(49) 3442.0358

Liturgia diária › 03/12/2016

2º Domingo do Advento

4 de Dezembro de 2016

Cor: Roxo

espirito1ª Leitura (Is 11,1-10)

Julgará os humildes com justiça.

Leitura do Livro do Profeta Isaías
Naqueles dias:
Nascerá uma haste do tronco de Jessé
e, a partir da raiz, surgirá o rebento de uma flor;
sobre ele repousará o espírito do Senhor:
espírito de sabedoria e discernimento,
espírito de conselho e fortaleza,
espírito de ciência e temor de Deus;
no temor do Senhor encontra ele seu prazer.
Ele não julgará pelas aparências que vê
nem decidirá somente por ouvir dizer;
mas trará justiça para os humildes
e uma ordem justa para os homens pacíficos;
fustigará a terra com a força da sua palavra
e destruirá o mau com o sopro dos lábios.
Cingirá a cintura com a correia da justiça
e as costas com a faixa da fidelidade.
O lobo e o cordeiro viverão juntos
e o leopardo deitar-se-á ao lado do cabrito;
o bezerro e o leão comerão juntos
e até mesmo uma criança poderá tangê-los.
A vaca e o urso pastarão lado a lado,
enquanto suas crias descansam juntas;
o leão comerá palha como o boi;
a criança de peito vai brincar
em cima do buraco da cobra venenosa;
e o menino desmamado
não temerá pôr a mão na toca da serpente.
Não haverá danos nem mortes
por todo o meu santo monte:
a terra estará tão repleta do saber do Senhor
quanto as águas que cobrem o mar.
Naquele dia, a raiz de Jessé
se erguerá como um sinal entre os povos;
hão de buscá-la as nações, e gloriosa será a sua morada.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Salmo (Sl 71,1-2.7-8.12-13.17 (R.cf 7)

R.Nos seus dias a justiça florirá.

Dai ao Rei vossos poderes, Senhor Deus, *
vossa justiça ao descendente da realeza!
Com justiça ele governe o vosso povo, *
com eqüidade ele julgue os vossos pobres. R.

Nos seus dias a justiça florirá *
e grande paz, até que a lua perca o brilho!
De mar a mar estenderá o seu domínio,*
e desde o rio até os confins de toda a terra! R.

Libertará o indigente que suplica, *
e o pobre ao qual ninguém quer ajudar.
Terá pena do indigente e do infeliz, *
e a vida dos humildes salvará. R.

Seja bendito o seu nome para sempre! *
E que dure como o sol sua memória!
Todos os povos serão nele abençoados, *
todas as gentes cantarão o seu louvor! R.


2ª Leitura (Rm 15, 4-9)

Cristo salva toda a humanidade.

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos
Irmãos:
Tudo o que outrora foi escrito,
foi escrito para nossa instrução,
para que, pela nossa constância
e pelo conforto espiritual das Escrituras,
tenhamos firme esperança.
O Deus que dá constância e conforto
vos dê a graça da harmonia e concórdia, uns com os
outros, como ensina Cristo Jesus.
Assim, tendo como que um só coração e a uma só voz,
glorificareis o Deus
e Pai do Senhor nosso, Jesus Cristo.
Por isso, acolhei-vos uns aos outros,
como também Cristo vos acolheu, para a glória de Deus.
Pois eu digo:
Cristo tornou-se servo dos que praticam a circuncisão,
para honrar a veracidade de Deus,
confirmando as promessas feitas aos pais.
Quanto aos pagãos,
eles glorificam a Deus, em razão da sua misericórdia,
como está escrito:
‘Por isso, eu vos glorificarei entre os pagãos
e cantarei louvores ao vosso nome’.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Evangelho (Mt 3, 1-12)

Convertei-vos, porque o Reino dos céus está próximo.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus
Naqueles dias, apareceu João Batista,
pregando no deserto da Judéia:
‘Convertei-vos, porque o Reino dos Céus está próximo.’
João foi anunciado pelo profeta Isaías, que disse:
‘Esta é a voz daquele que grita no deserto:
preparai o caminho do Senhor,
endireitai suas veredas!’
João usava uma roupa feita de pêlos de camelo
e um cinturão de couro em torno dos rins;
comia gafanhotos e mel do campo.
Os moradores de Jerusalém, de toda a Judéia
e de todos os lugares em volta do rio Jordão
vinham ao encontro de João.
Confessavam os seus pecados
e João os batizava no rio Jordão.
Quando viu muitos fariseus e saduceus
vindo para o batismo, João disse-lhes:
‘Raça de cobras venenosas, quem vos ensinou
a fugir da ira que vai chegar?
Produzi frutos que provem a vossa conversão.
Não penseis que basta dizer: ‘Abraão é nosso pai’,
porque eu vos digo: até mesmo destas pedras
Deus pode fazer nascer filhos de Abraão.
O machado já está na raiz das árvores,
e toda árvore que não der bom fruto
será cortada e jogada no fogo.
Eu vos batizo com água para a conversão,
mas aquele que vem depois de mim
é mais forte do que eu.
Eu nem sou digno de carregar suas sandálias.
Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo.
Ele está com a pá na mão;
ele vai limpar sua eira
e recolher seu trigo no celeiro;
mas a palha ele a queimará
num fogo que não se apaga.’
– Palavra da Salvação.
– Gloria a Vós Senhor.


Santo Do Dia

joaoSão João Damasceno

São João Damasceno foi um grande doutor na história da Igreja universal. Nasceu em 675, em Damasco (Síria), de uma rica família cristã. Ainda jovem assumiu o cargo – talvez ostentado também por seu pai – de responsável econômico do califado. Bem cedo, contudo, insatisfeito pela vida da corte, amadureceu a escolha monástica, entrando no mosteiro de São Sabas, perto de Jerusalém. Era por volta do ano 700.

Não se afastando nunca do mosteiro, dedicou-se com todas as forças à ascese e à atividade literária, sem desdenhar da atividade pastoral, da qual dão testemunho sobretudo suas numerosas homilias. Sua memória litúrgica se celebra em 4 de dezembro. O Papa Leão XIII o proclamou Doutor da Igreja universal em 1850.

Dele se recordam no Oriente, sobretudo, os três Discursos – “A fonte da ciência”, “A fé ortodoxa”, “Sacra paralela” e “Orações sobre as imagens sagradas” – contra quem calunia as imagens santas, que foram condenados, após sua morte, pelo Concílio iconoclasta de Hieria (754). Estes discursos, contudo, foram o principal motivo de sua reabilitação e canonização por parte dos Padres ortodoxos convocados no II Concílio de Niceia (787), sétimo ecumênico. Nestes textos é possível encontrar os primeiros intentos teológicos importantes de legitimação da veneração das imagens sagradas, unindo a estas o mistério da Encarnação do Filho de Deus no seio da Virgem Maria.

Por causa desta obra, “Orações sobre as imagens sagradas”, onde defende o culto das imagens nas igrejas, contra o conceito dos iconoclastas, João Damasceno foi muito perseguido e até preso pelos hereges. Até mesmo o califa foi induzido a acreditar que João Damasceno conspirava, junto com os cristãos, contra ele. Mandou prendê-lo a aplicar-lhe a lei muçulmana: sua mão direita foi decepada, para que não escrevesse mais.

Mas pela fé e devoção que dedicava à Virgem Maria tanto rezou que a Mãe recolocou a mão no lugar e ele ficou curado. E foram inúmeras orações, hinos, poesias e homilias que dedicou, especialmente, a Nossa Senhora. Através de sua obra teológica foi ele quem deu início à teologia mariana. Morreu no ano 749, segundo a tradição, no Mosteiro de São Sabas. Tão importante foi sua contribuição para a Igreja que o papa Leão XIII o proclamou doutor da Igreja e os críticos e teólogos o declararam “são Tomás do Oriente”. Sua celebração, no novo calendário litúrgico da Igreja, ocorre no dia 4 de dezembro.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Bernardo de Parma e Bárbara.

 

Fonte: Franciscanos.org.br