(49) 3442.0358

Liturgia diária › 04/03/2017

1º Domingo da Quaresma

 

untitled5 de Março de 2017

Cor: Roxo

1ª Leitura ( Gn 2,7-9; 3,1-7 )

Criação e pecado dos primeiros pais.

Leitura do Livro do Gênesis

O Senhor Deus formou o homem do pó da terra,
soprou-lhe nas narinas o sopro da vida
e o homem tornou-se um ser vivente.
Depois, o Senhor Deus plantou um jardim em Éden,
ao oriente, e ali pôs o homem que havia formado.
E o Senhor Deus fez brotar da terra
toda sorte de árvores de aspecto atraente
e de fruto saboroso ao paladar,
a árvore da vida no meio do jardim
e a árvore do conhecimento do bem e do mal.
A serpente era o mais astuto de todos os animais dos
campos que o Senhor Deus tinha feito.
Ela disse à mulher:
‘É verdade que Deus vos disse:
‘Não comereis de nenhuma das árvores do jardim?’ ‘
E a mulher respondeu à serpente:
‘Do fruto das árvores do jardim, nós podemos comer.
Mas do fruto da árvore que está no meio do jardim,
Deus nos disse:
‘Não comais dele nem sequer o toqueis,
do contrário, morrereis.”
A serpente disse à mulher:
‘Não, vós não morrereis.
Mas Deus sabe que no dia em que dele comerdes,
vossos olhos se abrirão e vós sereis como Deus
conhecendo o bem e o mal’.
A mulher viu que seria bom comer da árvore,
pois era atraente para os olhos
e desejável para se alcançar conhecimento.
E colheu um fruto,
comeu e deu também ao marido, que estava com ela,
e ele comeu.
Então, os olhos dos dois se abriram;
e, vendo que estavam nus,
teceram tangas para si com folhas de figueira.
Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.


Salmo (Sl 50,3-4.5-6a.12-13.14.17 (R.Cf.3a)

R. Piedade, ó Senhor, tende piedade,
 pois pecamos contra vós.

 

 

Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia! *
Na imensidão de vosso amor, purificai-me!
Lavai-me todo inteiro do pecado, *
e apagai completamente a minha culpa! R.

Eu reconheço toda a minha iniqüidade,*
o meu pecado está sempre à minha frente.
Foi contra vós, só contra vós, que eu pequei,*
e pratiquei o que é mau aos vossos olhos! R.

Criai em mim um coração que seja puro,*
dai-me de novo um espírito decidido.
Ó Senhor, não me afasteis de vossa face,*
nem retireis de mim o vosso Santo Espírito! R.

Dai-me de novo a alegria de ser salvo*
e confirmai-me com espírito generoso!
Abri meus lábios, ó Senhor, para cantar,*
e minha boca anunciará vosso louvor!  R.


2ª Leitura (Rm 5,12-19)

Onde o pecado abundou superabundou a graça.

 Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos
Irmãos:
Consideremos o seguinte:
O pecado entrou no mundo por um só homem.
Através do pecado, entrou a morte.
E a morte passou para todos os homens,
porque todos pecaram…
Na realidade, antes de ser dada a Lei,
já havia pecado no mundo.
Mas o pecado não pode ser imputado, quando não há lei.
No entanto, a morte reinou, desde Adão até Moisés,
mesmo sobre os que não pecaram como Adão, – o qual
era a figura provisória daquele que devia vir -.
Mas isso não quer dizer que o dom da graça de Deus
seja comparável à falta de Adão!
A transgressão de um só
levou a multidão humana à morte, mas
foi de modo bem mais superior que a graça de Deus,
ou seja, o dom gratuito
concedido através de um só homem,
Jesus Cristo, se derramou em abundância sobre todos.
Também, o dom é muito mais eficaz
do que o pecado de um só.
Pois a partir de um só pecado
o julgamento resultou em condenação,
mas o dom da graça frutifica em justificação,
a partir de inúmeras faltas.
Por um só homem, pela falta de um só homem,
a morte começou a reinar.
Muito mais reinarão na vida, pela mediação de um só,
Jesus Cristo, os que recebem o dom
gratuito e superabundante da justiça.
Como a falta de um só acarretou condenação
para todos os homens,
assim o ato de justiça de um só trouxe,
para todos os homens, a justificação que dá a vida.
Com efeito, como pela desobediência de um só homem
a humanidade toda foi estabelecida numa situação de
pecado, assim também, pela obediência de um só,
toda a humanidade passará para uma situação de justiça.
– Palavra do Senhor.
 – Graças a Deus.


Evangelho (Mt 4,1-11)

Jesus jejuou durante quarenta dias e foi tentado.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus

Naquele tempo:
o Espírito conduziu Jesus ao deserto,
para ser tentado pelo diabo.
Jesus jejuou durante quarenta dias e quarenta noites,
e, depois disso, teve fome.
Então, o tentador aproximou-se e disse a Jesus:
‘Se és Filho de Deus,
manda que estas pedras se transformem em pães!’
Mas Jesus respondeu: ‘Está escrito:
‘Não só de pão vive o homem,
mas de toda palavra que sai da boca de Deus’.’
Então o diabo levou Jesus à Cidade Santa,
colocou-o sobre a parte mais alta do Templo,
e lhe disse: ‘Se és Filho de Deus,
lança-te daqui abaixo!
Porque está escrito:
‘Deus dará ordens aos seus anjos a teu respeito,
e eles te levarão nas mãos,
para que não tropeces em alguma pedra’.’
Jesus lhe respondeu: ‘Também está escrito:
‘Não tentarás o Senhor teu Deus!”
Novamente, o diabo levou Jesus para um monte
muito alto.
Mostrou-lhe todos os reinos do mundo e sua glória,
e lhe disse: ‘Eu te darei tudo isso,
se te ajoelhares diante de mim, para me adorar.’
Jesus lhe disse: ‘Vai-te embora, Satanás,
porque está escrito:
‘Adorarás ao Senhor teu Deus
e somente a ele prestarás culto.’
Então o diabo o deixou.
E os anjos se aproximaram e serviram a Jesus.
 Palavra da Salvação.
  Gloria a Vós Senhor.


Santo Do Dia

São Domingos Sávio

Domingos nasceu no dia 2 de abril de 1842, na província de Turim, no norte da Itália, em uma família humilde, mas ao mesmo tempo, muito fervorosa. Já desde a mais tenra idade, decidiu imitar fielmente Jesus Cristo, aproximando-se dele tanto quanto podia. Com sete anos de idade, fez a primeira comunhão e, com doze, entrou no Oratório de São João Bosco. Sob a direção pessoal do grande santo salesiano, transformou-se em tabernáculo do Senhor e em modelo e exemplo de amor a Deus e ao próximo. Foi um verdadeiro apóstolo e missionário de Jesus, com a simples presença da sua vida.

Quem o conheceu durante a sua vida disse que não era pequeno de estatura, mas magro, quase frágil. Preferia mais ouvir do que falar. Era humilde e respeitoso diante de todos e tinha a habilidade natural de apaziguar as discussões e as desavenças, que naquela época surgiam quase naturalmente entre os seus companheiros.

Seu único interesse era Deus e o modo como fazer com que os outros concentrassem as suas energias para servi-Lo melhor. Aquilo que lhe faltava  de força física, ele recuperava em excelência moral, em fortaleza de coração e em aceitação da vontade de Deus, qualquer que esta fosse.

A primeira biografia da vida de Domingos foi escrita pelo seu mestre, São João Bosco, e destas páginas nasceram muitas vocações, inclusive a do futuro Papa Bento XVI que, com tanta ternura, admirava a Obra da Infância Missionária.

Domingos tornou-se conhecido como uma pessoa com dons espirituais especiais e que reconhecia a necessidade das pessoas, bem além do percebido pelo padre comum e tinha uma habilidade de profetizar o futuro.

Entretanto, a frágil saúde de Domingos piorou e ele foi enviando para Mondonio para uma mudança de clima. Foi diagnosticado como tendo tuberculose e logo começou a sangrar. Isso apressou sua morte. Ele recebeu os últimos sacramentos e pediu ao padre para ler a oração dos mortos e, no final, sentou-se e disse: “Adeus meu caro padre”. E exclamou!:” Estou vendo coisas maravilhosas”. Logo depois, ele morreu sorrindo tão calmo e feliz, que ninguém duvidou de sua visão do paraíso.

Domingos faleceu com apenas quinze anos de idade, no dia 9 de março de 1857. Sua Santidade o Papa Pio XII canonizou-o no ano de 1954.

A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Eusébio, Virgílio de Arles e João José da Cruz.

Fonte:franciscanos.org.com