(49) 3442.0358

Liturgia diária › 02/12/2017

1º Domingo do Advento

a523 de Dezembro de 2017

Cor: Roxo

1ª Leitura (Is 63,16b-17.19b;64,2b-7)

Ah! se rompesses os céus e descesses!

Leitura do Livro do Profeta Isaías
Senhor, tu és nosso Pai, nosso redentor;
eterno é o teu nome.
Como nos deixaste andar longe de teus caminhos
e endureceste nossos coraçðes
para não termos o teu temor?
Por amor de teus servos,
das tribos de tua herança, volta atrás.
Ah! se rompesses os céus e descesses!
As montanhas se desmanchariam diante de ti.
Desceste, pois, e as montanhas se derreteram
diante de ti.
Nunca se ouviu dizer nem chegou aos ouvidos de ninguém,
jamais olhos viram que um Deus, exceto tu,
tenha feito tanto pelos que nele esperam.
Vens ao encontro de quem pratica a justiça com alegria,
de quem se lembra de ti em teus caminhos.
Tu te irritaste, porque nós pecamos;
é nos caminhos de outrora que seremos salvos.
Todos nós nos tornamos imundície,
e todas as nossas boas obras são como um pano sujo;
murchamos todos como folhas,
e nossas maldades empurram-nos como o vento.
Não há quem invoque teu nome,
quem se levante para encontrar-se contigo,
escondeste de nós tua face
e nos entregaste à mercê da nossa maldade.
Assim mesmo, Senhor, tu és nosso pai,
nós somos barro; tu, nosso oleiro,
e nós todos, obra de tuas mãos.
Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Salmo (Is 79 2ac.3b.15-16.18-19(R.4)

R.Iluminai a vossa face sobre nós,
convertei-nos, para que sejamos salvos!

 

Ao Pastor de Israel, prestai ouvidos.
Vós que sobre os querubins vos assentais,*
aparecei cheio de glória e esplendor!
Despertai vosso poder, ó nosso Deus*
e vinde logo nos trazer a salvação! R.

Voltai-vos para nós, Deus do universo!
Olhai dos altos céus e observai.*
Visitai a vossa vinha e protegei-a!
Foi a vossa mão direita que a plantou;*
protegei-a, e ao rebento que firmastes! R.

Pousai a mão por sobre o vosso Protegido,*
o filho do homem que escolhestes para vós!
E nunca mais vos deixaremos, Senhor Deus!*
Dai-nos vida, e louvaremos vosso nome! R.


2ª Leitura (ICor 1,3-9)

Esperamos a revelação de
Nosso Senhor Jesus Cristo.

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios
Irmãos:
Para vós, graça e paz,
da parte de Deus, nosso Pai,
e do Senhor Jesus Cristo.
Dou graças a Deus sempre a vosso respeito,
por causa da graça que Deus vos concedeu
em Cristo Jesus:
Nele fostes enriquecidos em tudo,
em toda palavra e em todo conhecimento,
à medida que o testemunho sobre Cristo
se confirmou entre vós.
Assim, não tendes falta de nenhum dom, vós que
aguardais a revelação do Senhor nosso, Jesus Cristo.
É ele também que vos dará perseverança
em vosso procedimento irrepreensível,
até ao fim, até ao dia de nosso Senhor, Jesus Cristo.
Deus é fiel; por ele fostes chamados à comunhão
com seu Filho, Jesus Cristo, Senhor nosso.
– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Evangelho (Mc 13,33-37)

Vigiai: não sabeis quando o dono da casa vem.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
Cuidado! Ficai atentos,
porque não sabeis quando chegará o momento.
É como um homem que, ao partir para o estrangeiro,
deixou sua casa sob a responsabilidade de seus
empregados, distribuindo a cada um sua tarefa.
E mandou o porteiro ficar vigiando.
Vigiai, portanto, porque não sabeis
quando o dono da casa vem:
à tarde, à meia-noite, de madrugada ou ao amanhecer.
Para que não suceda que, vindo de repente,
ele vos encontre dormindo.
O que vos digo, digo a todos: Vigiai!’
– Palavra da Salvação.
– Gloria a Vós Senhor.


Santo Do Dia

São João Damasceno

São João DamascenoSão João Damasceno foi um grande doutor na história da Igreja universal. Nasceu em 675, em Damasco (Síria), de uma rica família cristã. Ainda jovem assumiu o cargo – talvez ostentado também por seu pai – de responsável econômico do califado. Bem cedo, contudo, insatisfeito pela vida da corte, amadureceu a escolha monástica, entrando no mosteiro de São Sabas, perto de Jerusalém. Era por volta do ano 700.

Não se afastando nunca do mosteiro, dedicou-se com todas as forças à ascese e à atividade literária, sem desdenhar da atividade pastoral, da qual dão testemunho sobretudo suas numerosas homilias. Sua memória litúrgica se celebra em 4 de dezembro. O Papa Leão XIII o proclamou Doutor da Igreja universal em 1850.

Dele se recordam no Oriente, sobretudo, os três Discursos – “A fonte da ciência”, “A fé ortodoxa”, “Sacra paralela” e “Orações sobre as imagens sagradas” – contra quem calunia as imagens santas, que foram condenados, após sua morte, pelo Concílio iconoclasta de Hieria (754). Estes discursos, contudo, foram o principal motivo de sua reabilitação e canonização por parte dos Padres ortodoxos convocados no II Concílio de Niceia (787), sétimo ecumênico. Nestes textos é possível encontrar os primeiros intentos teológicos importantes de legitimação da veneração das imagens sagradas, unindo a estas o mistério da Encarnação do Filho de Deus no seio da Virgem Maria.

Por causa desta obra, “Orações sobre as imagens sagradas”, onde defende o culto das imagens nas igrejas, contra o conceito dos iconoclastas, João Damasceno foi muito perseguido e até preso pelos hereges. Até mesmo o califa foi induzido a acreditar que João Damasceno conspirava, junto com os cristãos, contra ele. Mandou prendê-lo a aplicar-lhe a lei muçulmana: sua mão direita foi decepada, para que não escrevesse mais.

Mas pela fé e devoção que dedicava à Virgem Maria tanto rezou que a Mãe recolocou a mão no lugar e ele ficou curado. E foram inúmeras orações, hinos, poesias e homilias que dedicou, especialmente, a Nossa Senhora. Através de sua obra teológica foi ele quem deu início à teologia mariana. Morreu no ano 749, segundo a tradição, no Mosteiro de São Sabas. Tão importante foi sua contribuição para a Igreja que o papa Leão XIII o proclamou doutor da Igreja e os críticos e teólogos o declararam “são Tomás do Oriente”. Sua celebração, no novo calendário litúrgico da Igreja, ocorre no dia 4 de dezembro.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Bernardo de Parma e Bárbara

 

Fonte:franciscanos.org.com