(49) 3442.0358

Liturgia diária › 05/12/2017

3ª feira da 1ª Semana do Advento

a015 de Dezembro de 2017

Cor: Roxo

1ª Leitura (Is 11,1-10)

Julgará os humildes com justiça.

Leitura do Livro do Profeta Isaías
Naqueles dias:
Nascerá uma haste do tronco de Jessé
e, a partir da raiz, surgirá o rebento de uma flor;
sobre ele repousará o espírito do Senhor:
espírito de sabedoria e discernimento,
espírito de conselho e fortaleza,
espírito de ciência e temor de Deus;
no temor do Senhor encontra ele seu prazer.
Ele não julgará pelas aparências que vê
nem decidirá somente por ouvir dizer;
mas trará justiça para os humildes
e uma ordem justa para os homens pacíficos;
fustigará a terra com a força da sua palavra
e destruirá o mau com o sopro dos lábios.
Cingirá a cintura com a correia da justiça
e as costas com a faixa da fidelidade.
O lobo e o cordeiro viverão juntos
e o leopardo deitar-se-á ao lado do cabrito;
o bezerro e o leão comerão juntos
e até mesmo uma criança poderá tangê-los.
A vaca e o urso pastarão lado a lado,
enquanto suas crias descansam juntas;
o leão comerá palha como o boi;
a criança de peito vai brincar
em cima do buraco da cobra venenosa;
e o menino desmamado
não temerá pôr a mão na toca da serpente.
Não haverá danos nem mortes
por todo o meu santo monte:
a terra estará tão repleta do saber do Senhor
quanto as águas que cobrem o mar.
Naquele dia, a raiz de Jessé
se erguerá como um sinal entre os povos;
hão de buscá-la as nações, e gloriosa será a sua morada.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Salmo (Sl 71 (72), 1-2. 7-8. 12-13. 17 (R.cf 7)

R. Nos seus dias a justiça florirá
e paz em abundância, para sempre.

 

Dai ao Rei vossos poderes, Senhor Deus,*
vossa justiça ao descendente da realeza!
Com justiça ele governe o vosso povo,*
com eqüidade ele julgue os vossos pobres. R.

Nos seus dias a justiça florirá*
e grande paz, até que a lua perca o brilho!
De mar a mar estenderá o seu domínio,*
e desde o rio até os confins de toda a terra!R.

Libertará o indigente que suplica,*
e o pobre ao qual ninguém quer ajudar.
Terá pena do indigente e do infeliz,*
e a vida dos humildes salvará.R.
Seja bendito o seu nome para sempre!*
E que dure como o sol sua memória!
Todos os povos serão nele abençoados,*
todas as gentes cantarão o seu louvor!R.


Evangelho (Lc 10,21-24)

Jesus exulta no Espírito Santo.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas
Naquele momento, Jesus exultou no Espírito Santo e disse:
‘Eu te louvo, Pai, Senhor do céu e da terra,
porque escondeste essas coisas aos sábios e inteligentes,
e as revelaste aos pequeninos.
Sim, Pai, porque assim foi do teu agrado.
Tudo me foi entregue pelo meu Pai.
Ninguém conhece quem é o Filho, a não ser o Pai;
e ninguém conhece quem é o Pai, a não ser o Filho
e aquele a quem o Filho o quiser revelar.’
Jesus voltou-se para os discípulos
e disse-lhes em particular:
‘Felizes os olhos que vêem o que vós vedes!
Pois eu vos digo que muitos profetas e reis quiseram ver
o que estais vendo, e não puderam ver;
quiseram ouvir o que estais ouvindo,
e não puderam ouvir.’
Palavra da Salvação.
– Gloria a Vós Senhor.


Santo Do Dia

São Sabas

São SabasA descrição do martírio de Sabas foi feita em uma carta, logo após sua morte, pelo governo dos Gothes ao norte do Danúbio. São Jerônimo conta que o Rei Athanaric iniciou a perseguição aos cristãos em 370. Sabas nasceu no ano de 439 na Capadócia e foi convertido ao cristianismo desde jovem.

A disputa dos parentes por sua herança o levou a procurar ajuda num mosteiro, onde foi acolhido apesar de ser ainda uma criança. Apesar de pouca instrução, tornou-se um sábio na doutrina cristã. Dividiu tudo o que herdou entre os cristãos pobres e doentes. Trabalhou na conversão de seus conterrâneos e ajudando os cristãos perseguidos em sua pátria. Era, antes de tudo, um caridoso e valente.

Experimentou a vida monástica cenobítica, ou seja, comunitária; depois passou para o mosteiro dos anacoretas, onde os monges se nutrem na solidão, preferindo esta última.

Naquela época, havia o decreto de que cristãos, para serem poupados, deveriam comer a carne dos animais mortos aos deuses pagãos. Muitos se utilizavam da estratégia de enganar os guardas, dando de comer aos familiares carnes comuns, e não as desses sacrifícios, salvando os familiares do martírio. Mas Sabas se recusava a mentir, chegando a protestar em público contra tal prática.

Quando as perseguições se acentuaram, Sabas já gozava de muito prestígio, pois tinha fundado uma grande comunidade de monges anacoretas no vale de Cedron, na Palestina, chamada de “grande Laura”. Ela começou naturalmente, com os eremitas ocupando as cavernas ao redor daquela em que vivia, isolado com os animais, e construíram um oratório. Foi assim que surgiu o que seria no futuro o Mosteiro de São Sabas.

A fama dos prodígios que alcançava através das orações e também a grande sabedoria sobre a doutrina de Cristo, que tão bem defendia, fizeram essa comunidade crescer muito. A ele se atribui o fim de uma longa e calamitosa seca. Ocupava uma posição de liderança importante dentro da sociedade e do clero. A eloquência da sua pregação do Evangelho atraía cada vez mais os pagãos à conversão.  Sabas, então, já incomodava o poder pagão como autoridade cristã.

Interferiu junto ao imperador, em Constantinopla, a favor dos mais pobres, contra os impostos. Organizou e liderou um verdadeiro e próprio exercito de monges anacoretas para dar apoio ao papa contra a heresia monofisista que agitou a Igreja do Oriente.

Morreu em 5 de dezembro de 532, na Palestina, aos noventa e três anos de idade. São Sabas está presente na relação dos grandes sacerdotes fundadores do monaquismo da Palestina. A festa em sua honra ocorre no dia de sua morte.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Crispina, Dalmácio e Nicécio. 

 

Fonte:Franciscanos.org.com