(49) 3442.0358

Liturgia diária › 19/11/2016

34º Domingo – Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo do Tempo Comum

vinagreDomingo 20 de Novembro 2016

Cor: Branco

1ª Leitura (2Sm 5,1-3)

Eles ungiram Davi como rei de Israel.

Leitura do Segundo Livro de Samuel
Naqueles dias:
Todas as tribos de Israel vieram
encontrar-se com Davi em Hebron e disseram-lhe:
Aqui estamos. Somos teus ossos e tua carne.
Tempo atrás, quando Saul era nosso rei,
eras tu que dirigias os negócios de Israel.
E o Senhor te disse: Tu apascentarás o meu povo Israel
e serás o seu chefe’.
Vieram, pois, todos os anciãos de Israel
até ao rei em Hebron.
O rei Davi fez com eles uma aliança em Hebron,
na presença do Senhor, e eles o ungiram rei de Israel.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Salmo (121,1-2.4-5 (R. Cf.1)

R.Quanta alegria e felicidade: vamos à casa do Senhor!

Que alegria, quando ouvi que me disseram:*
‘Vamos à casa do Senhor!’
E agora nossos pés já se detêm,*
Jerusalém, em tuas portas. R.

Para lá sobem as tribos de Israel,*
as tribos do Senhor.
Para louvar, segundo a lei de Israel,
o nome do Senhor.*
A sede da justiça lá está e o trono de Davi. R.


2ª Leitura (Cl 1,12-20)

Recebeu-nos no reino de seu Filho amado.

Leitura da Carta de São Paulo aos Colossenses
Irmãos:
Com alegria dai graças ao Pai,
que vos tornou capazes de participar da luz,
que é a herança dos santos.
Ele nos libertou do poder das trevas
e nos recebeu no reino de seu Filho amado,
por quem temos a redenção, o perdão dos pecados.
Ele é a imagem do Deus invisível,
o primogênito de toda a criação,
pois por causa dele foram criadas todas as coisas
no céu e na terra,
as visíveis e as invisíveis,
tronos e dominações, soberanias e poderes.
Tudo foi criado por meio dele e para ele.
17Ele existe antes de todas as coisas
e todas têm nele a sua consistência.
Ele é a Cabeça do corpo, isto é, da Igreja.
Ele é o Princípio,
o Primogênito dentre os mortos;
de sorte que em tudo ele tem a primazia,
porque Deus quis habitar nele com toda a sua plenitude
e por ele reconciliar consigo todos os seres,
os que estão na terra e no céu,
realizando a paz pelo sangue da sua cruz.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Evangelho (Lc 23,35-43)

Senhor, lembra-te de mim, quando
entrares no teu reinado.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas
Naquele tempo:
Os chefes zombavam de Jesus dizendo:
‘A outros ele salvou. Salve-se a si mesmo,
se, de fato, é o Cristo de Deus, o Escolhido!’
Os soldados também caçoavam dele;
aproximavam-se, ofereciam-lhe vinagre,
e diziam: ‘Se és o rei dos judeus,
salva-te a ti mesmo!’
Acima dele havia um letreiro:
‘Este é o Rei dos Judeus.’
Um dos malfeitores crucificados o insultava, dizendo:
‘Tu não és o Cristo? Salva-te a ti mesmo e a nós!’
Mas o outro o repreendeu, dizendo:
‘Nem sequer temes a Deus,
tu que sofres a mesma condenação?
Para nós, é justo,
porque estamos recebendo o que merecemos;
mas ele não fez nada de mal.’
E acrescentou: ‘Jesus, lembra-te de mim,
quando entrares no teu reinado.’
Jesus lhe respondeu: ‘Em verdade eu te digo:
ainda hoje estarás comigo no Paraíso.’
– Palavra da Salvação.
– Gloria a Vós Senhor.


Santo do Dia

edmundoSanto Edmundo Mártir

Durante o século IX, os nórdicos ou dinamarqueses, cada vez com maior frequência, assolavam as costas da Inglaterra, até que, lá pela metade do século, “os pagãos começaram a hibernar em nosso país”. Nessa época, no dia de Natal de 855, a nobreza e o clero de Norfolk, reunidos em Attleborough, proclamaram Edmundo o seu rei, um jovem de catorze anos, o qual, no ano seguinte, foi reconhecido também pelos habitantes de Suffolk. Segundo consta, ele era talentoso e foi bem-sucedido, tanto como governante e ao mesmo tempo como homem virtuoso, aprendeu de cor todo o saltério, a fim de poder acompanhar o culto na igreja e imitar as boas ações do Rei Davi. Conforme escreveu o beneditino Lydgate, no século XV, ele, “em seu reino, era muito religioso e bondoso, cheio de alegria celestial, previdente no aconselhar, e mostrava muitos sinais de graça e de bem-aventurança … “.

Em seguida, houve a maior invasão dinamarquesa, como acontecera. Conforme atesta a Anglo-Saxon Chronicle: “no ano de 866, um grande exército (de dinamarqueses) invadiu o país dos anglos e estabeleceu o seu acampamento de inverno entre os anglos orientais, e lá eles arranjaram para si muitos cavalos. E os anglos orientais fizeram com eles um pacto de paz”. Em seguida, os invasores atravessaram o rio Humber e conquistaram York, e marchando para o sul, invadiram a Mércia e chegaram até Nottingham, pilhando e incendiando tudo em sua passagem e escravizando os seus habitantes. Em 870, as hostes inimigas atravessaram a Mércía e invadiram a Ânglia Oriental, e estabeleceram o seu acampamento de inverno em Thetford. “E naquele inverno, Edmundo lutou contra eles, e os dinamarqueses alcançaram a vitória e assassinaram o rei, subjugando todo o país e destruindo todos os mosteiros que encontravam à sua frente”.

O corpo do rei foi enterrado em Hoxne, e pelo ano de 903, foi trasladado para Beodricsworth, cidade atualmente conhecida como Bury St. Edmund’s (isto é, aldeia de S. Edmundo). Em 1010, durante as invasões dos dinamarqueses ele foi trasladado para a igreja do S. Gregório, perto da catedral de S. Paulo, em Londres, e três anos mais tarde, foi trazido de volta a Bury. Durante o reinado de Canuto, foi fundada a célebre abadia beneditina de S. Edmundsbury, e o corpo de S. Edmundo passou a ser a principal relíquia da igreja abacial.

A devoção a S. Edmundo o Mártir a princípio estava muito difundida e era muito popular na Inglaterra, inúmeras igrejas eram dedicadas em sua honra, e no século XIII e em período mais recente ainda, sua festa era dia santo de guarda. Atualmente, celebra-se a sua festa nas dioceses de Westminster e de Northampton, bem como entre os beneditinos ingleses.

A Igreja celebra também neste dia os santos: Ambrósio de Camaldoli e Otávio.

Fonte: Franciscanos.org.br