(49) 3442.0358

Liturgia diária › 28/03/2017

3ª-feira da 4ª Semana da Quaresma

imagem28 de Março de 2017

Cor: Roxo

1ª Leitura (Ez 47,1-9.120

Vi sair água do lado direito do templo, e
todos os que esta água tocou foram salvos.

Leitura da Profecia de Ezequiel
Naqueles dias:
O anjo fez-me voltar até a entrada do Templo
e eis que saia água da sua parte subterrânea
na direção leste,
porque o Templo estava voltado para o oriente;
a água corria do lado direito do Templo,
a sul do altar.
Ele fez-me sair pela porta que dá para o norte,
e fez-me dar uma volta por fora,
até à porta que dá para o leste,
onde eu vi a água jorrando do lado direito.
Quando o homem saiu na direção leste,
tendo uma corda de medir na mão,
mediu quinhentos metros
e fez-me atravessar a água:
ela chegava-me aos tornozelos.
Mediu outros quinhentos metros
e fez-me atravessar a água:
ela chegava-me aos joelhos.
Mediu mais quinhentos metros
e me fez-me atravessar a água:
ela chegava-me à cintura.
Mediu mais quinhentos metros,
e era um rio que eu não podia atravessar.
Porque as águas haviam crescido tanto,
que se tornaram um rio impossível de atravessar,
a não ser a nado.
Ele me disse:
‘Viste, filho do homem?’
Depois fez-me caminhar de volta pela margem do rio.
Voltando, eu vi junto à margem muitas árvores,
de um e de outro lado do rio.
Então ele me disse:
‘Estas águas correm para a região oriental,
descem para o vale do Jordão,
desembocam nas águas salgadas do mar,
e elas se tornarão saudáveis.
Onde o rio chegar,
todos os animais que ali se movem poderão viver.
Haverá peixes em quantidade,
pois ali desembocam as águas que trazem saúde;
e haverá vida onde chegar o rio.
Nas margens junto ao rio,
de ambos os lados,
crescerá toda espécie de árvores frutíferas;
suas folhas não murcharão e seus frutos jamais se acabarão:
cada mês darão novos frutos,
pois as águas que banham as árvores saem do santuário.
Seus frutos servirão de alimento
e suas folhas serão remédio’.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Salmo (Sl 45, 2-3. 5-6. 8-9 (R. 8)

R. Conosco está o Senhor do Universo!
O nosso refúgio é o Deus de Jacó.
O Senhor para nós é refúgio e vigor, *
sempre pronto, mostrou-se um socorro na angústia;
assim não tememos, se a terra estremece, *
se os montes desabam, caindo nos mares.R.

Os braços de um rio vêm trazer alegria *
à Cidade de Deus, à morada do Altíssimo.
Quem a pode abalar? Deus está no seu meio! *
Já bem antes da aurora, ele vem ajudá-la.R.

Conosco está o Senhor do universo! *
O nosso refúgio é o Deus de Jacó!
Vinde ver, contemplai os prodígios de Deus *
e a obra estupenda que fez no universo.R.


Evangelho (Jo 5,1-16)

No mesmo instante o homem ficou curado.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João
Houve uma festa dos judeus,
e Jesus foi a Jerusalém.
Existe em Jerusalém,
perto da porta das Ovelhas,
uma piscina com cinco pórticos,
chamada Betesda em hebraico.
Muitos doentes ficavam ali deitados
-cegos, coxos e paralíticos -,
esperando que a água se movesse.
De fato, uma anjo descia, de vez em quando,
e movimentava a água da piscina,
e o primeiro doente que aí entrasse,
depois do borbulhar da água,
ficava curado de qualquer doença que tivesse.
Aí se encontrava um homem,
que estava doente havia trinta e oito anos.
Jesus viu o homem deitado
e sabendo que estava doente há tanto tempo,
disse-lhe: ‘Queres ficar curado?’
O doente respondeu:
‘Senhor, não tenho ninguém que me leve à piscina,
quando a água é agitada.
Quando estou chegando, outro entra na minha frente’.
Jesus disse: ‘Levanta-te,
pega na tua cama e anda.’
No mesmo instante,
o homem ficou curado,
pegou na sua cama e começou a andar.
Ora, esse dia era um sábado.
Por isso,
os judeus disseram ao homem que tinha sido curado:
‘É sábado!
Não te é permitido carregar tua cama.’
Ele respondeu-lhes:
‘Aquele que me curou disse:
‘Pega tua cama e anda’.’
Então lhe perguntaram:
‘Quem é que te disse:
‘Pega tua cama e anda?’
O homem que tinha sido curado não sabia quem fora,
pois Jesus se tinha afastado da multidão
que se encontrava naquele lugar.
Mais tarde, Jesus encontrou o homem no Templo
e lhe disse:
‘Eis que estás curado.
Não voltes a pecar,
para que não te aconteça coisa pior’.
Então o homem saiu
e contou aos judeus
que tinha sido Jesus quem o havia curado.
Por isso, os judeus começaram a perseguir Jesus,
porque fazia tais coisas em dia de sábado.
– Palavra da Salvação.
– Gloria a Vós Senhor.


Reflexão (Jo 5, 1-16)

Muitas vezes, as pessoas que sofrem diferentes formas de males possuem uma fé muito grande no poder de Deus, mas de algumas formas são impedidas de chegar até ele e receber as suas graças, condição indispensável para a superação de seus males e sofrimentos. É o caso do paralítico, que acreditava no poder de Deus e na cura que viria pela ação do anjo ao agitar a água, mas era impedido pelos outros que entravam primeiro na piscina. Assim também acontece hoje quando criamos uma série de regras e preceitos humanos que dificultam a participação de muitos na vida divina e um relacionamento pessoal com ele, que é a fonte de todas as graças que nos dão vida em abundância.


xistoSanto Do Dia

São Xisto III

Xisto chegou a adotar uma posição neutra na controvérsia entre pelagianos e semipelagianos do sul da Gália, especialmente contra Cassiano, sendo advertido pelo papa Zózimo. Mas reconheceu o seu erro, com a ajuda de Agostinho, bispo de Hipona, que combatia arduamente aquela heresia, e que lhe escrevia regularmente.

Ao se tornar papa em 432, Xisto III agindo com bastante austeridade e firmeza, nesta ocasião, Agostinho teve de lhe pedir moderação. Foi assim, que este papa conseguiu o fim definitivo da doutrina herege. Esta doutrina pelagiana negava o pecado original e a corrupção da natureza humana. Também defendia a tese de que o homem, por si só, possuía a capacidade de não pecar, dispensando dessa maneira a graça de Deus.

Ele também conduziu com sabedoria uma ação mais conciliadora em relação a Nestório, acabando com a controvérsia entre João de Antioquia e Cirilo, patriarca de Constantinopla, sobre a divindade de Maria. Em seguida, demonstrou a sua firme autoridade papal na disputa com o patriarca Proclo. Xisto III teve de escrever várias epístolas para manter o governo de Roma sobre a lliría, contra o imperador do Oriente que queria torná-la dependente de Constantinopla, com a ajuda deste patriarca.

Depois do Concílio de Éfeso em 431, em que a Mãe de Jesus foi aclamada Mãe de Deus, o papa Xisto III mandou ampliar e enriquecer a basílica dedicada à Santa Mãe das Neves, situada no monte Esquilino, mais tarde chamada Santa Maria Maior. Esta igreja é a mais antiga do Ocidente que foi dedicada a Nossa Senhora.

Desta maneira ele ofereceu aos fiéis um grande monumento ao culto da bem-aventurada Virgem Maria, à qual prestamos um culto de hiperdulia, ou seja, de veneração maior do que o prestado aos outros santos. Xisto III mandou vir da Palestina as tábuas de uma antiga manjedoura, que segundo a tradição havia acolhido o Menino Jesus na gruta de Belém, dando origem ao presépio. Introduziu no Ocidente a tradição da Missa do Galo celebrada na noite de Natal, que era realizada em Jerusalém desde os primeiros tempos da Igreja.

Durante o seu pontificado, Xisto III promoveu uma intensa atividade edificadora, reformando e construindo muitas igrejas, como a exuberante basílica de São Lourenço em Lucina, na Itália.

Morreu em 19 de agosto de 440, deixando a indicação do sucessor, para aquele que foi um dos maiores papas dos primeiros séculos, Leão Magno. A Igreja indicou sua celebração para o dia 28 de março, após a última reforma oficial do calendário litúrgico.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Gontrão, Malco e Castor.

Fonte:Franciscanos.org.com