(49) 3442.0358

Liturgia diária › 18/04/2017

3ª-feira na Oitava da da Páscoa

senhor 6918 de Abril de 2017

Cor: Branco

1ª Leitura (At 2,36-41)

Convertei-vos; e cada um de vós
seja batizado em nome de Jesus Cristo.

Leitura dos Atos dos Apóstolos
No dia de Pentecostes, Pedro disse aos judeus:
Que todo o povo de Israel
reconheça com plena certeza:
Deus constituiu Senhor e Cristo
a este Jesus que vós crucificastes.’
Quando ouviram isso,
eles ficaram com o coração aflito,
e perguntaram a Pedro e aos outros apóstolos:
‘Irmãos, o que devemos fazer?’
Pedro respondeu:
‘Convertei-vos e cada um de vós seja batizado
em nome de Jesus Cristo,
para o perdão dos vossos pecados.
E vós recebereis o dom do Espírito Santo.
Pois a promessa é para vós e vossos filhos,
e para todos aqueles que estão longe,
todos aqueles que o Senhor nosso Deus chamar para si.’
Com muitas outras palavras,
Pedro lhes dava testemunho, e os exortava, dizendo:
‘Salvai-vos dessa gente corrompida!’
Os que aceitaram as palavras de Pedro
receberam o batismo.
Naquele dia,
mais ou menos três mil pessoas, se uniram a eles.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Salmo (Sl 32, 4-5. 18-19. 20.22 (R. 5b)

R. Transborda em toda a terra a bondade do Senhor.
Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia

 

Pois reta é a palavra do Senhor,*
e tudo o que ele faz merece fé.
Deus ama o direito e a justiça,*
transborda em toda a terra a sua graça.R.

Mas o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem,*
e que confiam esperando em seu amor,
para da morte libertar as suas vidas*
e alimentá-los quando é tempo de penúria.R.

No Senhor nós esperamos confiantes,*
porque ele é nosso auxílio e proteção!
Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça,*
da mesma forma que em vós nós esperamos!R.


Evangelho (Jo 20,11-18)

‘Eu vi o Senhor!’; e eis o que ele me disse.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João
Naquele tempo:
Maria estava do lado de fora do túmulo, chorando.
Enquanto chorava,
inclinou-se e olhou para dentro do túmulo.
Viu, então, dois anjos vestidos de branco,
sentados onde tinha sido posto o corpo de Jesus,
um à cabeceira e outro aos pés.
Os anjos perguntaram:
‘Mulher, por que choras?’
Ela respondeu:
‘Levaram o meu Senhor e não sei onde o colocaram’.
Tendo dito isto,
Maria voltou-se para trás e viu Jesus, de pé.
Mas não sabia que era Jesus.
Jesus perguntou-lhe:
‘Mulher, por que choras?
A quem procuras?’
Pensando que era o jardineiro, Maria disse:
‘Senhor, se foste tu que o levaste
dize-me onde o colocaste, e eu o irei buscar’.
Então Jesus disse: ‘Maria!’
Ela voltou-se e exclamou, em hebraico: ‘Rabuni’
(que quer dizer: Mestre).
Jesus disse: ‘Não me segures.
Ainda não subi para junto do Pai.
Mas vai dizer aos meus irmãos:
subo para junto do meu Pai e vosso Pai,
meu Deus e vosso Deus’.
Então Maria Madalena foi anunciar aos discípulos:
‘Eu vi o Senhor!’,
e contou o que Jesus lhe tinha dito.
– Palavra da Salvação.
– Gloria a Vós Senhor.


Reflexão (Jo 20, 11-18)

Maria Madalena queria somente estar com Jesus, ainda que ele estivesse morto. Queria estar com ele, mesmo que tivesse que ir buscá-lo, onde quer que o tivessem colocado. Chorava porque não havia encontrado Jesus. Estaria disposta a qualquer sacrifício para realizar o seu intento. Porém, se as pessoas correspondem ao amor de Deus, tanto mais Deus corresponde ao amor dos homens. Maria Madalena recebeu a grande recompensa pelo seu amor: fez a grande experiência do encontro pessoal com o ressuscitado, e anunciou a todos esta experiência.


galdinoSanto Do Dia

São Galdino

Na foto, urna de São Galdino na Catedral de Milão

Milão honra São Galdino, cujo nome aparece associado aos de S. Ambrósio e São Carlos Borromeu, como um de seus principais padroeiros, no final da ladainha do rito milanês.

Galdino nasceu em 1096 e cresceu em Milão, na Porta Oriental, no início do século XII, e ali também se tornou religioso, passando logo a auxiliar diretamente o arcebispo Oberto de Pirovano. Juntos enfrentaram um inimigo pesado, o antipapa Vitor IV, que, apoiado pelo imperador Frederico, o Barbaroxa, oprimia violentamente para dominar o mundo.

Como Milão fazia oposição, a cidade foi simplesmente arrasada em 1162. O arcebispo e Galdino só não morreram porque procuraram abrigo junto ao papa oficial, Alexandre III.

Mas logo depois Oberto morreu, e o arcebispado precisava de alguém que continuasse sua luta. O papa não teve nenhuma dúvida em nomear o próprio Galdino e consagrou-o bispo, pessoalmente, em 1166.

Galdino não decepcionou sua diocese católica. Praticava a caridade e instigava todos a fazê-lo igualmente. Pregava contra os hereges, convertia multidões e socorria também os pobres que se encontravam presos por causa de dívidas, geralmente vítimas de agiotagem.

A esses serviu tanto que suas visitas de apoio receberam até um apelido: “o pão de são Galdino”. Uma espécie de “cesta básica” material e espiritual, pois dava pão para o corpo e orações, que eram o pão para o espírito. Foi uma fonte de força e fé para lutar contra os opressores.

Mas tudo isso era feito paralelamente ao trabalho político, pois no plano da diplomacia defendia seu povo e sua terra em tudo o que fosse preciso. Morreu no dia 18 de abril de 1176, justamente no instante em que fazia, no púlpito, um sermão inflamado contra os pecadores, os hereges, inimigos da Igreja, e os políticos, inimigos da cidade. Quando terminou o sermão emocionado, diante de um grande número de fiéis e religiosos, caiu morto de repente.

Fonte:Franciscanos.org.com