(49) 3442.0358

Liturgia diária › 16/05/2017

3ª-feira da 5ª Semana da Páscoa

paz 1216 de Maio de 2017

Cor: Branco

1ª Leitura (At 14,19-28)

Reuniram a comunidade.
Contaram-lhe tudo o que Deus fizera por meio deles.

Leitura dos Atos dos Apóstolos
Naqueles dias:
De Antioquia e Icônio chegaram judeus
que convenceram as multidões.
Então apedrejaram Paulo
e arrastaram-no para fora da cidade,
pensando que ele estivesse morto.
Mas, enquanto os discípulos o rodeavam,
Paulo levantou-se e entrou na cidade.
No dia seguinte, partiu para Derbe com Barnabé.
Depois de terem pregado o Evangelho naquela cidade
e feito muitos discípulos,
voltaram para Listra, Icônio e Antioquia
Encorajando os discípulos,
eles os exortavam a permanecerem firmes na fé,
dizendo-lhes: ‘É preciso
que passemos por muitos sofrimentos
para entrar no Reino de Deus’.
Os apóstolos designaram presbíteros para cada comunidade.
Com orações e jejuns, eles os confiavam ao Senhor,
em quem haviam acreditado.
Em seguida, atravessando a Pisídia,
chegaram à Panfília.
Anunciaram a palavra em Perge,
e depois desceram para Atália.
Dali embarcaram para Antioquia,
de onde tinham saído, entregues à graça de Deus,
para o trabalho que haviam realizado.
Chegando ali, reuniram a comunidade.
Contaram-lhe tudo o que Deus fizera por meio deles
e como havia aberto a porta da fé para os pagãos.
E passaram então algum tempo com os discípulos.
Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Salmo (Sl 144, 10-11. 12-13ab. 21 (R. Cf. 12a)

R. Ó Senhor, vossos amigos anunciem vosso Reino glorioso.

Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia
Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem,*
e os vossos santos com louvores vos bendigam!
Narrem a glória e o esplendor do vosso reino*
e saibam proclamar vosso poder!R.

Para espalhar vossos prodígios entre os homens*
e o fulgor de vosso reino esplendoroso.
aO vosso reino é um reino para sempre,*
vosso poder, de geração em geração.R.

Que a minha boca cante a glória do Senhor+
e que bendiga todo ser seu nome santo*
desde agora, para sempre e pelos séculos.R.


Evangelho (Jo 14,27-31a)

A minha paz vos dou.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João
Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos:
Deixo-vos a paz,
a minha paz vos dou;
mas não a dou como o mundo.
Não se perturbe nem se intimide o vosso coração.
Ouvistes que eu vos disse:
‘Vou, mas voltarei a vós’.
Se me amásseis,
ficaríeis alegres porque vou para o Pai,
pois o Pai é maior do que eu.
Disse-vos isto, agora, antes que aconteça,
para que, quando acontecer,
vós acrediteis.
Já não falarei muito convosco,
pois o chefe deste mundo vem.
Ele não tem poder sobre mim,
amas, para que o mundo reconheça que eu amo o Pai,
eu procedo conforme o Pai me ordenou.
– Palavra da Salvação.
– Gloria a Vós Senhor.


Reflexão (Jo 14, 27-31)

No Evangelho de hoje, Jesus nos mostra um dos aspectos mais importantes do amor que é o desejo do bem maior para o outro. O mundo nos apresenta uma falsa idéia de amor que é o amor possessivo: quando amamos uma pessoa, queremos que ela esteja constantemente ao nosso lado porque assim somos felizes. Na verdade estamos pensando na nossa felicidade e não na da pessoa amada. Jesus diz: “Se me amasseis, ficaríeis alegres porque vou para o Pai, pois o Pai é maior do que eu”. Assim, de fato, somos nós, uma vez que nos entristecemos quando a felicidade maior do outro não é como gostaríamos que fosse. Na verdade, confundimos paixão e sentimentalismo com amor verdadeiro.


abreuSanto Do Dia

São João Nepomuceno

João nasceu em 1330, em Nepomuk, na Boêmia, atual República Checa. Apesar de os pais serem pobres e ter idade avançada, João conseguiu formar-se doutor em teologia e direito canônico na Universidade de Praga, uma das mais modernas e avançadas da época, fundada pelo rei Carlos IV. Mas desde muito cedo João sabia que sua verdadeira vocação era o sacerdócio, a pregação.

Quando, finalmente, recebeu a unção sacerdotal, pôde colocar em prática o seu talento de orador sacro, e o fez de forma tão brilhante que foi convidado a ser capelão e confessor na corte, onde teve muito trabalho, pois o rei Venceslau IV era uma pessoa difícil e de mau-caráter. Mas a rainha e imperatriz Joana da Baviera era muito pia, bondosa e caridosa, e o tomou para diretor espiritual e confessor particular.

Não se sabe exatamente como foi seu martírio e como tudo ocorreu, mas o rei Venceslau, que desejava controlar a Igreja, não estava satisfeito com a possível chegada de um novo bispo, enviado por Roma a pedido da rainha.

A tradição lembra, porém, que o rei teria exigido que João violasse o segredo da confissão da rainha, coisa a que ele se negou e, por isso, foi torturado e morto. Depois, às escondidas, seu corpo foi jogado nas águas do rio Moldávia, em 16 de maio de 1383.

No dia seguinte, a população percebeu um cadáver boiando no rio, circundado por uma luz misteriosa com cinco estrelas. Ao recolhê-lo, reconheceram que se tratava do capelão João. A cidade toda, então, ficou sabendo o que acontecera com ele e reconheceu no rei Venceslau o autor daquela crueldade. Assim, em procissão, o corpo foi levado e enterrado na igreja da Santa Cruz, onde permanece até hoje.

Em 1729, ele foi canonizado. Hoje são João Nepomuceno é celebrado como o mártir da confissão e venerado por todos os habitantes da cidade de Praga.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: São Simão Stock, Honorato e Luís Orione.

Fonte:franciscanos.org.com