais naturezas forem. O próprio Jesus nos fala que entre nós não deve ser assim. Ele é o modelo de autoridade para todos nós, pois sendo verdadeiro Deus, o Senhor de tudo, se fez servidor dos homens e despojou-se de tudo, desde a sua condição divina até a sua vida humana, para nos resgatar e nos fazer participantes da vida divina.


Santo Do Dia

longoSão Longuinho

Longuinho viveu no primeiro século, e dele muito se falou e escreveu, sendo encontrado em todos os registros contemporâneos da Paixão de Cristo. Existem citações sobre ele nos evangelhos, epistolas dos Santos Padres, e martirológios tanto orientais como nos ocidentais. Estes relatos levaram a uma combinação de diferentes situações, mas, em todas foi identificado como um soldado centurião presente na cena da Crucificação.

Os apóstolos escreveram que ele foi o primeiro a reconhecer Cristo como “o filho de Deus” (27:54 Mateus; 15:39 Marcos; 23:47 Lucas). Em meio ao coro dos insultos e escárnios, teria sido a única voz favorável a afirmar Sua Divindade. Identificado pelo apóstolo João (19:34), como o soldado que “perfurou Jesus com uma lança”. Fato este que o definiu como um soldado centurião e que lhe deu o nome Longuinho, derivado do grego que significa “uma lança”. Outros textos dizem que era o centurião, comandante dos poucos soldados que guardava o sepulcro do crucifixo, e que presenciava as crucificações, portanto presenciou a de Jesus. Depois, da qual, se converteu.

Segundo a tradição, os crucificados tinham seus pés quebrados para facilitar a retirada da cruz, mas, como Jesus já estava com os pés soltos, um dos soldados perfurou o lado do seu corpo com uma lança. O sangue que saiu deste ferimento de Jesus respingou em seus olhos. Caindo em si, comovido e tocado pela graça, o soldado se converteu. Abandonou para sempre o exército e sua moradia, se tornou um monge que percorreu a Cesareia e a Capadócia, atual Turquia, levando a palavra de Cristo e mais tarde, promovia prodígios pela graça do Espírito Santo.

Entretanto, o governador de Cesareia, que estava irritado com a conversão de seu secretário, descobriu sua identidade de centurião e o denunciou a Pôncio Pilatos em Jerusalém. Este, acusou Longuinho de desertor ao imperador e o condenou a morte, caso não oferecesse incenso no altar do imperador, renegando a fé. Longuinho se manteve fiel a Cristo, por isto foi torturado, tendo seus dentes arrancados, a língua cortada e, depois, decapitado.

No Oriente são inúmeros os dias do calendário para as suas homenagens, o mais frequente ainda é em 16 de outubro. Na Europa e nas Américas, a comemoração ocorre no dia 15 de março, como indica o Livro dos Santos do Vaticano.

São Longuinho, à luz de muitas tradições, comumente é invocado pelos devotos para encontrar objetos perdidos. Os artistas, ao longo do tempo, foram atraídos pela singularidade de sua figura e o representaram em suas obras na cena da crucificação, com lança ou sem lança, mas sempre presente. Em Roma, na basílica de São Pedro, na base de um dos quatro pilares que sustentam a imensa cúpula que cobre o espaço do altar do trono do Sumo Pontífice, está à estátua do centurião São Longuinho, que foi o primeiro a acreditar na divindade de Cristo.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Luísa de Marillac, Leocrécia, Clemente Maria Hoffbauer

Fonte:Franciscanos.org.com