2º Domingo da Quaresma « Paróquia Nossa Senhora do Rosário

(49) 3442.0358

Liturgia diária › 11/03/2017

2º Domingo da Quaresma

rosto12 de Março de 2017

Cor: Roxo

1ª Leitura ( Gn 12,1-4a)

Vocação de Abraão, pai do povo de Deus.

Leitura do Livro do Gênesis

Naqueles dias, o Senhor disse a Abrão:
‘Sai da tua terra, da tua família e da casa do teu pai,
e vai para a terra que eu te vou mostrar.
Farei de ti um grande povo e te abençoarei:
engrandecerei o teu nome,
de modo que ele se torne uma bênção.
Abençoarei os que te abençoarem
e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem;
em ti serão abençoadas todas as famílias da terra!’.
E Abraão partiu, como o Senhor lhe havia dito.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

 


Salmo (Sl 32,4-5.18-19.20 e 22 (R. Cf. 22)

R. Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça,
 venha a vossa salvação!

 
Pois reta é a palavra do Senhor,*
e tudo o que ele faz merece fé.
Deus ama o direito e a justiça,*
transborda em toda a terra a sua graça.R.

Mas o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem,*
e que confiam esperando em seu amor,
para da morte libertar as suas vidas*
e alimentá-los quando é tempo de penúria.R.

No Senhor nós esperamos confiantes,*
porque ele é nosso auxílio e proteção!
Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça,*
da mesma forma que em vós nós esperamos!R.


2ª Leitura (2Tm 1,8b-10)

Deus nos chama e ilumina.

Leitura da Segunda Carta de São Paulo a Timóteo
Caríssimo:
Sofre comigo pelo Evangelho,
fortificado pelo poder de Deus.
Deus nos salvou e nos chamou com uma vocação santa,
não devido às nossas obras,
mas em virtude do seu desígnio e da sua graça,
que nos foi dada em Cristo Jesus
desde toda a eternidade.
Esta graça foi revelada agora,
pela manifestação de nosso Salvador, Jesus Cristo.
Ele não só destruiu a morte,
como também fez brilhar a vida e a imortalidade
por meio do Evangelho,
Palavra do Senhor.
 – Graças a Deus.


Evangelho (Mt 17,1-9)

O seu rosto brilhou como o sol.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus

Naquele tempo:
Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João, seu irmão,
e os levou a um lugar à parte, sobre uma alta montanha.
E foi transfigurado diante deles;
o seu rosto brilhou como o sol
e as suas roupas ficaram brancas como a luz.
Nisto apareceram-lhes Moisés e Elias,
conversando com Jesus.
Então Pedro tomou a palavra e disse:
‘Senhor, é bom ficarmos aqui.
Se queres, vou fazer aqui três tendas:
uma para ti, outra para Moisés, e outra para Elias.’
Pedro ainda estava falando,
quando uma nuvem luminosa os cobriu com sua sombra.
E da nuvem uma voz dizia:
‘Este é o meu Filho amado,
no qual eu pus todo meu agrado.
Escutai-o!’
Quando ouviram isto, os discípulos ficaram muito
assustados e caíram com o rosto em terra.
Jesus se aproximou, tocou neles e disse:
‘Levantai-vos, e não tenhais medo.’
Os discípulos ergueram os olhos e não viram mais
ninguém, a não ser somente Jesus.
Quando desciam da montanha, Jesus ordenou-lhes:
‘Não conteis a ninguém esta visão até que o
Filho do Homem tenha ressuscitado dos mortos.’
 – Palavra da Salvação.
– Gloria a Vós Senhor.


nissaaSanto Do Dia

São Gregório de Nisa

Gregório vem de grex, “assembleia”, e gore, que significa “pregar” ou “dizer”. Ou então Gregório vem de egregorius, por sua vez, derivado de egregius, “eleito”, e “gore”, pregador.

Gregório de Nissa, o mais especulativo dos Padres gregos do século IV, pode ser comparado a santo Tomás de Aquino pelo cuidado que teve de dar aos vários problemas enfrentados, uma resposta em sintonia com os dados da fé e ao mesmo tempo com as exigências da razão. Amante do estudo e da solidão, foi a contragosto posto à frente de uma diocese. Sua bondade e falta de senso prático foi julgada muitas vezes como ingenuidade ou pior. Foi até acusado de desperdiçar os bens da Igreja. Foi deposto e mandado ao exílio em 376. Dois anos depois foi reconhecida sua inocência e consideradas sem fundamento as acusações feitas pelos arianos. Voltou, então, entre as aclamações do seu povo e reassumiu a diocese.

Naqueles dias morria seu irmão, São Basílio, bispo de Cesareia. Gregório preferira a cultura clássica do tempo, um misto de platonismo, aristotelismo e estoicismo; enquanto Basílio escolhera a vida ascética. Gregório casou-se e, depois de ter ensinado alguns anos, abandonou tudo, inclusive a mulher, e seguiu o irmão e amigo na solidão das margens do rio Íris. Dedicou-se ao estudo das obras de Orígenes e Metódio de Olimpo. São frutos desses estudos, livros como sobre a virgindade. Logo Basílio foi escolhido como arcebispo de Cesareia.

Basílio conseguiu para ambos o mesmo tipo de trabalho pastoral. Gregório, depois do incidente do exílio, cresceu muito no conceito de todo o mundo. Era quase levado à força para estabelecer a paz entre igrejas orientais, frequentemente em discórdias por questões doutrinais ou administrativas. Teve vários encargos até da parte do imperador de Constantinopla. Em 381 participou do concílio convocado por Teodósio. Os padres conciliares, por causa de sua profunda doutrina, apelidaram-no de coluna da ortodoxia. Em 394 compareceu a outro sínodo de Constantinopla.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Bernardo de Cápua, Inocêncio I e São Luís Ori
Fonte:Franciscanos.org.com