(49) 3442.0358

Liturgia diária › 28/06/2017

4ª-feira da 12ª Semana do Tempo Comum

bem28 de Junho de 2017

Sto Irineu, BMt, memóriaCor: Vermelho

1ª Leitura (Gn 15,1-12.17-18)

Abrão teve fé no Senhor,
que considerou isso como justiça;
e o Senhor fez aliança com Abrão.

Leitura do Livro do Gênesis
Naqueles dias:
O Senhor falou a Abrão, dizendo:
‘Não temas, Abrão!
Eu sou o teu protetor
e tua recompensa será muito grande’.
Abrão respondeu:
‘Senhor Deus, que me darás?
Eu me vou desta vida sem filhos
e o herdeiro de minha casa será Eliezer de Damasco’.
E acrescentou:
‘Como não me deste descendência,
um servo nascido em minha casa será meu herdeiro’.
Então o Senhor falou-lhe nestes termos:
‘O teu herdeiro não será esse,
mas um dos teus descendentes
é que será o herdeiro’.
E, conduzindo-o para fora, disse-lhe:
‘Olha para o céu e conta as estrelas,
se fores capaz!’
E acrescentou:
‘Assim será a tua descendência’.
Abrão teve fé no Senhor,
que considerou isso como justiça.
E lhe disse:
‘Eu sou o Senhor que te fez sair de Ur dos Caldeus,
para te dar em possessão esta terra’.
Abrão lhe perguntou:
‘Senhor Deus, como poderei saber
que vou possuí-la?’
E o Senhor lhe disse:
‘Traze-me uma novilha de três anos,
uma cabra de três anos,
um carneiro de três anos,
além de uma rola e de uma pombinha’.
Abrão trouxe tudo
e dividiu os animais pelo meio,
mas não as aves,
colocando as respectivas partes uma frente à outra.
Aves de rapina se precipitaram sobre os cadáveres,
mas Abrão as enxotou.
Quando o sol já se ia pondo,
caiu um sono profundo sobre Abrão
e ele foi tomado de grande e misterioso terror.
Quando o sol se pôs e escureceu,
apareceu um braseiro fumegante e uma tocha de fogo,
que passaram por entre os animais divididos.
Naquele dia o Senhor fez aliança com Abrão, dizendo:
‘Aos teus descendentes darei esta terra,
desde o rio do Egito
até o grande rio, o Eufrates’.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Salmo (Sl 104,1-2. 3-4. 6-7. 8-9 (R. 8a)

R. O Senhor se lembra sempre da Aliança
Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia.

Dai graças ao Senhor, gritai seu nome, *
anunciai entre as nações seus grandes feitos!
Cantai, entoai salmos para ele, *
publicai todas as suas maravilhas!R.

Gloriai-vos em seu nome que é santo, *
exulte o coração que busca a Deus!
Procurai o Senhor Deus e seu poder, *
buscai constantemente a sua face!R.

Descendentes de Abraão, seu servidor, *
e filhos de Jacó, seu escolhido,
ele mesmo, o Senhor, é nosso Deus, *
vigoram suas leis em toda a terra.R.

Ele sempre se recorda da Aliança, *
promulgada a incontáveis gerações;
da Aliança que ele fez com Abraão, *
e do seu santo juramento a Isaac.R.


Evangelho (Mt 7,15-20)

Pelos seus frutos vós os conhecereis.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
Cuidado com os falsos profetas:
Eles vêm até vós vestidos com peles de ovelha,
mas por dentro são lobos ferozes.
Vós os conhecereis pelos seus frutos.
Por acaso se colhem uvas de espinheiros
ou figos de urtigas?
Assim, toda árvore boa produz frutos bons,
e toda árvore má, produz frutos maus.
Uma árvore boa não pode dar frutos maus,
nem uma árvore má pode produzir frutos bons.
Toda árvore que não dá bons frutos
é cortada e jogada no fogo.
Portanto, pelos seus frutos vós os conhecereis.
– Palavra da Salvação.
Gloria a vós Senhor.


alhoSanto do Dia.

Santo Irineu de Lyon

Santo Irineu de Lyon O nome “Irineu” vem do grego e significa Pacífico e pacificador. Grande bispo e mártir, tornou-se o mais importante dos escritores cristãos do século II. Nascido na Ásia Menor, foi discípulo de São Policarpo, que por sua vez conviveu diretamente com o Apóstolo São João, o Evangelista.

Padre da Igreja, grego de nascimento, filho de pais cristãos, nasceu na ilha de Esmirna, no ano 130. Muito culto e letrado em várias línguas, Irineu foi ordenado por são Policarpo, que o enviou para a Gália, atual França, onde havia uma grande população de fiéis cristãos procedentes do Oriente. Lá, trabalhou ao lado de Fotino, o primeiro bispo de Lyon, que, em 175, o enviou a Roma para, junto do papa Eleutério, resolver a delicada questão doutrinal dos hereges montanistas. Esses fanáticos, vindos do Oriente, pregavam o desprezo pelas coisas do mundo, anunciando o breve retorno de Cristo para o juízo final.

Contudo tanto o papa quanto Irineu foram tomados pela surpresa da bárbara perseguição decretada pelo imperador Marco Aurélio. Rapidamente, em 177, ela atingiu a cidade de Lyon, ocasionando o grande massacre dos cristãos, todos mortos pelo testemunho da fé.

Um ano depois, Irineu retornou a Lyon, onde foi eleito e aclamado sucessor do bispo mártir Fotino. Nesse cargo ele permaneceu vinte e cinco anos. Ocupou-se da evangelização e combateu, principalmente, a heresia dos gnósticos, além das outras que proliferavam nesses primeiros tempos. Obteve êxito, junto ao papa Vitor I, na questão da comemoração da festa da Páscoa, quando lhe pediu que atuasse com moderação para manter a união entre a Igreja do Ocidente e a do Oriente.

A sua obra escrita mais importante foi o tratado “Contra as heresias”, onde trata da falsa gnose, e depois, de todas as outras heresias da época. O texto grego foi perdido, mas existem as traduções latina, armênia e siríaca.

Importante não só do lado teológico, onde expôs já pronta a teoria sobre a autoridade doutrinal da Igreja, mas ainda do lado histórico, pois documentou e nos apresentou um quadro vivo das batalhas e lutas de então.

Mais tarde, um outro tratado, chamado “Demonstração da pregação apostólica”, foi encontrado inteiro, numa tradução armênia. Além de vários fragmentos de outras obras, cartas, discursos e pequenos tratados.

Irineu morreu como mártir no dia 28 de junho de 202, em Lyon, e sua festa litúrgica ocorre nesta data. As relíquias de santo Irineu estão sepultadas, junto com os mártires da Igreja de Lyon, na catedral desta cidade.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Argemiro e Vicência

Fonte:Franciscanos.org.com