(49) 3442.0358

Liturgia diária › 09/09/2017

23º Domingo do Tempo Comum

Atio10 de Setembro de 2017

Cor: Verde

1ª Leitura (Ez 33,7-9)

Se não advertires o ímpio, eu te
pedirei contas da sua morte.

Leitura da Profecia de Ezequiel

Assim diz o Senhor:
‘Quanto a ti, filho do homem,
eu te estabeleci como vigia para a casa de Israel.
Logo que ouvires alguma palavra de minha boca,
tu os deves advertir em meu nome.
Se eu disser ao ímpio
que ele vai morrer, e tu não lhe falares,
advertindo-o a respeito de sua conduta,
o ímpio vai morrer por própria culpa,
mas eu te pedirei contas da sua morte.
Mas, se advertires o ímpio a respeito de sua conduta,
para que se arrependa,
e ele não se arrepender,
o ímpio morrerá por própria culpa,
porém, tu, salvarás tua vida.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

 


Salmo (Sl 94,1-2.6-7.8-9 (R. 8)

R. Não fecheis o coração, ouví, hoje, a voz de Deus!

 

 
Vinde, exultemos de alegria no Senhor,*
aclamemos o Rochedo que nos salva!
Ao seu encontro caminhemos com louvores,*
e com cantos de alegria o celebremos!R.

Vinde adoremos e prostremo-nos por terra,*
e ajoelhemos ante o Deus que nos criou!
Porque ele é o nosso Deus, nosso Pastor,
e nós somos o seu povo e seu rebanho,*
as ovelhas que conduz com sua mão.R.

Oxalá ouvísseis hoje a sua voz:*
‘Não fecheis os corações como em Meriba,
como em Massa, no deserto, aquele dia,
em que outrora vossos pais me provocaram,*
apesar de terem visto as minhas obras’.R.


2ª Leitura (Rm 13,8-10)

O amor é o cumprimento perfeito da Lei.

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos

Irmãos:
Não fiqueis devendo nada a ninguém,
a não ser o amor mútuo,
– pois quem ama o próximo está cumprindo a Lei-.
De fato, os mandamentos:
‘Não cometerás adultério’, ‘Não matarás’,
‘Não roubarás’, ‘Não cobiçarás’,
e qualquer outro mandamento se resumem neste:
‘Amarás a teu próximo como a ti mesmo’.
O amor não faz nenhum mal contra o próximo.
Portanto, o amor é o cumprimento perfeito da Lei.
– Palavra do Senhor.
 – Graças a Deus.


Evangelho (Mt 18,15-20

Se ele te ouvir, tu ganharás o teu irmão.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus

Naquele tempo, Jesus disse a seus discípulos:
Se o teu irmão pecar contra ti, vai corrigi-lo,
mas em particular, à sós contigo!
Se ele te ouvir, tu ganhaste o teu irmão.
Se ele não te ouvir,
toma contigo mais uma ou duas pessoas,
para que toda a questão seja decidida
sob a palavra de duas ou três testemunhas.
Se ele não vos der ouvido, dize-o à Igreja.
Se nem mesmo à Igreja ele ouvir,
seja tratado como se fosse um pagão
ou um pecador público.
Em verdade vos digo,
tudo o que ligardes na terra será ligado no céu,
e tudo o que desligardes na terra
será desligado no céu.
De novo, eu vos digo:
se dois de vós estiverem de acordo na terra
sobre qualquer coisa que quiserem pedir,
isto vos será concedido por meu Pai que está nos céus.
Pois onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome
 eu estou ali, no meio deles.’
 – Palavra da Salvação.
 – Gloria a Vós Senhor.

 


anicolauSanto Do Dia

São Nicolau de Tolentino

10Natural da cidade de Castelo de Santo Ângelo, onde nasceu em 1245, recebeu o apelido de Tolentino ao seu nome, localidade onde desenvolveu seu apostolado. Desde os sete anos de idade, suas preocupações eram as orações, o jejum e uma enorme compaixão pelos menos favorecidos. Nisso se resumiu sua vida: penitência, amor e dedicação aos pobres, aliados a uma fé incondicional em Nosso Senhor e na Virgem Maria. Aos catorze anos, foi viver na comunidade dos agostinianos de Castelo de Santo Ângelo, como oblato, isto é, sem fazer os votos perpétuos, mas obedecendo às Regras. Mais tarde, ingressou na Ordem e, no ano de 1274, foi ordenado sacerdote.

Nicolau possuía carisma e dons especiais. Sua pregação era alegre e consoladora na Providência divina, o que tornava seus sermões empolgantes. Tinha um grande poder de persuasão, pelo seu modo simples e humilde de viver e praticar a fé, sempre na oração e na penitência, cheio de alegria em Cristo. Com seu exemplo, levava os fiéis a praticar a penitência, a visitar os doentes e encarcerados e a dar assistência aos pobres. Essa mobilização de pessoas em torno do ideal de levar consolo e a Palavra de Deus aos necessitados dava-lhe grande satisfação e alegria.

Em 1275, devido à saúde debilitada, foi para o Convento de Tolentino, onde se fixou definitivamente. Lá, veio a tornar-se um dos apóstolos do confessionário mais significativos da Igreja. Passava horas repleto de compaixão para com todas as misérias humanas. A fama de seus conselhos e de sua santidade trazia para a paróquia fiéis de todas as regiões, ansiosos pelo seu consolo e absolvição. A incondicional obediência, o desapego aos bens materiais, a humildade e a modéstia foram as constantes de sua vida, sendo amado e respeitado por seus irmãos da Ordem.

No dia 10 de setembro de 1305, ele fez sua última prece e entregou seu espírito nas mãos do Senhor antes de completar sessenta anos de idade. Foi enterrado na sepultura da capela onde se tornara célebre confessor e celebrava suas missas. Quarenta anos após sua morte, seu corpo foi encontrado ainda em total estado de conservação. Na ocasião, durante os exames, começou a jorrar sangue dos seus braços, para o espanto de todos. Mesmo depois de muitos anos, os ferimentos sangravam de tempos em tempos.  O local onde foi sepultado tornou-se meta de peregrinação e os milagres atribuídos a ele não cessaram de ocorrer, atingindo os nossos dias. No ano de 1446, são Nicolau de Tolentino foi finalmente canonizado pelo papa Eugênio IV, cuja festa foi mantida para o dia de sua morte.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos:  Jáder, Sóstenes e Cândida Menor.
Fonte:franciscanos.org.com