(49) 3442.0358

Liturgia diária › 26/08/2017

21º Domingo do Tempo Comum

apedro27 de Agosto de 2017

Cor: Verde

1ª Leitura (Is 22,19-23)

Eu o farei portar aos ombros
a chave da casa de Davi.

Leitura do Livro do Profeta Isaías

Assim diz o Senhor a Sobna, o administrador do
palácio:
19`Eu vou te destituir do posto que ocupas
e demitir-te do teu cargo.
20Acontecerá que nesse dia
chamarei meu servo Eliacim, filho de Helcias,
21e o vestirei com a tua túnica
e colocarei nele a tua faixa,
porei em suas mãos a tua autoridade;
ele será um pai para os habitantes de Jerusalém
e para a casa de Judá.
22Eu o farei portar aos ombros
a chave da casa de Davi;
ele abrirá, e ninguém poderá fechar;
ele fechará, e ninguém poderá abrir.
23Hei de fixá-lo como estaca em lugar seguro
e aí ele terá o trono de glória na casa de seu pai.
 – Palavra do Senhor.
 – Graças a Deus.

 


Salmo (Sl 137,1-2a.2bc-3.6.8bc (R. 8bc)

R. Â Senhor, vossa bondade é para sempre!
 completai em mim a obra começada!

 

 

Ao Senhor, de coração eu vos dou graças, *
porque ouvistes as palavras dos meus lábios!
Perante os vossos anjos vou cantar-vos *
e ante o vosso templo vou prostrar-me.R.

Eu agradeço vosso amor, vossa verdade,*
porque fizestes muito mais que prometestes;
naquele dia em que gritei, vós me escutastes*
e aumentastes o vigor da minha alma.R.

Altíssimo é o Senhor, mas olha os pobres,*
e de longe reconhece os orgulhosos.
ó Senhor, vossa bondade é para sempre!*
Eu vos peço: nóo deixeis inacabada,
esta obra que fizeram vossas mãos!R.


2ª Leitura (Rm 11,33-36)

Tudo é dele, por ele, e para ele.

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos

À profundidade da riqueza, da sabedoria
e da ciência de Deus!
Como são inescrutáveis os seus juízos
e impenetráveis os seus caminhos!
De fato, quem conheceu o pensamento do Senhor?
Ou quem foi seu conselheiro?
Ou quem se antecipou em dar-lhe alguma coisa,
de maneira a ter direito a uma retribuição?
Na verdade, tudo é dele, por ele, e para ele.
A ele, a glória para sempre. Amém!
 – Palavra do Senhor.
 – Graças a Deus.

 


Evangelho ( Mt 16,13-20 )

Tu és Pedro e eu te darei as
chaves do Reino dos céus.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus

Naquele tempo:
Jesus foi à região de Cesaréia de Filipe
e ali perguntou a seus discípulos:
‘Quem dizem os homens ser o Filho do Homem?’
Eles responderam:
‘Alguns dizem que é João Batista; outros que é Elias;
Outros ainda, que é Jeremias ou algum dos profetas.’
Então Jesus lhes perguntou:
‘E vós, quem dizeis que eu sou?’
Simão Pedro respondeu:
‘Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo.’
Respondendo, Jesus lhe disse:
‘Feliz és tu, Simão, filho de Jonas,
porque não foi um ser humano que te revelou isso,
mas o meu Pai que está no céu.
Por isso eu te digo que tu és Pedro,
e sobre esta pedra construirei a minha Igreja,
e o poder do inferno nunca poderá vencê-la.
Eu te darei as chaves do Reino dos Céus:
tudo o que tu ligares na terra
será ligado nos céus;
tudo o que tu desligares na terra
será desligado nos céus.’
Jesus, então, ordenou aos discípulos
que não dissessem a ninguém que ele era o Messias.
– Palavra da Salvação.
– Gloria a Vós senhor.


amonicaSanto Do Dia

Santa Mônica

Santa Mônica Mônica nasceu em Tagaste, atual Argélia, na África, no ano 331, no seio de uma família cristã. Desde muito cedo dedicou sua vida a ajudar os pobres, que visitava com frequência, levando o conforto por meio da Palavra de Deus. Teve uma vida muito difícil. O marido era um jovem pagão muito rude, de nome Patrício, que a maltratava. Mônica suportou tudo em silêncio e mansidão. Encontrava o consolo nas orações que elevava a Cristo e à Virgem Maria pela conversão do esposo. E Deus recompensou sua dedicação, pois ela pôde assistir ao batismo do marido, que se converteu sinceramente um ano antes de morrer.

Tiveram dois filhos, Agostinho e Navígio, e uma filha, Perpétua, que se tornou religiosa. Porém, Agostinho foi sua grande preocupação, motivo de amarguras e muitas lágrimas. Mesmo dando bons conselhos e educando o filho nos princípios da religião cristã, a vivacidade, inconstância e o espírito de insubordinação de Agostinho fizeram que a sábia mãe adiasse o seu batismo, com receio que ele profanasse o sacramento.

E teria acontecido, porque Agostinho, aos dezesseis anos, saindo de casa para continuar os estudos, tomou o caminho dos vícios. O coração de Mônica sofria muito com as notícias dos desmandos do filho e por isso redobrava as orações e penitências. Certa vez, ela foi pedir os conselhos do bispo, que a consolou dizendo: “Continue a rezar, pois é impossível que se perca um filho de tantas lágrimas”.

Agostinho tornou-se um brilhante professor de retórica em Cartago. Mas, procurando fugir da vigilância da mãe aflita, às escondidas embarcou em um navio para Roma, e depois para Milão, onde conseguiu o cargo de professor oficial de retórica.

Mônica, desejando a todo custo ver a recuperação do filho, viajou também para Milão, onde, aos poucos, terminou seu sofrimento. Isso porque Agostinho, no início por curiosidade e retórica, depois por interesse espiritual, tinha se tornado frequentador dos envolventes sermões de santo Ambrósio. Foi assim que Agostinho se converteu e recebeu o batismo, junto com seu filho Adeodato. Assim, Mônica colhia os frutos de suas orações e de suas lágrimas.

Mãe e filho decidiram voltar para a terra natal, mas, chegando ao porto de Óstia, perto de Roma, Mônica adoeceu e logo depois faleceu. Era 27 de agosto de 387 e ela tinha cinquenta e seis anos.

O papa Alexandre III confirmou o tradicional culto a santa Mônica, em 1153, quando a proclamou Padroeira das Mães Cristãs. A sua festa deve ser celebrada no mesmo dia em que morreu. O seu corpo, venerado durante séculos na igreja de Santa Áurea, em Óstia, em 1430 foi trasladado para Roma e depositado na igreja de Santo Agostinho.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Eutália e Antusa Menor.
Fonte:Franciscanos.org.com